Luta dos candidatos é para saber quem enfrentará Bolsonaro no segundo turno

Resultado de imagem para candidatos contra bolsonaro charges

Charge do Kacio (Arquivo Google)

Pedro do Coutto

O tema do título é uma síntese da estratégia adotada até aqui pelos candidatos, em matéria de ocupação nas redes sociais para passar ao segundo turno. Reportagem de Pedro Venceslau, Adriana Ferraz e Vera Rosa, edição de ontem de O Estado de São Paulo, destaca o posicionamento dos principais candidatos, buscando passagem para o segundo turno a 28 de outubro. A conclusão é a de que ninguém poderá vencer num turno só, marcado para 7 de outubro, e assim todos se empenham para figurarem na corrida do desfecho final.

Com base na pesquisa realizada pelo Ibope para a TV Globo e o jornal Estadão, por exemplo, Geraldo Alckmin substituiu o comando da campanha nas redes da Internet. Isso porque chegou à conclusão de que o candidato Tucano estava perdendo intenções de voto para Jair Bolsonaro, situação que, se mantida, iria afastá-lo do segundo turno.  O comando da campanha considera Bolsonaro o rival mais perigoso, isso porque passou a admitir que o candidato apoiado por Lula, tem possibilidade de se incluir entre os dois mais votados.

REDES SOCIAIS – O aspecto que mais pressionou Alckmin a rever as mensagens nas redes sociais decorreu da verificação que Bolsonaro vem ocupando o lugar do ex-governador de São Paulo nas pesquisas. Neste caso, além do levantamento do Ibope, também da confirmação pelo Datafolha.

A imagem de Lula, que fatalmente será usada por Fernando Haddad, acarretaria a subida deste na disputa por votos. Entretanto, como escreveram André de Souza e Renata Mariz, em O Globo, também ontem, o Tribunal Superior Eleitoral poderá limitar ou proibir o uso da imagem de Lula pelo ex-prefeito da cidade de São Paulo. Entretanto, tal proibição, com base na lógica dos fatos, poderia se referir ao horário eleitoral da televisão, o que restringiria o uso da imagem do ex-presidente nas redes sociais. Nas redes sociais, seria impossível a proibição.

LIDERANDO – De qualquer forma, analisando-se o panorama geral da campanha verifica-se que Bolsonaro lidera em todos os prognósticos, numa faixa entre 18 e 20 pontos. O segundo lugar é ocupado por Marina Silva. O empenho de Alckmin é para buscar uma polarização entre ele e Bolsonaro, de maneira que ele surja como o anticandidato contra o nome do deputado que exprime a extrema-direita brasileira. Vale acentuar, quanto a este ponto, que Bolsonaro é plenamente representativo de uma corrente ideológica de pensamento.

Na realidade essa polarização ainda não se cristalizou ao longo dos debates e entrevistas, embora Marina Silva tenha tomado a iniciativa de se tornar a candidata antiBolsonaro. Alckmin, com base na reportagem de Venceslau, Adriana e Vera Rosa, tem iniciado um esforço estratégico para completar a outra face do embate central pela chegada ao Palácio do Planalto.

CAMPANHA – A importância das redes sociais é muito grande, principalmente para os candidatos (à exceção de Alckmin), que dispõem de pouco tempo no horário da televisão que começa no próximo dia 31, com a participação dos candidatos a governador. Aliás, ao longo do mês de setembro, um dia será reservado às eleições presidenciais, outro dia às eleições de governador.

Dentro do quadro até aqui esboçado, Bolsonaro parece ser um candidato que passará ao segundo turno. Fica a pergunta: quem disputará com ele o turno final de 28 de outubro.

19 thoughts on “Luta dos candidatos é para saber quem enfrentará Bolsonaro no segundo turno

  1. É a grande mídia retribuindo favores: entre Alckmim e o momentâneo primeiro colocado, tem um candidato chamado Ciro Gomes. Mas o destaque do texto é para o Chuchu, a Marina foi citada só para despistar.
    Ou o Brasil faz uma revolução educacional, ou esse quadro será permanente: candidatos e eleitores analfabetos empurrando o país para o abismo_ com o auxílio luxuoso das ” mídias mais vendidas e das mais compradas ” ( Como a elas se refere o extraordinário Hélio Fernandes).

    • “momentâneo primeiro colocado” (desde o inicio das pesquisas).

      “tem um candidato chamado Ciro Gomes”, (vulgo Sardinha nas planilhas da Oderbrecht).

      Ou o Brasil faz uma revolução educacional, (abandonando o método do Marxista/Gramcista Paulo Freire) ou esse quadro será permanente: candidatos e eleitores analfabetos (e sectários) empurrando o país para o abismo_ (comunista) com o auxílio luxuoso das ” mídias (esquerdopatas) mais vendidas e das mais compradas ”

  2. Trê fatos importantes nesta semana:

    1. A tournee de Bolsonaro pelo interior de São Paulo, sucesso total e muitos votos conquistados que antes eram do PSDB. Viu-se claramente, na prática, quem esta em primeiro lugar na corrida presidencial.

    2. A entrevista de Paulo Guedes na Globo News foi um massacre que a mídia tenta esconder. Paulo Guedes mitou, deu aula aos jornalistas e analistas econômicos entrevistadores. Pautou a discussão em todos os momentos. Mostrou estar afinadíssimo com Bolsonaro.

    3. Bolsonaro lidera em todas as pesquisas espôntaneas e simuladas. Nada mal pra quem não tem tempo de televisão, fundo e estrutura partidários, alianças politicas e apoio da imprensa, Sua candidatura mostra-se forte e orgânica.

  3. Sem dúvida, Bolsonaro não é o candidato ideal,mas é o único que pode nos livrar da Venezuelização. Talvez, venha outro melhor nas próximas eleições.
    Ele será o divisor de águas. Ou vamos para a ordem e progresso ou afundamos,mais ainda, na merda.

  4. No fim, no segundo turno, vai ser a bancada do mal, da corrupção, dos velhos de sempre, a se unir, para tentar derrotar Bolsonaro, e o Brasil, em isso acontecendo, terá mais um mandado presidencial de muito sofrimento, a quebradeira vai ser geral.

  5. Bolsonaro avança sobre reduto tucano
    O Antagonista

    Geraldo Alckmin terá de brigar muito se quiser chegar ao segundo turno.

    Um levantamento feito nas 22 pesquisas estaduais do Ibope, publicada por O Globo, mostra que Jair Bolsonaro avançou em todos os estados tradicionalmente tucanos.

    “No mapa eleitoral que já foi tucano, Bolsonaro lidera em São Paulo, com 22%, enquanto Alckmin, que governou o estado por quatro mandatos, marca 15%. O candidato do PSL também está à frente em Santa Catarina, Goiás, Espírito Santo, Rondônia e Roraima, outros redutos tucanos há quatro anos. No Paraná, Alckmin enfrenta ainda a concorrência de Alvaro Dias, ex-governador do estado, que chega a 27% — Bolsonaro tem 22%, e Alckmin, 5%”.

  6. Cadê os juristas da Tribuna …..pra dar seu parecer …“Art. 112. A pena privativa de liberdade será executada em forma progressiva com a transferência para regime menos rigoroso, a ser determinada pelo juiz, quando o preso tiver cumprido ao menos um sexto da pena no regime anterior e ostentar bom comportamento carcerário, comprovado pelo diretor do estabelecimento, respeitadas as normas que vedam a progressão. § 1º A decisão será sempre motivada e precedida de manifestação do Ministério Público e do defensor. § 2º Idêntico procedimento será adotado na concessão de livramento condicional, indulto e comutacao de penas, respeitados os prazos previstos nas normas vigentes”.

    Assim, temos como exemplo o caso de um réu, que não cometeu um crime considerado hediondo, e, sendo condenado a uma pena de 9 (nove) anos de reclusão, deverá ficar preso no regime fechado (preso dia e noite) durante 18 (dezoito) meses, ou seja, cumprirá 1/6 (um sexto) da pena. Depois, passará a cumprir a pena no regime semiaberto (ficará solto de dia para trabalhar e será recolhido preso à noite (após as 18h00). Após cumprir mais 1/6 (um sexto) da pena no regime semiaberto, passará a cumprir o restante da pena no regime aberto, onde não ficará mais preso, porém, deverá prestar serviços à comunidade e se apresentar mensalmente ao juízo da condenação. No caso do réu ter cometido um crime considerado hediondo (homicídio qualificado, latrocínio, estupro, etc), o prazo de progressão é diferente da Lei de Execução Penal, sendo que para o crime hediondo o prazo é o previsto no § 2º do artigo 2º da Lei nº 8.072/90 (Lei dos Crimes Hediondos), que dispõe: “§ 2o – A progressão de regime, no caso dos condenados aos crimes previstos neste artigo, dar-se-á após o cumprimento de 2/5 (dois quintos) da pena, se o apenado for primário, e de 3/5 (três quintos), se reincidente. (Redação dada pela Lei nº 11.464, de 2007)”.

  7. O Sistema de Comunicação Bolsonaro/ Empiricus pode chorar ! Ele não irá aguentar o horário eleitoral gratuito , ainda mais estando fugindo dos debates e da justiça.
    O último debate será 3 dias antes das eleições e na Globo, na eleição do Collor a posterior edição do debate da Globo acabou com o Lula.
    Aguardemos .

    • Eliel, fala sério, escutei até boi no pasto…..

      Primeiro começou sem explicar como conseguiria 2 trilhões de reais, enrolou falou falou falou, não respondeu direito e parecia mais o entrevistador.

      Falou sobre França, Jacobinos… ele deve ter visto aquela série do Netflix.

      Caso se torne ministro passará o governo todo vendendo empresas e muitas delas estratégicas.

      Como na década de 1990 venderam venderam, gastaram reserva cambias ou seja quebraram o Brasil.

      E para não me alongar vou lembrar daquele grampo telefônico também na década de 1990 nas privatizações:

      “Estamos no limite da irresponsabilidade”

      PS. CIRO GOMES da de 10 x 0 nele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *