Lula enfim decidiu o que vai passar a fazer. Já contratou até os assessores, entre os quais dois ministros. Só falta explicar quem vai bancar as despesas do Instituto da Cidadania que o ex-presidente quer dirigir.

Nogueira Lopes

Felizmente, o presidente Lula já arranjou o que fazer quando deixar o Palácio do Planalto, em 1º de janeiro. Vai se dedicar (diz ele) ao antigo Instituto da Cidadania. É uma organização criada há anos pelo PT e que funcionaria no bairro do Ipiranga, em São Paulo, mas ninguém sabe ao certo se está ou não em atividade.

Se for verdade e Lula se mantiver longe de Brasília, o país poderá ter realmente um novo governo. E a presidente Dilma Rousseff enfim terá condições de dizer a que veio, já que até agora, na escolha dos ministros, só deu Lula, e o governo continua com a cara dele.

O mais interessante é que, ao que parece, o presidente não terá problemas financeiros nesta instituição, pois já recrutou pelo menos quatro integrantes do atual governo para trabalhar com ele – os ainda ministros Luiz Dulci (Secretaria Geral) e Paulo Vannuchi (Direitos Humanos), a assessora especial Clara Ant e o ainda presidente do Sebrae, Paulo Okamotto.

Gostaríamos de saber quem vai pagar essa conta. No caso de Fernando Henrique Cardoso, sabe-se que é a Fundação Ford. No caso de Lula, espera-se que seja alguma instituição privada nacional. Se for o PT, estará havendo desvio de recursos públicos do Fundo Partidário. Vamos aguardar.

UMA BELA LIÇÃO DE NATAL

Aproxima-se o Natal e é tempo de festejar quem realmente pratica o bem, como os ex-alunos que abriram no Colégio Santo Inácio uma Clínica Popular de alto nível, para atender quem não possui plano de saúde. É a realização de um sonho do radiologista Romeu Cortes Domingues, diretor médico de duas clínicas especializadas, que buscou parceiros e conseguiu o apoio da Kodak, da GE e de outras empresas da área de saúde.

Para se ter uma idéia, exames que custam cerca de R$ 850,00 são feitos por R$ 120,00. Os médicos que trabalham são todos voluntários e nada recebem. O valor cobrado nos exames destina-se às despesas com aluguel, empregados e materiais. Até o aparelho de ressonância foi comprado pelos médicos em rateio. Um belo trabalho, não?

Repassem para todos que necessitam de ressonância magnética, ultra-som e mamografia e não podem pagar A Clínica Popular fica na Rua São Clemente, 216 – Botafogo – RJ. Confiram o site deles: www.imagemsolidaria.com.br

PRIVACIDADE ESCANCARADA

Os artistas reclamam quando os jornalistas invadem a privacidade deles. Esquecem que muitas vezes essa tal “invasão” é causada pelos próprios artistas, como está ocorrendo no caso de Reynaldo Gianecchini. Em entrevista à ex-mulher, Marília Gabriela, ele próprio tomou a iniciativa de falar sobre o suposto golpe que teria sofrido por parte de um ex-funcionário para quem doou um apartamento no Rio de Janeiro.

Quando os dois se desentenderam e Gianecchini tentou retomar o imóvel, o ex-funcionário argumentou que o apartamento tinha sido dado de presente,  porque os dois mantinham um relacionamento amoroso.

“É uma história que eu quero explicar muito. Ele era meu administrador, não agente. Uma pessoa que eu imaginei que pudesse contar para sempre. Mas não posso ficar falando, pois ainda está em juízo”, admitiu o ator, botando ainda mais lenha na fogueira que alimenta a imprensa sensacionalista.

MICHAEL JACKSON EM PAZ

Milhares de fãs de Michael Jackson estão passando um abaixo-assinado na Inglaterra para impedir que o Discovery Channel transmita um documentário sobre a autópsia do rei do pop, morto em junho de 2009. Os fãs consideram o programa “uma afronta à dignidade humana” e estão recolhendo assinaturas pela internet. “Deixem Michael Jackson em paz”, exigem.

O documentário especial, chamado “O que realmente matou Michael Jackson” vai reconstituir a autópsia do cantor com base em documentos oficiais e depoimentos de testemunhas. O documentário deve ir ao ar dia 13 de janeiro, no Reino Unido. Depois vai correr o mundo.

EINSTEIN, MORALMENTE CORRETO

Por fim, com a aproximação do Natal, é sempre bom lembrar esta frase genial do físico Albert Einstein: “Não basta ensinar ao homem uma especialidade, porque se tornará assim uma máquina utilizável e não uma personalidade. É necessário que adquira um sentimento, senso prático daquilo que vale a pena ser empreendido, daquilo que é belo, do que é moralmente correto”.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *