Longevidade e vício

Constatação: meus amigos com mais de 90 anos, no limiar dos 100 ou até tendo passado desse “limite”, têm uma condição e semelhança, admiráveis: NUNCA FUMARAM. Como não começaram, jamais pararam. E agora, pela saúde e pela certeza de que fizeram bem a eles mesmos, não podem se “drogar”. Cigarro é DROGA que tem abastecimento simples, em qualquer botequim ou banca de jornal.

Comparação

Tiger Woods levou quase 3 meses para vir a público se “desculpar” por ser viciado em sexo. Levou 8 minutos, não disse nada que já não se soubesse. Nesses 8 minutos, tentou visivelmente se recuperar com três grupos, imprescindíveis: 1 – Patrocinadores, que querem voltar. 2 – Televisões, que precisam do público e de publicidade.

3 – Reconquista da audiência televisiva e nos campos, pagando entradas, caríssimas. Por causa desses itens, Tiger Woods deixou em “branco” a data da volta.

O grande problema que Woods não consegue ultrapassar: convencer o distinto público que “gostar de mulher é uma doença ou vício, que precisa de cura”. Heroína, crack, álcool, cigarro, tudo bem, condenável. Mas quanta gente no mundo, suspira pedindo a Deus para SER ATINGIDO PELA DOENÇA DO GOLFISTA?

Loco Abreu-Herrera

A Receita Federal fez a maior apreensão de crack da história. Os dois jogadores do Botafogo não estavam incluídos. Para serem apreendidos “na categoria”, precisam melhorar muito. Até aqui, para a Receita, estão isentos.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *