‘Má notícia’ para Bolsonaro: a CPI da Covid retoma os trabalhos na terça-feira, com agenda intensa

Intermediário da Covaxin leva vida de luxo.

CPI vai desmascarar os atravessadores da vacina Covaxin

Eliane Cantanhêde
Estadão

Após duas semanas de recesso, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid retorna presencialmente aos trabalhos na próxima terça-feira, 3. Essa é uma má notícia para o presidente Jair Bolsonaro, que depois de aproveitar muito bem a pausa da comissão, volta a ser pressionado pelas investigações.

A CPI vem quente, e muito em cima da Covaxin, que já foi suspensa, cancelada definitivamente pelo governo federal, pela Anvisa, por causa daquelas coisas que a gente viu: documentos fraudulentos, preços muito altos, empresas em paraísos fiscais, todo um pacote de coisas muito mal explicadas.

NOVOS DEPOIMENTOS – O cronograma para a volta do recesso foi definido pela cúpula da CPI e prevê a oitiva do reverendo Amilton Gomes de Paula, na terça-feira. Ele é apontado por representantes da Davati Medical Supply como um “intermediador” entre o governo federal e empresas que ofertavam vacinas.

O religioso, que é presidente da ONG Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários (Senah), recebeu em fevereiro autorização do Ministério da Saúde para negociar 400 milhões de doses de vacinas contra a covid-19.

Já na quarta-feira, 4, a expectativa       era ouvir o sócio da Precisa Medicamentos, Francisco Maximiano, responsável por negociar a vacina Covaxin, produzida pelo laboratório indiano Bharat Biotech. A defesa de Maximiano acionou o Supremo Tribunal Federal para pedir que o empresário seja autorizado a faltar ao depoimento na CPI. Segundo os advogados, o empresário viajou para a Índia,

FUGINDO DA CPI – Na verdade, Maximiano vem fugindo da CPI” como o diabo foge da cruz.  É aquele empresário que o senador Flávio Bolsonaro diz conhecer pouco, mas o levou a uma audiência com o presidente do BNDES.

Apesar da incerteza sobre a presença do empresário, ele vai ter de voltar para depor, porque o Francisco Maximiano é um pivô dessa história toda, que não apenas deixa ele e a empresa dele numa situação difícil, mas que mexe muito com o Ministério da Saúde e até com o Palácio do Planalto no quesito corrupção.

9 thoughts on “‘Má notícia’ para Bolsonaro: a CPI da Covid retoma os trabalhos na terça-feira, com agenda intensa

  1. Mais de MEIO MILHÃO DE MORTOS, fruto, maioritariamente, da ganância criminosa de governantes milicianos – essa sim, a discussão que realmente importa para a sociedade brasileira.

    Os responsáveis maiores por esse genocídio têm nomes, sobrenomes e cargos:

    presidente da república, jmb, ou Boçalnazista

    generalecos pazuello, braga neto e ramos, dentre outros asseclas.

    Nunca, desde a época Colonial, o governo local matou tantos brasileiros quanto agora

    … e continuará matando e roubando impunemente enquanto essa quadrilha de milicianos, ora no ilusório poder, não for presa e condenada por seus crimes contra a Humanidade.

    Todas as demais discussões suscitadas diariamente por Boçalnaro e seus asseclas têm o intuito de servir de CORTINA de Fumaça.

    • Bolsonaro paulista….
      Wilson Witzel, paulista…

      PCC, a maior organização criminosa do país, paulista.

      As cidades mais violentas brasileiras estão no Nordeste do Brasil, mas é o Rio de Janeiro que ganha a fama de “cidade violenta”!

      Como era de se esperar a mídia paulista esconde a violência e corrupção de São Paulo utilizando o Rio para isso.

      Quando o fluminense, especificamente o carioca, diz que existe uma perseguição ao Rio de Janeiro, não é da boca pra fora.

  2. Kkkk, que medo desta CPI, seus integrantes não conseguem nem comprar um pão na padaria com medo de levar uma surra. E a ptzada novamente se anima comandando essa farsa que mostra quem são os verdadeiros fascistas que não aceitam a vontade do povo. Falam em democracia mas não apoiam o voto auditável, realmente esse país é povoado de imbecis úteis que querem a volta do larápio, pois não conseguem viver sem a mão do Estado a coçar sua bunda.

  3. Não se trata de “torcer” para que o Brasil ultrapasse os Estados Unidos no número de vítimas ocasionado pela pandemia, conforme escreveu ontem um comentarista que prezo muito, David.

    Na verdade falamos da realidade que nos cerca e é nítida neste aspecto, pois os sinais indicam essa possibilidade.
    Americanos 630 mil;
    Brasileiros 556 mil;
    Índia 426 mil.

    Na terra do Tio Sam, as vítimas tendem a aumentar porque o povo se nega a ser vacinado.
    Em Nova Iorque, o governo oferece 100 dólares para quem tomar a vacina.

    Portanto, além do negacionismo, os governantes que se posicionaram contra a imunização influenciaram o cidadão para recusar a proteção!

    Trata-se da mesma situação em alguns Estados do Brasil, onde bolsonaristas convictos seguem o líder, recusando a imunização.

    Também este comportamento de Bolsonaro é criminoso, pois desde o início da pandemia ele se declarou contrário à sua letalidade e propagação.
    Chegou a ofender o povo, que era muito “mimimi” e cheio de frescuras.

    Pois, agora, com 556 mil vítimas, um número absolutamente jamais imaginado que poderia nos ocorrer, mesmo em se tratando de uma peste com alto poder de contágio, há uma CPI (?!), que deseja responsabilizar Bolsonaro por esses dados alarmantes de óbitos.
    Eu até concordaria e apoiaria a CPI, independente dos que são seus líderes – presidente e relator -, caso a mesma comissão fizesse igualmente uma investigação sobre a sua atuação frente ao Covid19!

    Tanto o Executivo quanto o Legislativo SÃO IGUALMENTE CULPADOS pelas mortes que exorbitaram qualquer explicação e justificativa destes dois poderes!

    Bolsonaro pelo seu desprezo desde o primeiro dia pela pandemia e, o congresso, pelo fato que, muito tempo depois, foi se dar conta das tragédias que se abateram sobre o povo!

    O parlamento JAMAIS tomou qualquer iniciativa para minimizar as consequências da doença;
    Jamais contribuiu com alguma economia de verbas para podermos comprar respiradores, vacinas, medicamentos;
    Portanto, carece de moral e autoridade esta CPI idiota e imbecil, cujo essência é apenas eleitoreira, e não para ajudar o povo.

    Executivo e Legislativo se deram as mãos neste episódio lamentável porque passa o cidadão e o Brasil.
    Acusações recíprocas e mútuas na atual conjuntura, mais comprovam o desprezo pelo cidadão, que tem servido apenas como “paitrocinador” dos gastos irresponsáveis de ambos os poderes, e para benefício pessoal de seus participantes.

    Aliás, as atuações dos senadores beiram o humor circense às tragédias gregas:
    Na primeira situação, as palhaçadas, bate-bocas, acusações, ofensas, má educação, desrespeito, incompetência, ninguém sabe nada de nada do vírus;
    Na segunda circunstância, o número de mortos que avança, sem que o parlamento e o governo elaborem um plano mais eficiente e eficaz no combate à pandemia!

    Enfim, se nunca antes o parlamento se vestiu com tamanha adequação ao momento, com exemplar sentido de atualização, a máscara sempre foi usada por bandidos, ladrões, assaltantes de banco, criminosos …
    O senado neste aspecto está absolutamente autêntico em usar tais disfarces, a máscara, que caracteriza os maus elementos e suas atuações irremediavelmente ilícitas contra o povo e país!

  4. CPI do Circo esta totalmente desmoralizada. A CGU acabou com o pouco que ainda restava dela. Vão fazer muito barulho e só. Não vai dar em nada, nem tem como.

  5. Estou a começar ficar preocupado com tantas disputas, entre os “pensantes” deste país, já nos dá medo, manifestar uma opinião.

    Neste momento, usa-se os “istas”, com muita facilidade.
    Se manifestou, logo é acusado de, petista, bolsonarista, fascista, nazista, comunista, e outros.
    Realmente fica difícil se manisfestar, onde se corre o risco de rotulagens imprecisas.
    Ao invés de uma contestação, através das ideias, o que se vê são agressões.

    Essa minha observação, não aponta ninguém em específico.
    Fiz uma observação, dentro do contexto geral, só….

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *