Livre pensar é só pensar (Millôr Fernandes)

Capítulo XVIII

Desse modo, amigos, termina nossa simples história, com Adão e Eva fora do Paríso, colocados eternamente diante do conflito da busca de uma reintegração ou da descoberta de uma nova identidade.

Adãoe Eva foram morar a leste do Éden e tiveram três filhos: Abel, Caim e Set.

Abel e Set eram muito bem acomodados, mas Caim passava as noites num bar chamado SODORRA (na esquina de Sodoma com Gomorra), e foi o inventor da Juventude Transviada.

Capítulo XIX

Num dia em que Abel e Caim foram levar oferendas ao Todo-Poderoso este esnobou os presentes de Caim, para puni-lo pela sua boêmia. Porém, assim que o Padre Eterno voltou as costas,Caim resolveu lhe dar uma lição e, demonstrando sua extraordinária criatividade, inventou ali mesmo, numa operação única, o ciúme, o assassinato e o fratricídio. Sem contar que seu gesto deu ainda origem à primeira exegese político-social, declarando os historiadores que o crime de Caim personifica a luta milenar entre as civilizações agriculturais e pastorais no oriente médio. Pois, como se sabe, Abel cuidava dos rebanhos, atividade, na época, classe A, enquanto Caim ficava no arado, trabalho naquele tempo sem nenhum status.

Mas o mais espantoso é a reação de Caim, depois de organizar o primeiro esquadrão da morte. Possuidor de uma audácia peculiar, que os jovens de sua idade só viriam a copiar muitos milhares de anos depois, quando o senhor lhe perguntou: “Caim, Caim, que fizestes de teu irmão?”, ele, que acabara de inaugurar o cemitério local, respondeu aos berros: “E por acaso, eu sou o guarda do meu irmão, pô?” Era de uma atrevimento realmente precursor.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

One thought on “Livre pensar é só pensar (Millôr Fernandes)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *