Lula & Dilma, unidos para sempre e imunes a crises. Pesquisa diz que caso Palocci não diminuiu a aceitação do atual governo, e o povão quer mesmo que Lula continue intervindo.

Carlos Newton

É surpreendente o resultado da pesquisa Datafolha divulgada ontem pelo jornal Folha de S. Paulo. Mostra que, para a grande maioria dos entrevistados, o ex-presidente Lula agiu certo ao desembarcar em Brasília, no auge da crise que derrubou Antonio Palocci da Casa Civil, e intervir diretamente no governo, para tentar solucionar a primeira grande crise política do governo de sua sucessora.

O resultado da pesquisa indica que, para 64% dos brasileiros, Lula deve mesmo participar das decisões de Dilma, e 80% dos entrevistados acreditam que o ex-presidente já esteja fazendo exatamente isso.

É importante destacar que a pesquisa Datafolha foi realizada na quinta e na sexta-feira da semana passada, ou seja, bem em cima da demissão do ministro Antonio Palocci. E a margem de erro do levantamento, que ouviu 2.188 pessoas em diversas regiões do país, é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Outro detalhe relevante: são os menos escolarizados no país os que mais defendem a participação de Lula nas decisões do governo – 69% deles na faixa do ensino fundamental.

A imagem pessoal da presidente Dilma foi afetada, de acordo com a pesquisa. Houve ainda uma piora generalizada nas expectativas com a economia, principalmente em relação à inflação. A maioria (51%) diz acreditar que a inflação vai continuar subindo. Em março, só 41% acreditavam nisso. Entre os brasileiros que ganham até cinco salários mínimos (R$ 2.725) a percepção de piora nas expectativas de inflação é duas vezes maior do que entre os que recebem acima disso.

Paradoxalmente, porém, a crise que levou à demissão do ex-ministro Antonio Palocci (Casa Civil) e a alta da inflação não tiveram impacto negativo na aprovação do governo Dilma Rousseff. No levantamento anterior, realizado em março, 47% consideravam o governo Dilma como ótimo ou bom. A nova pesquisa, realizada nos dias 9 e 10 de junho, mostra que 49% dos entrevistados pensam assim. Ou seja, a aprovação do governo aumentou 2 pontos.

A pesquisa DataFolha não diz, mas é óbvio que a maioria dos brasileiros hoje desprezam a política e preferem adorar a Lula como se ele fosse um líder messiânico e suprapartidário, ao qual tudo pode ser permitido e que realmente pode fazer o que bem entender. Lula é hoje uma espécie de Antonio Conselheiro sindical, que conseguiu transformar o país num gigantesco povoado de Canudos. Muito interessante e revelador.

Mostra que os brasileiros estão cansados daqueles políticos tradicionais. Preferem alguém mais próximo a eles, que fale e se comporte como eles. Faz sentido.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *