Madre Teresa de Calcutá, uma santa que não acreditava em Deus

0Leonardo Boff
O Tempo

Deixemos, por um momento, as questões políticas de lado e ocupemo-nos com um tema de grande relevância existencial e espiritual. Trata-se da noite escura que a recém-canonizada Madre Teresa de Calcultá viveu e sofreu desde 1948 até sua morte, em 1997. Temos os testemunhos recolhidos pelo postulador de sua causa, o canadense Brian Kolodiejchuk, no livro “Come Be My Light” (“Venha Ser Minha Luz”, em tradução livre).

Como é notório, Madre Teresa vivia em Calcutá recolhendo moribundos das ruas para que morressem humanamente dentro de uma casa e cercados de pessoas. Fazia-o com extremo carinho e completa abnegação. Tudo indicava que o fazia a partir de uma profunda experiência de Deus.

Qual não foi nossa surpresa quando viemos a saber de seu profundo desamparo interior, verdadeira noite sem estrelas e sem esperança de um sol nascente?! Essa paixão dolorosa durou quase 50 anos.

OBSCURIDADE – Sabemos que muitos místicos testemunham essa experiência de obscuridade. Constatamo-lo em são João da Cruz, em santa Teresa d’Ávila, em santa Teresa de Lisieux, entre outros. Conhecida é a noite escura de são João da Cruz, tão bem expressa em seu poema “La noche oscura”. Ele distingue duas noites escuras: uma, a noite dos sentidos pela qual a alma vive sem consolos espirituais e numa severa secura interior. A outra é a noite do espírito, “oscura y terrible”, na qual a alma já não consegue crer em Deus, chega a duvidar de sua existência e se sente condenada ao inferno.

A modernidade, centrada em si mesma e perdida dentro do imenso aparato tecnológico que criou, vive também essa ausência de Deus que Nietzsche qualificou como “a morte de Deus”. Não que Deus tenha morrido, porque então não seria Deus, mas nós o matamos; ele não é mais um centro de referência e de sentido. Vivemos errantes, sós e sem esperança.

VIVENDO NO AMOR -Dietrich Bonhöffer, teólogo mártir do nazismo, captou essa experiência, aconselhando-nos a viver “como se Deus não existisse”. Mas vivendo no amor, no serviço aos demais e no cultivo da solidariedade e do cuidado essencial.

Suspeitamos que Jesus tenha conhecido essa noite terrível. No Jardim das Oliveiras, sentiu-se tão só e angustiado que chegou a suar sangue, expressão suprema do pavor. No alto da cruz, grita ao céu: “Pai, por que me abandonaste?” Não obstante essa ausência de Deus, se entrega confiante: “Pai, em tuas mãos entrego meu espírito”. Despojou-se de tudo. A resposta veio na forma da ressurreição como a plenitude da vida.

A noite escura de Madre Teresa nos deixa uma interrogação teológica. Ela descompõe todas as nossas representações de Deus.

UM MODO DE SER – Crer em Deus não é aderir a uma doutrina ou a um dogma. Crer é uma atitude e um modo de ser; é aderir a uma esperança que é “a convicção das realidades que não se veem” (Hebreus 11,1), porque o invisível é parte do visível.

Simone Weil, a judia que, na Segunda Guerra Mundial, se converteu ao cristianismo, mas não se deixou batizar em solidariedade a seus irmãos condenados às câmaras de gás, nos dá uma pista de compreensão: “Se quiseres saber se alguém crê em Deus, não repare em como fala de Deus, mas como fala do mundo”, se fala na forma da solidariedade, do amor e da compaixão. Deus não pode ser encontrado fora desses valores.

Madre Teresa de Calcutá, no amor aos moribundos, estava em comunhão com o Deus abscôndito. Agora, que já se transfigurou, viverá a presença de Deus face a face no amor e na comunhão.

18 thoughts on “Madre Teresa de Calcutá, uma santa que não acreditava em Deus

  1. Que texto apócrifo. Fundamento em acreditar em Deus. Nem uma palavra citada do Mestre Jesus. O qual disse Eu Sou o caminho verdade é a vida. Para chegar ao Pai tem que passar pelo filho.

  2. Caro Alex … sds!

    Boff escreve sobre o relacionamento dos santos com Deus … o que posso testemunhar é que a noite escura só é possível para quem já passou pela noite iluminada, né???

    A noite iluminada é você sentir a presença de Deus, à maneira de Moisés e Elias … vamos lá???

    “18. Moisés disse: “Mostrai-me vossa glória.” 19. E Deus respondeu: “Vou fazer passar diante de ti todo o meu esplendor, e pronunciarei diante de ti o nome de Javé. Dou a minha graça a quem quero, e uso de misericórdia com quem me apraz. 20. Mas, ajuntou o Senhor, não poderás ver a minha face, pois o homem não me poderia ver e continuar a viver. 21. Eis um lugar perto de mim, disse o Senhor; tu estarás sobre a rocha. 22. Quando minha glória passar, te porei na fenda da rocha e te cobrirei com a mão, até que eu tenha passado. 23. Retirarei depois a mão, e me verás por detrás. Quanto à minha face, ela não pode ser vista””. (Ex 33)

  3. Pessoalmente detesto quando a religião vai para o ‘ campo político ‘ pois os exemplos históricos são drásticos.
    Nessa ‘ briga ‘ os setores conservadores da Igreja Católica – Opus Dei, TFP, etc , perderam um espaço enorme para os Pentecostais, que desde a década de 80 estão com um enorme apoio dos EUA, como demonstra a vinda e longa permanência do Teólogo funcionalista Harvey Cos no Brasil.
    Em todo o litoral do nordeste há um enorme ” ex viciados’ em crack que ‘foram curados, vendendo chaveirinhos nas principais praias, fato cientificamente impossível.

  4. “8. Elias levantou-se, comeu e bebeu e, com o vigor daquela comida, andou quarenta dias e quarenta noites, até Horeb, a montanha de Deus. 9. Chegando ali, passou a noite numa caverna. Então a palavra do Senhor foi-lhe dirigida: Que fazes aqui, Elias? 10. Ele respondeu: Estou devorado de zelo pelo Senhor, o Deus dos exércitos. Porque os israelitas abandonaram a vossa aliança, derrubaram os vossos altares e passaram os vossos profetas ao fio da espada. Só eu fiquei, e querem tirar-me a vida. 11. O Senhor desse-lhe: Sai e conserva-te em cima do monte na presença do Senhor: ele vai passar. Nesse momento passou diante do Senhor um vento impetuoso e violento, que fendia as montanhas e quebrava os rochedos; mas o Senhor não estava naquele vento. Depois do vento, a terra tremeu; mas o Senhor não estava no tremor de terra. 12. Passado o tremor de terra, acendeu-se um fogo; mas o Senhor não estava no fogo. Depois do fogo ouviu-se o murmúrio de uma brisa ligeira. 13. Tendo Elias ouvido isso, cobriu o rosto com o manto, saiu e pôs-se à entrada da caverna. Uma voz disse-lhe: Que fazes aqui, Elias? 14. Ele respondeu: Consumo-me de zelo pelo Senhor, Deus dos exércitos. Porque os israelitas abandonaram a vossa aliança, derrubaram os vossos altares e passaram os vossos profetas ao fio da espada. Só eu fiquei, e agora querem tirar-me a vida. 15. O Senhor disse-lhe: Retoma o caminho do deserto, na direção de Damasco. Ali chegando, ungirás Hazael como rei da Síria, 16. Jeú, filho de Namsi, como rei de Israel, e Eliseu, filho de Safat, de Abel-Meula, como profeta em teu lugar. 17. Todo o que escapar à espada de Hazael, será morto por Jeú, e o que escapar à de Jeú, será morto por Eliseu. 18. Mas reservarei em Israel sete mil homens, que não dobraram os joelhos diante de Baal, e cujos lábios não o beijaram. (1Rs 19)

  5. Elias cobriu o rosto com o manto;
    Moisés é colocado na fenda da rocha … e o próprio Senhor só o deixa ver por detrás!!!

    No entanto, “29. Moisés desceu do monte Sinai, tendo nas mãos as duas tábuas da lei. Descendo do monte, Moisés não sabia que a pele de seu rosto se tornara brilhante, durante a sua conversa com o Senhor. 30. E, tendo-o visto Aarão e todos os israelitas, notaram que a pele de seu rosto se tornara brilhante e não ousaram aproximar-se dele. 31. Mas ele os chamou, e Aarão com todos os chefes da assembléia voltaram para junto dele, e ele se entreteve com eles. 32. Aproximaram-se, em seguida, todos os israelitas, a quem ele transmitiu as ordens que tinha recebido do Senhor no monte Sinai. 33. Tendo Moisés acabado de falar, pôs um véu no seu rosto. 34. Mas, entrando Moisés diante do Senhor para falar com ele, tirava o véu até sair. E, saindo, transmitia aos israelitas as ordens recebidas. 35. Estes viam irradiar a pele de seu rosto; em seguida Moisés recolocava o véu no seu rosto até a próxima entrevista com o Senhor”. (Ex 34)

  6. Moisés também teve noite escura – não entrou na Terra Prometida … “1. Subiu Moisés das planícies de Moab ao monte Nebo, ao cimo do Fasga, defronte de Jericó. O Senhor mostrou-lhe toda a terra, desde Galaad até Dá, 2. todo o Neftali, a terra de Efraim e de Manassés, todo o território de Judá até o mar ocidental, 3. o Negeb, a planície do Jordão, o vale de Jericó, a cidade das palmeiras, até Segor. 4. O Senhor disse-lhe: Eis a terra que jurei a Abraão, a Isaac e a Jacó dar à sua posteridade. Viste-a com os teus olhos, mas não entrarás nela. 5. E Moisés, o servo do Senhor, morreu ali na terra de Moab, como o Senhor decidira. 6. E ele o enterrou no vale da terra de Moab, defronte de Bet-Fogor, e ninguém jamais soube o lugar do seu sepulcro. 7. Moisés tinha cento e vinte anos no momento de sua morte: sua vista não se tinha enfraquecido, e o seu vigor não se tinha abalado. 8. Os israelitas choraram-no durante trinta dias nas planícies de Moab; e, passado esse tempo, acabaram-se os dias de pranto consagrados ao luto por Moisés. 9. Josué, filho de Nun, ficou cheio do Espírito de Sabedoria, porque Moisés lhe tinha imposto as suas mãos. Os israelitas obedeceram-lhe, assim como o Senhor tinha ordenado a Moisés. 10. Não se levantou mais em Israel profeta comparável a Moisés, com quem o Senhor conversava face a face. 11. (Ninguém o igualou) quanto a todos os sinais e prodígios que o Senhor o mandou fazer na terra do Egito, diante do faraó, de seus servos e de sua terra, 12. nem quanto a todos os feitos e às terríveis ações que ele operou sob os olhos de todo o Israel”. (Dt 34)

  7. Lendo o que diz Boff a respeito da fé, entendi porque esse “santo” tanto defende o Lula e seus asseclas.

    Boff tem fé em Lula. Uma fé inquebrantável. Faça Lula o que fizer, diga o que disser, digam dele o que for, provem contra ele tudo que já provaram e provarão, nada abalará a fé desse ex-frei em relação ao seu semideus.

    Fé é assim. Eu só acho que é fé demais…

  8. Gostaria de fazer um comentário totalmente isento, mas me sinto no dever de dizer. Quando somos mutáveis, largamos o credo e nos tornamos ateu invariavelmente nos tornamos burros. Esse é o destino desse Sr. um lixo que tem o direito de nos desrespeitar com seus nojentos artigos. Hufa segue a vida. Ainda terei de ler essas ignomínias por aqui. Mas tudo bem. O PT essa ORCRIM, tem alimentado essa gente.

  9. Simone Weil não se converteu ao cristianismo, ela teve apenas uma experiência mística, dentre tantas outras, que fizeram-na tornar-se uma espécie de pluralista ideológica. O próprio conceito apregoado por ela de que ” a família é prostituição legalizada” refletem o modo como ela suplantava os valores cristãos em prol de seu ideal subversivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *