Lula não fala, Dirceu não fala, Demóstenes não fala, Cachoeira não fala. É a conspiração do silêncio.

Carlos Newton

Muito interessante o raciocínio de Marcelo Mafra, em artigo aqui na Tribuna sobre a estratégia de Lula ao procurar os ministros do Supremo junto com os “padrinhos” deles, que os indicaram para o tribunal.

Mafra observou que o próprio ministro Ayres Brito confirmou que Lula lhe dissera recentemente que gostaria de se reunir com ele e seu “padrinho” de indicação para o STF, o jurista Celso Antonio Bandeira de Mello, para tomarem um vinho.

Destacou também que o “padrinho” da indicação de Gilmar Mendes para o Supremo, quando Fernando Henrique Cardoso era presidente, foi exatamente o ex-ministro Nelson Jobim, que armou o encontro de Mendes com Lula em seu escritório. E salientou que também na conversa apareceu também a iniciativa de se usar o “padrinho” da indicação da ministra Carmen Lúcia, que foi o ex-ministro Sepúlveda Pertence.

Assim, Marcelo Mafra trouxe a público a estratégia de Lula de uma forma tão precisa e insofismável, que nem cabem desmentidos. Por isso, o ex-presidente continua calado, não dá uma palavra sobre o assunto. Chega a ser constrangedor.

Da mesma forma, o ex-ministro José Dirceu também começa a usar a estratégia do silêncio. Depois de passar anos e anos alardeando que queria pressa do Supremo e seu interesse seria de provar sua inocência o mais rapidamente possível (recordar é viver), repentinamente, tudo mudou.

Perguntado se tinha conhecimento da conversa entre o ex-presidente Lula e o ministro Gilmar Mendes, na qual, segundo a revista “Veja”, Lula tentou pressionar o ministro para adiar o julgamento do mensalão, Dirceu afirmou que estava proibido por seu advogado de dar qualquer declaração.

“Não vou falar do meu processo e nem do julgamento (referindo-se ao  mensalão) porque foi a ordem que recebi dos meus advogados”, declarou Dirceu, ao participar da mesa de debates do 14º Congresso Estadual da CUT, (Central Única dos Trabalhadores). Ele mesmo disse que o mensalão era o assunto que todos estavam esperando, mas repetiu que não falaria nada sobre o julgamento.

Lula não fala, José Dirceu não fala, Demóstenes Torres não fala, Carlinhos Cachoeira não fala. Será que os ”padrinhos” deles falariam?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *