Lula encontra com Molon, do PSB, e fala em aliança para derrotar Bolsonaro em 2022

O deputado Alessandro Molon
Foto: Marcos Ramos / Agência O Globo

Molon, ex-PT, conhece Lula e sabe com quem está tratando…

Augusto Fernandes
Correio Braziliense

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva iniciou sua visita a Brasília esta semana se reunindo com o deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), líder da oposição na Câmara. O encontro foi mais um dentro da agenda de compromissos com políticos de diferentes partidos montada pelo petista mirando uma estratégia para as eleições do ano que vem.

Não à toa, um dos principais tópicos da conversa com Molon foi a construção de uma aliança entre os partidos de oposição para derrotar o presidente Jair Bolsonaro na corrida para o Palácio do Planalto.

A OFERTA DO PT – De acordo com o deputado do PSB, Lula disse que o PT está disposto a abrir mão de disputar as eleições em alguns estados e compor alianças com legendas de esquerda para enfraquecer eventuais candidatos apoiados por Bolsonaro.

Molon também comentou que, caso os partidos progressistas queiram ter sucesso contra o atual presidente em 2022, será fundamental derrotá-lo no Rio de Janeiro.

“Falamos da importância de derrotar o bolsonarismo, sobretudo em seu berço, o Rio de Janeiro. É preciso construir uma frente ampla de partidos para a disputa eleitoral no estado, mesmo que esta aliança seja de partidos que apoiem diferentes candidatos à Presidência da República. Lula manifestou apoio a este tipo de iniciativa e disse que o PT está disposto a abrir mão de lugar nas chapas estaduais em favor de nomes de outros partidos”, frisou o deputado.

AUXÍLIO EMERGENCIAL – Outro assunto que esteve na pauta do encontro entre Lula e Molon foi a assistência financeira para os brasileiros mais humildes em meio à pandemia da covid-19. De acordo com o deputado do PSB, o petista defendeu o restabelecimento do auxílio emergencial a R$ 600 até o fim do ano.

Antes do compromisso com Molon, Lula conversou com o senador Fabiano Contarato (Rede-ES). Ao parlamentar, o ex-presidente também pediu uma mobilização para que o auxílio emergencial volte a ser pago no valor original.

Além disso, Lula convidou Contarato para se filiar ao PT e concorrer ao governo do Espírito Santo no ano que vem. “Eu tenho que analisar, porque estou construindo vários diálogos com partidos com os quais me identifico mais, que são partidos progressistas. Claro que com esse convite formalizado, vamos avaliar com bastante carinho”, disse Contarato.

OUTRAS REUNIÕES – A agenda do petista por Brasília continuará pelo menos até quinta-feira (dia 6). Ele deve se reunir com embaixadores e parlamentares, como os senadores Kátia Abreu (PDT-TO), Otto Alencar (PSD-BA) e Jader Barbalho (MDB-PA).

Além disso, existe a expectativa de uma reunião de Lula com o ex-presidente José Sarney, que semana passada foi visitado pelo presidente Jair Bolsonaro.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Livre, leve e solto, como diria o genial jornalista Nelson Motta, o candidatíssimo Lula investe firme na campanha para voltar ao poder, graças a Fachin, Gilmar & Cia, livre de qualquer ameaça jurídica, como se fosse um cidadão acima de qualquer suspeita, no filme de Elio Petri. Mas era só o que faltava!, diria o Barão de Itararé. (C.N.)

11 thoughts on “Lula encontra com Molon, do PSB, e fala em aliança para derrotar Bolsonaro em 2022

  1. O que me causa estranheza, é o Dr. Moro estar tão calado, sem se manifestar contra o que fez o STF, sem qualquer critica aos ministros que desfizeram a Lava Jato e soltaram o “Barrabas”. Mas aí do Bolsonaro se disser alguma coisa.

    • O meu conterrâneo Vidal está querendo que as estátuas abracem calorosa e afetuosamente aqueles que admiram suas belezas!

      Lula desistir da sua vaidade e megalomania é o mesmo que um cavalo querer latir.

      Mesmo assim, parceiro, seria o mesmo que aconteceu com Ciro na eleição passada.
      Identificou-se em demasia com o PT.
      Quem Lula apoiaria teria o mesmo problema, a meu ver, claro.

      Mais um abraço.

    • Do quê, Ronaldo, que a a verdade nos libertará??

      No Brasil, a verdade nos aprisiona à miséria, à pobreza, ao desemprego, à letalidade e contágio da pandemia!
      Segue nos atrelando à corrupção, a incompetentes, pessoas mal intencionadas e de má fé, vagabundos e criminosos!

      A nossa verdade é como a democracia implantada neste País:
      Falsa, dissimulada, adulterada.

  2. Luladrão está tão sedento que vai quebrar o pote. Acreditando que o mito está morto está pondo a carroça na frente dos bois. Só os muito tolos ou muito hipócritas acreditam que o “líder” vai abrir mão da sua candidatura. em prol da união da esquerda. Todos neste Brasil querem ver o mito de volta para casa, não sou progressista mas adepto do Estado Mínimo quero ver o mito longe do governo. Luladrão alimenta o sonho da falta de memória do povo, vai se arrepender se continuar sonhando de que ainda é o pai dos pobres.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *