Loucuras de Trump têm apoio de muitos americanos

Charge do Iotti, reproduzida da Zero Hora

Carlos Chagas

Não há outra explicação: o homem endoidou. A referência é para o presidente Donald Trump, que através de um  decreto executivo proibiu todo cidadão nascido em sete países de maioria muçulmana de entrar nos Estados Unidos. Tanto faz se tiver visto de entrada. Não entra mesmo. O argumento é de evitar que eventuais terroristas cheguem ao território americano.

Outra maluquice de Trump foi iniciar a construção de um muro na fronteira com o México, impedindo o ingresso de mexicanos ávidos de encontrar trabalho no vizinho.

O pior é que as duas iniciativas já estão valendo.   Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iemen começaram a adotar a recíproca: americano também não entra nesses países. Se a moda pega no mundo, logo reverteremos à pré-história.

Nem todo muçulmano é terrorista, ainda que nem todo terrorista seja muçulmano, assim como nem todo mexicano é desempregado.

Por falar em desemprego, o milionário que exerce a presidência dos Estados Unidos também assinou outra diretriz, no sentido de proibir todos os funcionários públicos americanos de fazer lobby para países estrangeiros. Vai deixar muita gente sem trabalho, ao contrário do que prometeu em sua campanha, de voltar a criar empregos.

Não deixa de chocar a humanidade o prazo de 30 dias que Trump deu aos militares, para prepararem um plano de extinção do Estado Islâmico. A bomba atômica estará na lista, assim como guerras químicas e bacteriológicas.

A gente pensa que é brincadeira, mas não é. E mais triste parece saber que parte da população americana, claro que não a maioria, apoia as loucuras de seu presidente.

 

7 thoughts on “Loucuras de Trump têm apoio de muitos americanos

  1. Os esquerdopatas estão em polvorosa com o que está acontecendo. Essa esquerdinha caviar destruiu o que havia de bom enquanto estavam governando e agora chama de populista quem tenta colocar ordem e proteger o povo. Realmente o Brasil está extremamente necessitado de um Trump ou, talvez de um Duterte (presidente das Filipinas), para acabar com a guerra civil implantada pelo PT (com a conivência do PMDB e quase todos os Partidos Políticos), que reconheceram e concederam autoridade aos bandidos de todo tipo, além de facilitar-lhes o acesso a armamento e às drogas, enquanto população ordeira e trabalhadora foi garroteada. Lula até ajudou a construir rodovia na Bolívia para facilitar a circulação de drogas e armas. A questão é de sobrevivência. Temos que ignorar parte da OAB e das tais ONGs dos direitos humanos, mantidos com o dinheiro do narcotráfico e da corrupção e, por isso, se colocam ao lado do mal. Para nós, é questão de sobrevivência. Ou exterminamos os bandidos, ou morreremos todos.

  2. “Depois de anos de negligência, esta administração tomou uma posição firme para endurecer a proteção de nossas fronteiras, estamos aumentando os controles nas fronteiras em 50%, estamos aumentando as inspeções para evitar a contratação de imigrantes ilegais e, hoje à noite, eu anuncio que vou assinar uma ordem executiva para negar contratos federais a empresas que contratam imigrantes ilegais “.

    Sabe quem disse isso? O bem-amado do liberalismo americano, Bill Clinton, no seu discurso do “Estado da União, em 1996: http://www.truthrevolt.org/news/flashback-bill-clinton-illegal-immigration-we-are-nation-laws

    Obama também adotou medidas restritivas contra migrantes de países islâmicos:
    http://www.zerohedge.com/news/2017-01-29/where-was-outrage-when-obama-banned-iraqi-refugees-2011

    Em geral, na política americana as pessoas só consideram os atos do governo condenáveis quando não votaram no partido que se encontra no poder. Os republicanos eram críticos de guerras quando Clinton estava no poder, e super-belicosos quando os Bush ocuparam a casa Branca.

    É semelhante à situação do Brasil, onde tucanos e petistas só enxergam a corrupção do outro lado.

  3. Primeiro: a construção do muro não é uma proposta nova, nem tampouco do presidente Trump. A própria Hillary Clinton havia votado a favor desta medida quando atuou como senadora no congresso norte-americano.
    Segundo: A iniciativa de barrar a entrada de muçulmanos não partiu de Trump, ele apenas executou um decreto que seu antecessor não cumpriu porque esse (Obama) preferiu barrar a entrada apenas de refugiados cristãos vindos da Síria, afinal existe alguém da esquerda que se importa realmente com os cristãos?
    Terceiro: Nem todo muçulmano é terrorista porque nem todo muçulmano segue as ordens do seu profeta, que instituiu a jihad (guerra contras os ímpios) através do islã (submissão) fazendo uso, se necessário da taqiya (uso da mentira para defender a fé a todo custo, como por exemplo afirmar falsamente que o islã é uma religião de paz).
    E por último, a imprensa esquerdista com seu famoso “mi mi mi” continua insistindo em fazer o trabalho sujo de distorcer a verdade dos fatos acerca de Donald Trump, porque pensa erroneamente que somente a oposição perdeu a credibilidade para fazer isto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *