Lula “patrocina” Meirelles em Goiás, quer vê-lo governador

Tirando o plano externo, onde sem dúvida se destacou, “carregando” o nome do Brasil, Lula é um desastre, vai de contradição em contradição. Diz que não está em campanha, não faz outra coisa. Melhor que não falasse, a história político-eleitoral no Brasil é assim.

Ontem foi à Goiás “inaugurar obras não-acabadas”, levou o presidente do Banco Central. É público e notório que Meirelles quer ser governador do estado, preferia ser presidente, lógico, não dá. No palanque, ao lado de Meirelles, espantosa a afirmação de Lula, abraçando Meirelles: “Não é justo que ele SEJA CANDIDATO PARA PERDER”. É essa a DEMOCRACIA DO Lula. Nome oficial não é para perder. O povo? Apenas fantoche ou coadjuvante na “sua” democracia.

A “DEMOCRACIA DE LULA” perderá no plano nacional

Para a sucessão, Lula não tem candidato, a não ser ele mesmo, por enquanto “incógnita” ou “oculto por elipse”. Dona Dilma, que com todo “EMPURRÃO PRESIDENCIAL”, não sai do lugar, não tinha a menor chance, agora, com as mais diversas substituições que inventa para eliminar as CONTRADIÇÕES,  se enterra cada vez mais. Na verdade, Dona Dilma era um biombo, que será afastado, não escondia nada.

A “DEMOCRACIA DE LULA” com Sarney

Logo que começou a DEMOLIÇÃO de Sarney da presidência do Senado, como se fosse (e é) um prédio velho construído sem licença, Lula afirmou: Não se JULGA um homem com a BIOGRAFIA de Sarney”.

Que BIOGRAFIA, presidente? A de servir a DITADURA e querer ser vice do CORRUPTO Maluf, em 1985? E acertando por acaso?

Lula não sabe, mas quem tinha biografia era o marechal Pétain.
Herói da Primeira Guerra, tido como traidor na Segunda, condenado

O presidente da República não pode determinar quem tem ou não tem BIOGRAFIA, quem pode ou não pode ser JULGADO. Herói da primeira Guerra Mundial (principalmente por causa da Batalha de Verdun), Pétain era idolatrado.

A partir de 22 de abril de 1940, quando a França foi derrotada pelos nazistas que entraram tranquilamente em Paris, o HERÓI aderiu aos nazistas, montou o governo em Vichy, apoiou Hitler, passou a ser odiado.

Terminada a guerra, foi julgado e condenado à morte. Estava com 89 anos, comutaram, que palavra, para PRISÃO PERPÉTUA, morreu meses depois, aos 90 anos.

Perguntinha inútil a Lula: quem tem biografia não pode ser julgado, presidente? Sarney ou marechal Pétain?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *