Maduro quer criar comissão da verdade para investigar mortes em protestos na Venezuela

Leandra Felipe
Agência Brasil

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou hoje (24) que pedirá à Assembleia Nacional para criar uma comissão da verdade com o objetivo de investigar as mortes ocorridas nas duas últimas semanas, em meio aos protestos e às marchas que ocorreram no país. Ele informou que também convocará a oposição para participar da comissão. O governo contabiliza 11 mortes, embora a imprensa local registre 13.

“Com esta comissão, vamos investigar a fundo o que aconteceu durante este intento de golpe fascista e descobrir quem foram os autores dos assassinatos cometidos aqui”, disse a uma multidão de motociclistas em frente ao Palácio de Miraflores (sede do governo), em Caracas.

Na manifestação, os motociclistas pediram paz e a união do país, assim como expressaram repudio às ações violentas dos últimos dias. A direita venezuelana atribui a grupos motorizados (coletivos) socialistas que apoiam o governo Maduro a responsabilidade por disparos contra manifestantes e mortes nos protestos realizados desde o dia 12 de fevereiro.

Os motociclistas foram às ruas hoje para protestar contra a acusação e declarar apoio ao governo. Para os governistas, os motorizados que disparam contra manifestantes são grupos de extrema direita infiltrados.

Maduro disse que, além dos óbitos por disparos, pelo menos 30 pessoas morreram porque não puderam ser encaminhadas aos hospitais por causa das chamadas guarimbas (bloqueios de ruas e rodovias com lixo e entulhos) que manifestantes fizeram em diversas regiões do país.

 

2 thoughts on “Maduro quer criar comissão da verdade para investigar mortes em protestos na Venezuela

  1. As sandices de Maduro. Seria risível se não fosse trágico.
    É por isso que circula na Internet o seguinte textinho:
    “A Venezuela é governada por um morto.
    Cuba, pelo irmão do (quase) morto
    A Argentina, pela mulher do morto.
    A Coreia do Norte, pelo filho do morto.
    O Brasil, pela sucessora de um idiota que se finge de morto.
    E o Maranhão pela filha de um #@$%&¨# que não morre…”

  2. Maduro é na verdade um coitado, sem chance alguma de presidir qualquer país. Muito menos uma Venezuela, totalmente arrasada por anos de um tal de “socialismo bolivariano” estúpido, o qual socializou a pobreza, a violência, o desemprego, a falta de energia elétrica, e o desabastecimento geral.

    Aliás Chávez foi tão incompetente que sequer preparou adequadamente um sucessor. Maduro na verdade foi feito por Chávez um provável sucessor quando o jogo já estava no final da prorrogação, ou seja, quando o quadro da doença do líder já era gravíssimo e irreversível.

    Hoje vê-se uma Venezuela sem rumo algum. Muitos dos 50,6% de eleitores que votaram em Maduro já estão amargamente arrependidos.

    Há chances de golpe? Sei lá se a palavra certa é golpe! Há sim enorme chance de que a ampla maioria do povo venezuelano, altamente descontente, queira um novo presidente. E o quanto antes!

    Além disso aquele povo quer de volta a sua verdadeira democracia, que está gravemente ferida por anos e anos de chavismo.

    Aliás, na democracia o poder pertence ao povo. A vontade do povo é soberana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *