Lula já chega a 39%, aponta Datafolha; sem ele, Jair Bolsonaro lidera com 22%

Resultado de imagem para Lula na frente charges

Charge do Sponholz (sponholz.arq.br)

Igor Gielow
Folha

Preso condenado por corrupção e virtualmente inelegível, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem 39% das intenções de voto na primeira pesquisa do Datafolha realizada após os registros das 13 candidaturas ao Palácio do Planalto. No cenário mais provável, já que a condenação em segunda instância enquadra o petista na Lei da Ficha Limpa e deverá provocar sua inabilitação, o deputado Jair Bolsonaro (PSL) surge à frente da disputa, com 22%.

O Datafolha ouviu 8.433 pessoas em 313 municípios, de 20 a 21 de agosto. A margem de erro do levantamento, uma parceria da Folha e da TV Globo, é de dois pontos percentuais para mais ou menos.

BOLSONARO – Na simulação da disputa com Lula, Bolsonaro mantém uma estabilidade no seu eleitorado, com 19% no segundo lugar. Aparecem embolados no terceiro posto Marina Silva (Rede, com 8%), Geraldo Alckmin (PSDB, 6%) e Ciro Gomes (PDT, 5%).

Sem Lula, Marina e Ciro dobram suas intenções de voto, ficando atrás de Bolsonaro com 16% e 10%, respectivamente. Alckmin também sobe para 9%, empatando na margem com Ciro.

Com o petista no páreo, brancos e nulos somam 11%, com 3% de indecisos. Sem ele, os índices sobem respectivamente para 22% e 6%.

HADDAD – O nome ungido por Lula para substitui-lo em caso de inabilitação, o de seu candidato a vice Fernando Haddad (PT), não tem uma largada muito promissora na missão de herdar votos do mentor: tem apenas 4%, empatado com o senador Alvaro Dias (Podemos), no cenário sem o ex-presidente.

A explicação para isso pode estar no fato de que 48% dos ouvidos não votaria num candidato indicado por Lula. Já 31% o fariam, enquanto 18% anotam um “talvez” quando questionados sobre o tema.

Por fim, Haddad tem um potencial: não é conhecido por 27% dos eleitores, contra 59% que já ouviram falar do ex-prefeito paulistano. Em comparação, Lula é conhecido de 99% dos ouvidos, Marina, por 93% e Alckmin, por 88%. Assim, Haddad registra baixa rejeição: 21%.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
É pena que o Datafolha também comece a esconder a realidade, ocultando a pesquisa espontânea, a primeira a ser feita, sem a menor indução, que se pergunta: “Em quem você vai votar para presidente?”. Simples assim. Mas esta pergunta parece não ter a menor importância para os “analistas” do Datafolha. É decepcionante este tipo de “pesquisa”. (C.N.)

39 thoughts on “Lula já chega a 39%, aponta Datafolha; sem ele, Jair Bolsonaro lidera com 22%

    • Só os imbecis nao vêm que as promessas são as mesmas de eleições passadas. . Mais do mesmo. A cada quatro anos as mesmas quadrilhas se revezam no assalto aos cofres públicos.

    • By the way, como está a investigação sobre o detestado Toffoli? O cara, mesmo com a pecha de incompetente para o cargo e com transações aparentemente ilegais (receber 100 mil por mes da mulher e não declarar) ainda insiste em nos agredir soltando o ladrão safado Dirceu. Quando a PGR vai reagir?

      • À VISTA DOS RESULTADOS DAS TAIS PESQUISAS, VÊ-SE QUE OS ADVERSÁRIOS DE LULA (RÉU PRESO) TROCADOS POR TITICA SAEM CAROS DEMAIS, todos juntos perdem de goleada até mesmo para um “NeoBarrabás”, açoitado diariamente em praça pública pelos seus inimigos, com o seu povo buscando desesperadamente libertá-lo. Os adversários de Lula deveriam desocupar a moita, a medida em que todos juntos não somam sequer um que seja páreo para o Lula nem mesmo colocado na cadeia à moda presidiário. Fala sério, Tião Carreiro, que país é esse ? ” A coisa tá feia, a coisa tá preta, quem não for filho de Deus tá na unha dos capeta$”. As tais pesquisas, por seu turno, enquanto “arte de torturar os números até que eles confessem o resultado desejado pelo torturador”, agora deram de escamotear os votos brancos, nulos e abstenções, e assim esconder a realidade como ela realmente é, com a mídia nazifascista do sistema podre agora em estado de demência, ao que parece, depois de nos mostrar à larga o sistema podre, tentando nos obrigar a votar “válido” no sistema podre, repercutindo a exaustão à moda lavagem cerebral as tais pesquisas torturantes, que passaram a escamotear e sacanear os votos brancos, nulos e abstenções, enquanto tendência lógica e natural contra o continuísmo do sistema podre, voltando a carga na antiga condição de tentáculos velhaco$ do sistema podre que busca conduzir a população à moda gado às fazendas que lhes convém.

  1. O duelo de Marina e Bolsonaro entre homens e mulheres
    O Antagonista

    Jair Bolsonaro supera Marina Silva entre os homens pelo placar de 30% a 13%, segundo o Datafoha.

    Enquanto o Ibope dava empate técnico dos dois entre as mulheres, Marina supera Bolsonaro nesse segmento no Datafolha pelo placar de 19% a 14%.

    Como a margem de erro é de apenas 2 pontos percentuais para cima ou para baixo, a candidata da Rede fica, portanto, 1 ponto acima do limite, descolando-se do presidenciável do PSL.

    Seguem os resultados pelo perfil do eleitorado.

    Masculino:

    Jair Bolsonaro: 30%
    Marina Silva: 13%
    Ciro Gomes: 11%
    Geraldo Alckmin: 8%
    Fernando Haddad: 5%

    Alvaro Dias: 4%
    João Amoêdo: 2%
    Henrique Meirelles: 2%
    Vera: 1%
    Cabo Daciolo: 1%
    Guilherme Boulos: 1%
    João Goulart Filho: 1%
    Eymael: 0%
    Em branco/ nulo/ nenhum: 18%
    Não sabe: 3%

    Feminino:

    Marina Silva: 19%
    Jair Bolsonaro: 14%
    Ciro Gomes: 9%
    Geraldo Alckmin: 9%
    Alvaro Dias: 4%
    Fernando Haddad: 3%
    João Amoêdo: 2%
    Henrique Meirelles: 1%
    Vera: 1%
    Cabo Daciolo: 1%
    Guilherme Boulos: 1%
    João Goulart Filho: 1%
    Eymael: 0%
    Em branco/ nulo/ nenhum: 25%
    Não sabe: 9%

  2. Por faixa etária, Marina só tem empate técnico com Bolsonaro de 45 a 59 anos
    O Antagonista

    Jair Bolsonaro supera numericamente Marina Silva em todas as faixas etárias, mas a candidata da Rede consegue um empate técnico com o presidenciável do PSL entre eleitores de 45 a 59 anos. Eis os números do Datafolha:

    16 a 24 anos:

    Jair Bolsonaro: 28%
    Marina Silva: 21%
    Ciro Gomes: 8%
    Geraldo Alckmin: 5%
    Alvaro Dias: 4%
    Fernando Haddad: 4%
    João Amoêdo: 2%
    Henrique Meirelles: 2%
    Vera: 2%
    Cabo Daciolo: 2%
    Guilherme Boulos: 2%
    João Goulart Filho: 1%
    Eymael: 0%
    Em branco/ nulo/ nenhum: 14%
    Não sabe: 4%

    25 a 34 anos:

    Jair Bolsonaro: 25%
    Marina Silva: 18%
    Ciro Gomes: 8%
    Geraldo Alckmin: 8%

    Fernando Haddad: 5%
    Alvaro Dias: 3%
    João Amoêdo: 2%
    Henrique Meirelles: 1%
    Vera: 1%
    Cabo Daciolo: 1%
    Guilherme Boulos: 1%
    João Goulart Filho: 1%
    Eymael: 0%
    Em branco/ nulo/ nenhum: 23%
    Não sabe: 2%

    35 a 44 anos:

    Jair Bolsonaro: 24%
    Marina Silva: 15%
    Ciro Gomes: 12%
    Geraldo Alckmin: 10%
    Alvaro Dias: 3%
    Fernando Haddad: 3%
    João Amoêdo: 2%
    Henrique Meirelles: 1%
    Cabo Daciolo: 1%
    Guilherme Boulos: 1%

    Vera: 0%
    João Goulart Filho: 0%
    Eymael: 1%
    Em branco/ nulo/ nenhum: 22%
    Não sabe: 6%

    45 a 59 anos:

    Jair Bolsonaro: 17%
    Marina Silva: 15%
    Ciro Gomes: 11%
    Geraldo Alckmin: 9%
    Alvaro Dias: 5%
    Fernando Haddad: 4%
    Henrique Meirelles: 2%

    João Amoêdo: 1%
    Vera: 1%
    Cabo Daciolo: 1%
    João Goulart Filho: 1%

    Guilherme Boulos: 0%
    Eymael: 0%
    Em branco/ nulo/ nenhum: 25%
    Não sabe: 7%

    60 anos ou mais:

    Jair Bolsonaro: 17%
    Marina Silva: 12%
    Ciro Gomes: 11%
    Geraldo Alckmin: 11%
    Alvaro Dias: 6%
    Fernando Haddad: 4%

    Henrique Meirelles: 2%
    João Amoêdo: 1%
    Vera: 1%
    Cabo Daciolo: 1%
    João Goulart Filho: 1%

    Guilherme Boulos: 0%
    Eymael: 0%
    Em branco/ nulo/ nenhum: 23%
    Não sabe: 11%

  3. Em escolaridade, Marina só supera Bolsonaro entre eleitores com ensino fundamental
    O Antagonista

    Jair Bolsonaro supera Marina Silva entre eleitores com ensino médio (27% a 17%) e também entre eleitores com ensino superior (27% a 12%). Em matéria de escolaridade, Marina só supera o deputado entre eleitores com ensino fundamental (18% a 13%).

    Seguem os resultados do Datafolha nesses segmentos.

    Fundamental:

    Marina Silva: 18%

    Jair Bolsonaro: 13%
    Ciro Gomes: 11%
    Geraldo Alckmin: 10%
    Alvaro Dias: 4%
    Fernando Haddad: 2%

    Henrique Meirelles: 2%
    João Amoêdo: 1%
    Vera: 1%
    Cabo Daciolo: 1%
    Guilherme Boulos: 1%
    João Goulart Filho: 1%
    Eymael: 0%
    Em branco/ nulo/ nenhum: 25%
    Não sabe 10%

    Médio

    Jair Bolsonaro: 27%
    Marina Silva: 17%
    Ciro Gomes: 9%
    Geraldo Alckmin: 8%
    Alvaro Dias: 4%
    Fernando Haddad: 3%
    João Amoêdo: 1%
    Henrique Meirelles: 1%
    Vera: 1%
    Cabo Daciolo: 1%
    Guilherme Boulos: 1%
    João Goulart Filho 0%
    Eymael: 0%
    Em branco/ nulo/ nenhum: 22%
    Não sabe: 4%

    Superior

    Jair Bolsonaro: 27%
    Marina Silva: 12%
    Ciro Gomes: 10%
    Fernando Haddad: 9%

    Geraldo Alckmin: 8%

    Alvaro Dias: 5%
    João Amoêdo: 5%

    Guilherme Boulos: 2%
    Henrique Meirelles: 1%
    Cabo Daciolo: 1%

    Vera: 0%
    João Goulart Filho: 0%
    Eymael: 0%
    Em branco/ nulo/ nenhum: 15%
    Não sabe: 3%

  4. Certamente são fajutas essas pesquisas eleitorais. Afinal colocam Lula em ótima situação, mesmo já tendo sido condenado em segunda instância. Os indivíduos consultados nessas pesquisas não podem ser tão ignorantes perante algo já tão amplamente conhecido.

  5. O duelo de Marina e Bolsonaro em religião
    O Antagonista

    Em matéria de religião (ou não) do eleitorado, Jair Bolsonaro está numericamente à frente de Marina Silva em todos os grupos identificados pelo Datafolha, mas há empate técnico entre católicos (19% a 15%, no limite da margem de erro de 2 pontos) e entre eleitores de Umbanda, Candomblé ou outras religiões afro-brasileiras (12% a 10%).

    Entre ateus, Bolsonaro está 19 pontos à frente de Marina (26% a 7%); entre espíritas Kardecistas, espiritualistas, 14 pontos (24% a 10%); entre evangélicos, 9 pontos (26% a 17%); e entre os que não têm religião ou são agnósticos, 8 (23% a 15%).

  6. As pesquisas de opinião, para efeito de resultado, consideram como universo o total de eleitores aptos para votar, portanto o percentual atribuído a cada candidato é relativo aos 147.302.354 eleitores nessas condições hoje. Então vamos ver quais foram os resultados do presidiário referentes ao 1º turno nas duas eleições em que se elegeu presidente:
    2002 – 34% dos votos;
    2006 – 37% dos votos.
    Quer dizer que hoje, preso e mais sujo que pau de galinheiro, neguinho vai querer me enganar que ocriminoso tem 39%?
    Ora, vão tomar no centro que é para não gastar as beiradas!

  7. Até parece que consumir um loló, como se dizia antigamente.

    Alguém aí me belisque, mentalmente é claro, será que é verdade que moramos no planeta terra, especificamente no Brasil?

    Socorro…..

  8. PT é nanico sem o presidiário
    O Antagonista

    O PT não existe.
    Fernando Haddad tem 4% dos votos.

    Em São Paulo, o candidato ao governo, Luiz Marinho, também aparece 4%.
    No Rio de Janeiro, Márcia Tiburi chega a inacreditáveis 2%.
    No Distrito Federal, Júlio Miragaya (?) tem 3%.

    O PT é nanico sem o presidiário

  9. A DataFake insiste em incluir o ladrão encarcerado mesmo sabendo que ele é inelegível e deve pegar mais cadeia após as eleições. A Folha, por sua vez, continua na luta para manter os criminosos esquerdistas no poder. Por que eu não sei. Ou sei?

  10. Marina só supera Bolsonaro no Nordeste; no Sul, deputado dispara
    O Antagonista

    Por região, Marina Silva só supera Jair Bolsonaro no Nordeste, pelo placar de 19% a 14%, segundo o Datafolha. O cearense Ciro Gomes também aparece com 14%, empatado com Bolsonaro.

    No Norte, a acreana Marina consegue um empate técnico com Bolsonaro, embora numericamente atrás do presidenciável do PSL: 26% a 23%.

    No Sul, Bolsonaro aparece 20 pontos à frente de Marina: 30% a 10%. Ela ainda fica numericamente atrás do paranaense Alvaro Dias, que aparece com 13%, em empate técnico com a candidata da Rede. Apesar da vice Ana Amélia, do PP do Rio Grande do Sul, Geraldo Alckmin, com 6%, fica atrás até de Ciro Gomes, que tem 8%.

    No Sudeste, Bolsonaro, deputado federal pelo Rio de Janeiro, supera Marina por 22% a 16%, enquanto Alckmin, ex-governador de São Paulo, aparece numericamente atrás, com 12%, mas em empate técnico com a candidata da Rede, no limite da margem de erro.

    No Centro-Oeste, Bolsonaro supera Marina por 29% a 16%.

  11. Na eleição de 2002, Lula teve 34% dos votos dos eleitores do país no primeiro turno.

    Na eleição de 2006, Lula teve 36% dos votos dos eleitores do país no primeiro turno. E com tudo a favor.

    Afirmar que hoje Lula tem mais que isso é patético. Só imbecis acreditam nisso. Hoje existe internet. “É só conferir”.

  12. Basta conferir a última eleição realizada agorinha mesmo em 03 de junho de 2018 para governador em Tocantins.
    O Ibope dava na pesquisa feita 3 semanas antes o seguinte resultado:
    1º – Katia Abreu (PDT) 22%
    2º – Carlos Amastha (PSB) 15%
    3º – Vicentinho (PR) 15%
    4º Mauro Carlese (PHS) 10%
    Resultado da apuração:
    1º – Mauro Carlese (PHS) 30,3%
    2º – Vicentinho (PR) 22,2%
    3º – Carlos Amastha (PSB) 21,4%
    4º – Kátia Abreu (PDT) 15,6%
    Para um eleitorado de apenas 1 milhão de eleitores , erros grosseiros invertendo tudo. Acredite quem quiser.

  13. TRAGÉDIA POLÍTICA: Esta eleição brasileira abriga mais radicalismos que as anteriores e isso é algo a se considerar. Ela pode se tornar um desafio enorme para os institutos de pesquisa, pois em eleições muito apertadas o voto envergonhado pode fazer a diferença. http://www.tribunadainternet.com.br/vai-ser-a-eleicao-do-celular-contra-a-televisao-diz-analista-eleitoral-do-ideabigdata/#comment-575465

    QUEM TEM MEDO DE CIRO GOMES? Eu vi a geral do Ibope, por estado, Ciro está crescendo em todas as regiões do país. É algo consistente, creiam, o pedetista vai pras cabeças e adiante poderá figurar num fictício “empate técnico” com outros dois ou três concorrentes (ambiente propício à fraude eletrônica). Na simulação do Ibope (sem Lula) Ciro explode no Ceará com 39% seguido de Bolsonaro 14%, Marina 11%, Alckmin 5% e Haddad 2%. Na média dos estados pesquisados, no Nordeste, dá Ciro com 24,39%, Bolsonaro 13,74%, Marina 12,29%, Alckmin 5,71% e Haddad 2,12%. Isto me basta para supor que o ex-presidente ainda pode ser mantido no páreo mediante liminar concedida pelo sistema, jogando a confusão para o segundo turno. Com o Lula no páreo a definição segue sub judice, após haver inviabilizado a unidade das esquerdas em favor de um candidato livre dessas tramóias judiciais, aparentando que se entregou para interferir nefastamente da prisão no processo sucessório (tragado pelo sistema). http://www.tribunadainternet.com.br/vai-ser-a-eleicao-do-celular-contra-a-televisao-diz-analista-eleitoral-do-ideabigdata/#comment-575465

    TÁTICA PETUCANA: Há um acordão entre FHC e Lula, pelo qual Haddad seria substituto do petista na corrida presidencial (como de fato está escalado) e Josué Alencar entraria na vice de Alckmin (só que este pulou fora quando veio à público as ingerências lulistas via Valdemar Costa Neto). Queiram ou não reconhecer, Ciro se contrapõe a esta disputa de aparências entre os mestres da USP. https://istoe.com.br/temer-e-bola-de-ferro-no-pe-de-alckmin-diz-haddad/

  14. O editor Carlos Newton está correto em seu comentário, pois o que realmente tem sentido é a pergunta espontânea, sem apresentar antecipadamente nomes.
    A explicação para os percentuais na pesquisa estimulada (que mostra os nomes) é que grande parte das respostas é pela opção dos nomes que as pessoas “conhecem” ou “se lembram mais”. Daí vem o percentual de Lula.
    Se colocassem, por exemplo, nessa pesquisa estimulada, o nome de Pelé, certamente ele teria um percentual muito maior que o de Lula.

  15. Otário é quem acredita em pesquisa. Ainda mais otário é quem acredita em pesquisa com presidiário.
    #BrasilAcorda – Para legitimar mais uma fraude nas apurações dos votos das urnas inauditáveis da Smartmatic é necessário uma pesquisa…
    #LulaÉPresidiário #LulaFichaSuja #PorissoVotoBolsonaro17

  16. E a Globo criou um departamento para combater as fake news, sendo que primeiro coloca que o condenado tem 39% de intenção de votos e depois mostra os vídeos das pessoas que querem um Brasil sem corrupção.
    Algo está errado: o mesmo povo que diz na pesquisa que vota no condenado é o mesmo que posta video contra a corrupção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *