Lula mandou demitir Graça Foster, e Dilma tem de obedecer

Carlos Newton

A confusão no Triângulo das Bermudas (Planalto, PT e Instituto Lula) é como a antiga anistia – ampla, geral e irrestrita. Em meio à derrocada do esquema de sustentação do poder via corrupção na Petrobras e em outras fontes como o mensalão, a presidente Dima Rousseff agora se omite e deixa o barco ir à matroca, como se dizia antigamente, enquanto um desgastado e repetitivo Lula volta à cena para retomar indiretamente o poder e mostrar quem está no comando.

Depois do desmoralizante discurso do procurador-geral Rodrigo Janot, Lula já mandou a ex-gerentona demitir a diretoria da Petrobras e ela vai obedecer, claro. Mas Dilma está na mesma situação que enfrentou no Ministério da Fazenda. Também no caso da Petrobras, ela procura um nome de respeito, que inspire confiança e seja inacatável, mas não encontra ninguém que aceite o sacrifício. Portanto, da mesma forma como Lula mandou que Dilma aceitasse Joaquim Levy, que estava no terceiro escalão do Bradesco, agora ele vai indicar o novo presidente da Petrobras.

“GABINETE DA CRISE”

Ao mesmo tempo, o ex-presidente quer preencher todos os espaços, mudar a direção do PT e criar no partido o que ele intitulou de “gabinete da crise”, embora nem mesmo ele saiba o que seja isso e como funcionaria, é apenas um “factóide”.

O fato que desponta sem a menor dúvida é que Dilma Rousseff naufragou. Quando se pensava que ela enfim iria se consolidar no poder, livrando-se da incômoda e persistente influência de Lula, ocorre justamente o contrário. A criatura se mostra fraca e omissa, o criador agradece e retoma o poder.

Mas a realidade é dura. Por mais que Lula tente consertar as coisas, a situação já fugiu inteiramente ao controle, o prestígio do governo junto à opinião pública independente, digamos assim, já é zero. A grande imprensa mostra um governo em ruínas, em meio a uma gravíssima crise econômica e moral. O governo só é defendido pelos sites e blogs sustentados pela máquina federal, via Petrobras (olha ela aí de novo!), Banco do Brasil e Caixa Econômica. E a tendência é piorar.

21 thoughts on “Lula mandou demitir Graça Foster, e Dilma tem de obedecer

  1. Sr. Newton, lamentavelmente, seus artigos, estão corretos, em mostrar a podridão em que o Brasil está mergulhado. Esse povo roubado pelos 3 podres poderes, vai afundar ainda mais na pobreza e miséria, pois, para ser “ladrão impune do cofre público” basta saber mentir hipocritamente, e ganhar um mandato politico, aí a “festa está feita”, ficará com imunidade, forum especial e prescrição do dinheiro roubado, e o cidadão(ã) babaca, ficarpa, com Educação, Saúde, Segurança, Transporte, etc. no CAOS, e não terá o Direito de reclamar, pois, continua a eleger ladrões, e a prova está aí: mensalão- milhões, Petrobras: bilhões, se partir para outras empresas públicas, é o mesmo panorama, “somos politicos, temos mandato do Zé e Maria palhaço idiota” para roubar, pois, eles são mazoquistas, mulher de malandro, quanta mais porrada levam, mais feliz se sentem!!!. e ficam satisfeitos com as esmolas das cestas e cotas.
    Peço diariamente à DEUS que proteja e ilumine o JUIZ Sergio Moro e Equipe, que esse jovem JUIZ, sirva de exemplo aos jovens e velharia de juizes (que usam outros titulos), o QUE É SER JUIZ.
    DEUS PAI, JESUS, SOCORRA POR ACRESCIMO DE MISERICÓRDIA, NOSSO POVO, QUE AMA A PAZ.

  2. DEFESA DA PETROBRAS CONTRA AS AVES DE RAPINA

    Em sua Carta Testamento o Presidente Getúlio Vargas, que deixou a vida para entrar na história em 24/08/1954, mostra como a cobiça estrangeira pelo petróleo brasileiro vem de longe aliada a grupos nacionais revoltosos: “Quis criar liberdade nacional na potencialização das nossas riquezas através da Petrobrás e, mal começa esta a funcionar, a onda de agitação se avoluma”. Desde 1953, a Petrobras é vítima de sistemáticas campanhas que visam desacreditá-la e o mais preocupante é que chega agora em meio à sua maior crise de credibilidade, quando é preciso maiores cuidado e discernimento em defesa da empresa no combate aos corruptos e corruptores. Que tudo seja apurado com absoluto rigor pela Polícia Federal ou por suspeito Congresso em vias de ser “renovado”, que no passado não só vendou olhos à corrupção quanto foi capaz de se envolver em golpismos exaltando meias verdades ou mentiras completas como fez depondo os presidentes Fernando Collor (1992) ou João Goulart (1964), respectivamente.

    Livrar a Petrobrás de ingerências empresariais e políticas nocivas a seu desempenho satisfatório e ao país é o caminho, a designação de diretores com notório conhecimento e especializados para as respectivas áreas, além do fundamental que é credibilidade acima de quaisquer suspeitas. Se assim proceder a presidente Dilma Rousseff ganha apoio dos brasileiros e atende ao clamor de servidores vinculados à Associação dos Engenheiros da Companhia (AEPET), como copio do link a seguir: http://www.aepet.org.br/site/noticias/pagina/11413/Manifesto-em-defesa-da-Petrobras-livre-das-nomeaes-polticas – “Nós, empregados da Petrobrás, estamos absolutamente indignados e impactados com as recorrentes notícias negativas sobre a Companhia veiculadas pelos meios de comunicação. Como cidadãos brasileiros e empregados da maior Empresa da América Latina, repudiamos veementemente qualquer tentativa de envolvê-la em negócios estranhos que prejudiquem seus interesses e seu desenvolvimento”.

    O diretor do Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro (Sindpetro-RJ), Emanuel Cancella, alerta que a campanha midiática pela desmoralização da Petrobrás “tem o dedo da CIA, em conluio com as multinacionais de petróleo e parte da Opep”, que “atuam no sentido de inviabilizar as economias dependentes do petróleo, principalmente Rússia, Venezuela, Irã mas também o Brasil”. Ele lembra que o preço do barril despencou de U$ 120 no mercado internacional para U$ 66, apesar de que “todos os analistas de geopolítica do mundo apostavam que o petróleo nunca mais romperia, para menos, a barreira dos U$ 100 o barril, principalmente considerando que a produção alcançou seu ápice”.

    Cancella enfatiza que os indícios desse conluio já podiam ser observados em publicações como Folha de São Paulo, de 13/12/10: “petroleiras foram contra novas regras para pré-sal…”. A matéria revela ainda que influentes políticos da oposição como José Serra assumiram compromisso com os interesses estrangeiros, para alterar as regras sobre o petróleo caso fossem eleitos. Aliás o WikiLeaks já divulgara documento secreto americano antevendo risco de aflorar “o sentimento de nacionalismo nos brasileiros”. E é visível na grande mídia, com a majestosa TV Globo à frente, o direcionamento em sentido contrário apostando no baixo astral do povo brasileiro e na divisão do país.

    O GOVERNO Dilma deve apertar o cerco contra essas aves de rapina denunciadas por Getúlio em sua Carta, cooperando eficazmente para a apuração das irregularidades e prisão dos envolvidos em falcatruas ou “mal feitos” na administração pública e especialmente na Petrobras, como ela gosta de mencionar, sem paralisar as obras em andamento no setor petroquímico, que como diz Cancella “é o mais lucrativo da indústria do petróleo e o refino, diferentemente da prospecção que é de risco, pois um poço perfurado pode não conter petróleo”. E no refino, sublinha ele, “o lucro é permanente, gerando emprego e renda e arrecadação de impostos para União, estados e municípios”. Um governo dito brasileiro deixa de agir se quiser, por conluio ou falta de coragem.

    • Decididamente não entendo este tipo de manifestação em defesa da Petrobrás!
      A meu ver, o correto seriam campanhas de protestos pelos diretores nomeados pelo PT e que acarretaram prejuízos incalculáveis à estatal!
      O viés que querem estabelecer de, dedo da CIA, das concorrentes internacionais, que desejam ver a empresa brasileira perdendo seu valor de mercado, é absolutamente quixotesco.
      Ora, a lista de nomes – trinta e seis – envolvidos no desfalque à Petrobrás, desmente categoricamente esta tese, pois absurda e inverossímil, haja vista não haver qualquer pessoa que estivesse ligada com a agência americana e outras poderosas refinarias, como querem nos fazer crer nesta versão.
      A verdade é uma só:
      A culpa pela situação da estatal é do PT!
      E, se porventura, a hipótese se concretizar de espiões e sabotagens advindas do exterior, a conclusão é lógica:
      Também pertenciam ao PT, que se venderam para os interesses estrangeiros entregando de bandeja a Petrobrás!
      Agora, vamos e venhamos, os autores desse tipo de texto querendo isentar a má administração da presidente Dilma com relação à gigante brasileira e responsável pela escolha dos diretores da empresa, que desserviço estão prestando ao País.
      Que falta de consciência cívica e de cidadania, por favor!

      • Concordo plenamente, não se defende uma instituição jogando o lixo debaixo do tapete e sim no lixo. Quanto mais a corrupção demora para ser combatida mais danos ela provoca.

    • Na realidade foram 54 milhões de votos “supostamente” digitalizados, pois a tal auditoria nas urnas funerárias não ocorreram e o fato morreu como tudo que é relativo aos poderosos coronéis.
      Aonde estarão estes milhões de “supostos” defensores deste novo (?) governo?
      Existem? Só queriam a bolsinha? Estarão perdidos pelos rincões de miséria onde , estatisticamente, são a classe média do IBGE?
      Quando o din-din da cerveja faltar e, em janeiro, chegar a fatura do cartão, aí começaremos a ver aonde se escondem estes 54 milhões.

  3. Como um papagaio, repete termos aprendidos recentemente (“o fato concreto”), Agora fala em “gabinete de crise”. Crise? Que crise? Não há crise nenhuma! Afinal, o pete está no comando, não é mesmo? Melhores quadros que estes não há. Competentes, estudados, éticos, honestos… Nada existe de melhor.

    • A propósito meu caro Shcoss, afoto 2,ondeaparece os dois “manos” de bonezinho do Papa,é a melhor forma de constarque osdois estão alinhados com o”Clubinho do Bolinha”……
      eh!eh!eheh

  4. O prezado Walmor Stédile, até um cento ponto tem razão, só que
    esqueceu de ir na raiz da desmoralização e descrédito da Petrobrás. Foi o governo do PT (Lula e Dilma) que deram motivos para a mídia
    e multinacionais estrangeiras se empenharem na desmoralização da
    Petrobrás. O que fazer, calarem-se todos mediante tamanha corrupção?
    Só há uma maneira de uma verdadeira limpeza, não só na Petrobrás, mas
    em quase todos os órgãos públicos, começando pelo: fora PT.

  5. Nos negócios, quando uma empresa vacila, as outras tomam conta. Isto é regra e muito bem vinda. Quem não tem competência não se estabelece.
    Se a Petrobras e as outras 119 estatais brasileiras só sobrevivem por causa do caixa do governo (nós), a culpa não é dos estrangeiros. A culpa é NOSSA !!!
    Agora que o Lulla ajudou o FMI com grana, pararam de culpar o FMI por tudo que de mal acontece.
    Esse nacionalismo tupiniquim está sempre procurando um bode expiatório para justificar nossa incompetência, resultado de um sistema de governo errado desde o nascimento.
    Quando vamos crescer e enfrentar nossas cretinices ?

  6. Francisco Bendl tem razão: a culpa pela situação da Petrobras é do PT.

    Foram os “governos” do Partido dos Trambiqueiros (PT) que destruiram a Petrobras, Lula de sua “gerentona” de araque, a que ele garantia que faria um “governo” melhor que o dele.

    Eles são os culpados pela dívida global da Petrobras ter ultrapassado a US$ 110 bilhões, cerca de um terço das reservas cambiais do Brasil.

    Os que cometeram os delitos devem ser PUNIDOS.

    E nós, brasileiros, hoje acreditamos que a Justiça (norte-americana, é claro) será rigorosa em punir os ASSALTANTES da Petrobras, membros ou não da diretoria da empresa quase falida.

  7. às vezes, de quem menos se espera, saem palavras sábias (apesar de seu autor):

    “SE VOCÊ TIVER UMA FAZENDA E, NA HORA DA COLHEITA, TIVER QUE OPTAR ENTRE UM ADMINISTRADOR PETISTA E UM A NUVEM DE GAFANHOTOS, FIQUE COM OS GAFANHOTOS”. Paulo Salim Maluf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *