Lula comete erro colossal em refrescar Ortega e dar argumento contra si ao bolsonarismo

Lula minimizou ditadura na Nicarágua e comparou Ortega a Merkel

Pedro do Coutto

Numa entrevista ao jornal espanhol El País, reproduzida na tarde de terça-feira pela GloboNews e objeto de reportagens da Folha de S. Paulo, de O Globo e do Estado de S. Paulo, em edições de ontem, o ex-presidente Lula da Silva cometeu um erro de grandes proporções ao tentar reduzir o caráter ditatorial de Daniel Ortega, na Nicarágua, não estranhando que ele se mantenha indefinidamente no poder. Na Folha de S. Paulo, a reportagem é de Igor Gielow, no O Globo saiu sem assinatura, e no Estado de S. Paulo é de Marcelo Godoy e Pedro Venceslau.

Lula agravou o seu próprio pronunciamento ao comparar a extensa permanência no poder do ditador da Nicarágua com o período, por coincidência encerrado ontem, de Angela Merkel, como primeira-ministra da Alemanha. Absurdo total de Lula. Ortega prende os seus adversários; Angela Merkel foi reconduzida pelo voto livre à chefia do governo alemão. Lula forneceu estupidamente um argumento contra a sua própria candidatura às urnas de outubro de 2022 ao presidente Jair Bolsonaro em particular, e ao bolsonarismo de modo geral. Luís Inácio da Silva, na minha opinião, esforça-se para demonstrar que é da esquerda, embora seja, na realidade, um homem de centro, conforme ficou comprovado em seus dois governos.

CORRENTES CONSERVADORAS – O ex-presidente já tem assegurados os votos da esquerda na sucessão presidencial. Não precisa seduzir esse eleitorado. Pelo contrário, necessita seduzir correntes conservadoras, exceto os extremistas da direita, faixa de pensamento que ninguém conseguirá que se afaste de Bolsonaro, da mesma forma que ninguém vai conseguir afastar Bolsonaro da extrema-direita.

Lula perdeu terreno sem a menor necessidade, revelando-se talvez fora da lógica política dos fatos. Perdeu pontos e agora é importante verificar se foram ou não reduzidos os seus percentuais na disputa pelo Planalto. Certamente, o Datafolha vai realizar pesquisa nesse sentido. A oportunidade se colocou diante do impacto negativo que Lula causou junto aos seus eleitores. Não digo que perdeu a frente pela sua declaração absurda, mas acho  que perdeu pontos e forneceu argumento a Bolsonaro que o aponta como sendo da esquerda e admirador de governos comunistas. Lula, agora, tem que partir em busca do tempo perdido com a sua versão sobre Ortega.

CONFUSÃO CONSTITUCIONAL – Reportagem de Renato Machado e Thiago Resende, Folha de S. Paulo de ontem, numa página inteira, focaliza de forma excelente a confusão constitucional que o governo Jair Bolsonaro criou no Congresso e no país em relação à PEC dos Precatórios que caminha sob o pretexto de canalizar recursos para o pagamento do Auxílio Brasil de R$ 400 aos segmentos mergulhados na extrema pobreza.

De passagem, vale destacar a reportagem da TV Globo, RJ TV 2 de terça-feira, mostrado o grau de carência e de bloqueio que está envolvendo faixas expressivas da população favelada no caminho desesperado de enfrentar a fome junto com as suas famílias e também em consequência do fato de não conseguirem informações sobre como se inscrever no sistema que substitui o Bolsa Família. Falta comida na mesa, falta comida nos pratos, falta informação.

Mas, falei em confusão constitucional. Incrível, mas diante da resistência do Senado em aprovar o texto originário da Câmara dos Deputados, causa perplexidade o governo, através do líder Fernando Bezerra, apresentar um novo projeto de emenda constitucional para que o Senado o aprove em duas discussões e remeta a matéria à Câmara Federal. Quer dizer: as duas votações anteriores da Câmara são assim anuladas, claro. Porque se anuladas não fossem, não faria sentido a apresentação de um projeto novo. Completamente fora de propósito e que se choca de forma frontal com a  própria Constituição.

MANOBRA – Custa crer que o senador Rodrigo Pacheco, presidente da Casa, aceite colocar tal projeto em tramitação. Inclusive porque o texto na nova PEC consagra uma forma de driblar o teto determinado pela Lei de Responsabilidade Fiscal.  O caminho da protelação de pagar os precatórios é manter a perspectiva da distribuição de verbas pelo orçamento secreto  que fortalece deputados e senadores junto às bases eleitorais. É impressionante a ação desorientada do Palácio do Planalto.

Um dos pontos transforma o pagamento parcial de precatórios aos professores que foram vitoriosos na justiça federal em bônus compensatório livre do teto da Lei Orçamentária. Ou é divida do precatório ou é bônus. Não se pode misturar as duas coisas de forma alguma. A imagem do Executivo torna-se ainda mais desgastada do que se encontra hoje.

GUEDES E OFFSHORE – Numa entrevista ao repórter Fábio Pupo, Folha de S. Paulo, edição de ontem, o ministro Paulo Guedes surpreendeu, mais uma vez, ao admitir ter enviado recursos para a sua empresa localizada em paraíso fiscal para escapar de impostos cobrados nos Estados Unidos. Ainda por cima confirmou que parentes seus permanecessem ligados à empresa que também se livra da incidência de impostos cobrados no Brasil.

Paulo Guedes acentuou que seguiu na época do investimento a sugestão de conselheiros que tinham como objetivo facilitar a herança para os  herdeiros no caso de sua morte. Disse que no Brasil, se tiver ações em seu nome, em caso de falecimento os herdeiros serão taxados em 40%. A offshore de Paulo Guedes encontra-se em nome de sua esposa e de sua filha nas Ilhas Virgens Britânicas.

A meu ver, são impressionantes as declarações do ministro da Economia que revelam um caminho para fugir ao pagamento de impostos. Para Guedes, escapar da lei é uma prerrogativa sua. Mas ele é ministro do governo do Brasil, país de 210 milhões de homens e mulheres.  A história de nosso país passou a ter um registro singular no plano de sua economia: um ministro que recorre a paraísos fiscais para fugir de tributos. É impressionante.

19 thoughts on “Lula comete erro colossal em refrescar Ortega e dar argumento contra si ao bolsonarismo

  1. Cara de pau, este cachaceiro imundo !!!
    Tomara que volte logo para a cadeia, de onde nunca deveria ter saído…
    Ou sair em um caixão de quinta categoria, enfeitado com vela preta…
    Vagabundo embusteiro !
    Acorda povo brasileiro !
    Credo !

  2. Em Política o “Centro” é um ornitorrinco. Na minha opinião, claro.

    Ou seja: lulla é um traidor da Esquerda. Mais um lacaio da Direita clássica.

    Quanto a BROXAnaro, sequer de Direita o é. Ladrão de dinheiro público – ele e tod@s da familícia -, no momento ainda servindo aos interesses de um projeto Narcomilicomiliciano.

  3. Pedro do Couto acertou mais uma vez.
    O ex- presidente Lula errou ao fazer contraponto ao presidente Bolsonaro, que vive elogiando ditadores, como Trump, que incentivou a invasão do Congresso dos EUA, elogia os ditadores da Hungria, da Polônia, as ditaduras do Oriente Médio, além dos abaixo do Equador, os falecidos Alfredo Stronesssi do Paraguai e Augusto Pinochet do Chile, ambos generais golpistas.
    É errado, chegando as raias do absurdo, quem afirma que todos os esquerdistas gostam de ditaduras.
    Toda ditadura é ruim para o povo, tanto as ditaduras progressistas como as ditaduras conservadoras. Em ambas, não há liberdade de opinião, prendem opositores e a censura campeia em todas as esferas da sociedade.
    A direita prende e tortura seus cidadãos também. Nem é preciso dar exemplos, mas não custa clarear as mentes escurecidas, que as Ditaduras da Alemanha de Hitler, da Itália de Mussolini e do Japão do imperador Hiroito, foram genocidas ao extremo e eram de direita.
    No Cone Sul, todas as ditaduras eram de direita e todos sabem o que aconteceu com a operação de compartilhamento de presos. Elas, as Ditaduras trocavam presos entre si.
    Acho, que são fatos públicos e notórios e não entendo como esses robôs bolsonaristas desconhecem esses fatos.
    Há, já sei, vão dizer que são mentiras da esquerda e que Hitler e Mussoline foram inventados pelos utópicos esquerdistas.
    Haja paciência.

  4. Paulo Guedes está numa saia justa incomensurável.
    A sua conta numerada em paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas, para fugir do pagamento de impostos no Brasil, dá um péssimo exemplo para toda a sociedade.
    O próprio ministro deu explicações nesse sentido em audiência nesta semana na Câmara dos Deputados. Ele, Guedes, diante dos deputados estava visivelmente na defensiva, pela primeira vez, sem arrotar sua arrogância de costume.
    O país está a deriva, com todos os índices econômicos negativos, porque nossa elite empresarial e econômica não investe no Brasil e sim nós paraisos fiscais.
    E o patriotismo de Guedes? Está claro que não existe.
    O presidente Bolsonaro, se tivesse a envergadura de Itamar Franco, teria demitido Guedes imediatamente, assim que foi divulgado o escândalo Pandorra PAPERS.
    Em não o fazendo, Bolsonaro avaliza o exemplo de Elisão Fiscal de seu ministro do Posto, por omissão.
    Se Bolsonaro não afastar o Ministro da Economia, periga nem ir para o segundo turno, pois o ex-juiz Sérgio Moro está fazendo uma reforma agrária nós bolsonaristas arrependidos.
    É melhor o Mito começar a agir, como fazem os técnicos de futebol, quando o adversário meteu dois gols. Então, algo precisa ser feito, senão terá que sair do Planalto em janeiro de 2023 e ver Moro ou Lula descendo a rampa.

  5. A confusão Institucional atinge patamares nunca antes navegado.
    A Responsabilidade Fiscal foi para o espaço.
    Aliás, só serviu para empichar a presidente Dilma, que não aceitou o toma lá dá cá. Inclusive, o campeão do fura Teto de Gastos, se chama Arthur Lira, o deputado, que na época do Golpe era presidente da fatídica Comissão de Constituição e Justiça.
    Lira hoje,B usa o Regimento Interno da Casa para PECs que irá censuram o MP, ora legaliza o Orçamento Secreto, enfim, um oba obá generalizado contra a Constituição. Estão desfigurado o texto constitucional a toque de caixa. Isso é um crime contra o povo brasileiro.
    Não votamos em deputados para nenhuma Assembleia Constituinte.
    É preciso parar esse processo contra a Constituição.
    O mais novo ” estupro” da Carta Magna foi a aprovação na CCJ por iniciativa da presidente dessa Comissão, a deputada Bia Kiss, da PEC da Bengala destinada a tirar dois ministros da Corte em 2022, Rosa Weber e Ricardo Levandovsk para abrir espaço para Bolsonaro nomear dois ministros para votar nas pautas bolsonaristas.
    A reação a tal absurdo foi tão avassalador, que tiraram o pé do acelerador. Lira e Bolsonaro, nesse episódio da PEC da Vingança, ficaram com os dedos manchados de cinza.
    Na prática, quem ultrapassasse a idade de 70 anos, seria aposentado compulsoriamente.
    Que vergonha dos nossos representantes no Parlamento! Pior do que o outro

  6. E a mídia em geral, os repórteres continuam enfiando a cabeça na areia e se negando a enxergar quem é Lula de verdade. Ai meu deus como Lula pode dizer isso? Como pode elogiar um assassino, ele é de centro…
    Coisa nenhuma! Lula é um pilantra do mesmo nível de Maduro, Ortega, Fidel Castro etc… A questão toda é que a esquerda aprendeu a cozinhar o sapo devagar.
    A cegueira da impressa é algo impressionante, toda hora o Lula, o PT deixa claro o que quer, mas estes dizendo claramente que são sim esquerda radical, a impressa simplesmente não acredita. Acha que Lula é um socialdemocrata escandinavo… hahahah…
    Acordem! Lula é Cuba, é Venezuela, é Nicarágua é ditadura.

  7. A campanha eleitoral começou com uma onda de ataques aos candidatos. Ciro batendo em Moro, Bolsonaro batendo em Lula e vice versa. O vale tudo vai de vento em popa.
    A claque Bolsonarista, aquela que gosta de ditador de estimação, com viés direitista é claro, tipo Pinochet o maior genocida da América do Sul, matou foi gente, o general chileno. Mandou matar Orlando Letelier, ministro do presidente Salvador Alende nos EUA.
    Isso para demonstrar, que se há ditaduras na Venezuela, Cuba, na Nicarágua, as ditaduras do Oriente Médio são muito mais perversas.
    O ideal seria, que não tivessem Ditaduras em lugar nenhum do mundo.
    E nem aprendizes de ditadores, sempre prontos a fechar o STF com um cabo e um soldado e ocupar a Esplanada para ameaçar o Congresso.
    Não estamos livres ainda, de um Golpe na Democracia.
    A nossa sorte é que os militares não querem nova aventura como a de 1964, que desgastou a caserna perante a sociedade. Nossos militares se tornaram profissionais e não querem se meter na furada da política de baixo nível existente no Brasil.
    O baixo nível, aliás, atingiu o poço mais fundo da história. As narrativas, os exageros, os ataques pessoais contra quem pensa diferente do ideal bolsonarista, desanima, porém, devemos resistir, porque o que querem é calar a nossa voz.
    O contraditório é bom, salutar, e leva a luz, contudo, ironias, xingamentos, falta de educação entre os comentaristas, isso é inadmissível. Continuarei a não responder, pois não adiantaria nada, seria enxugar gelo.
    E, ser chamado de esquerdista, entendo como elogio.

  8. É o pó! É o pó!

    Lula, candidato preferencial do narco-socialismo, precisa da grana da matriz do narcotráfico sul-americano (leia-se: Foro de São Paulo), do qual Ortega é um dos chefes. Sim, a imprensa prostituída sabe disto, mas tenta esconder, como escondeu durante décadas, as ligações entre o PT (Partido de Traficantes) e o tráfico de de entorpecentes.

    É o pó! É o pó!

  9. Bolsonaro precisa rever sua estratégia política para ter chances reais de ir ao segundo turno com Lula
    A entrada do ex- juiz Sérgio Moro na disputa, um ex amigo e agora inimigo de Bolsonaro, está angariando votos que migraram para Bolsonaro em 2018.
    A agenda anti- corrupção encampada por Bolsonaro e abandonada por ele, quando se abraçou ao Centrão será o slogan da campanha de Moro. Então, Sérgio Moro divide a direita, tirando eleitores de Bolsonaro na escalada do juiz rumo ao Planalto.
    Ao contrário de Moro, Ciro Gomes não está conseguindo tomar os votos de Lula.
    O ex- presidente Lula poderá chegar ao segundo turno, se não cometer erros até outubro. Basta usar a sua intuição política, ao invés, de cair na lábia do bruxo do PT, José Dirceu. Apoiar ditadores, principalmente o tal de Daniel Ortega, foi um gigantesco tiro no pé.
    Demonstra, que Lula não aprendeu o suficiente, as lições da vida e da política.
    Palloci, Dirceu, Dilma cada um, na sua cota parte, cavaram o abismo por onde desceu o PT, trazendo a tragédia bolsonarista para ocupar esse vácuo.
    O povo está pagando caro essa aventura e a nação vive seu pior momento.

  10. Sobre Lula cometer erro quanto ao Ortega. Menos, caro Pedro Coutto. Menos… precisa contextualizar a frase dele com outra colocada na sequência. Não fazer como os jornais que apoiam descaradamente qualquer terceira via e quer minar Lula para que o candidato da mídia ir ao segundo turno com o genocida.

    • Lula afirmou, na sequência:

      “Se o Daniel Ortega prendeu a oposição para não disputar a eleição como fizeram no Brasil contra mim, ele está totalmente errado”

  11. Pelo visto, as coisas aqui no Brasil devem andar muito bem, para uma eleição presidencial ser decidida com base em discussões sobre a Nicarágua…

    A propósito, uma grande parte dos críticos de Lula apoiou a invasão americana do Iraque. Dentre eles, Olavo de Carvalho, Reinaldo Azevedo e Diogo Mainardi. Até onde sei, nunca se retrataram. O amor da nosso assim chamado conservadorismo pela mania americana de guerra não deveria ser preocupante?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *