Maia pede afastamento de secretário da Cultura de Bolsonaro que copiou discurso do nazista Joseph Goebbels

Maia afirmou que Roberto Alvim ‘passou de todos os limites’

Gabriel Shinohara
O Globo

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) pediu, na manhã desta sexta-feira, dia 16, o afastamento do cargo do secretário da Cultura do governo Jair Bolsonaro, Roberto Alvim. Em uma rede social, o deputado compartilhou uma matéria do O Globo sobre uma fala do secretário publicada em vídeo na quinta-feira.

No vídeo, Alvim copiava o discurso do ministro da propaganda da Alemanha nazista, Joseph Goebbels. Na publicação, Maia diz que o secretário passou de todos os limites e classificou o discurso como “inaceitável”. Segundo ele, o governo Bolsonaro deveria afastar Alvim urgentemente do cargo.

 

O CASO –  O secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, copiou uma citação do ministro de propaganda da Alemanha nazista, Joseph Goebbels, em um pronunciamento. O vídeo foi divulgado para anunciar o Prêmio Nacional das Artes, projeto no valor total de mais de R$ 20 milhões.  

O que diz a citação de Goebbels: Segundo o livro “Goebbels: a Biography”, de Peter Longerich, o líder nazista afirmou: “A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada”

O que disse Roberto Alvim: Nó vídeo divulgado pela Secretaria Especial de Cultura ele afirma: “A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de nosso povo, ou então não será nada”, discursou Alvim no vídeo postado nas redes sociais.

ÓPERA – Além do trecho copiado do discurso de Goebbels, outra referência ao regime de Adolf Hitler é a trilha sonora do pronunciamento: a ópera “Lohengrin”, de Richard Wagner. O compositor alemão era celebrado pelo líder nazista e teve grande influência em sua formação ideológica.

Procurado pelo O Globo, Roberto Alvim não retornou ao contato. Ele usou suas redes sociais para falar sobre o assunto e classificou as semelhanças de seu discurso com o de Goebbels como uma “coincidência retórica” mas defendeu que “a frase em si é perfeita”.

“COINCIDÊNCIA” – “O que a esquerda está fazendo é uma falácia de associação remota: com uma coincidência retórica em UMA frase sobre nacionalismo em arte, estão tentando desacreditar todo o PRÊMIO NACIONAL DAS ARTES, que vai redefinir a Cultura brasileira… É típico dessa corja. Foi apenas uma frase do meu discurso na qual havia uma coincidência retórica. Eu não citei ninguém. E o trecho fala de uma arte heróica e profundamente vinculada às aspirações do povo brasileiro”, escreveu Alvim.

Em tom ufanista, Alvim anuncia no vídeo o “renascimento da arte e da cultura no Brasil”. Depois de enaltecer a fé do povo brasileiro e a sua ligação com Deus, o secretário falou sobre “poderosas formas estéticas” que serão favorecidas. “As virtudes da fé, da lealdade, do autossacrifício e da luta contra o mal serão alçadas ao território da arte.”

“O SALVADOR” – “Ele (Jair Bolsonaro) pediu que eu faça uma cultura que não destrua, mas que salve a nossa juventude. A cultura é a base da pátria. Quando a cultura adoece, o povo adoece junto. É por isso que queremos uma cultura dinâmica e, ao mesmo tempo, enraizada na nobreza de nossos mitos fundantes. A pátria, a família, a coragem do povo e sua profunda ligação com Deus amparam nossas ações na criação de políticas públicas. As virtudes da fé, da lealdade, do autossacrifício e da luta contra o mal serão alçadas ao território sagrado das obras de Arte”, disse Alvim.

Ele ressaltou ainda que o ano de 2020 será “uma virada histórica”, ou seja, “o ano do renascimento da arte e da cultura no Brasil”. “Ao país ao qual servimos, só interessa uma arte que cria a sua própria qualidade a partir da nacionalidade plena. Portanto, almejamos uma nova arte nacional, capaz de encarnar simbolicamente os anseios desta imensa maioria da população brasileira, com artistas dotados de sensibilidade e formação intelectual, capazes de olhar fundo e perceber os movimentos que brotam do coração do Brasil, transformando-os em poderosas formas estéticas”, acrescentou o secretário.

A pretensão não para por aí: “São essas formas estéticas, geradas por uma arte nacional que agora começará a se desenhar, que terão o poder de nos conferir, a todos, energia e impulso para avançarmos na direção da construção de uma nova e pujante civilização brasileira”.

PRÊMIO – Na noite de ontem, o secretário Especial da Cultura, Roberto Alvim, participou ainda da live do presidente Jair Bolsonaro para anunciar o Prêmio Nacional das Artes, no valor total de mais de R$ 20 milhões. Mais cedo, Dante Mantovani, escolhido de Alvim para presidir a Fundação Nacional das Artes (Funarte), divulgou o orçamento de R$ 38 milhões para investimentos em editais, publicações e reformas de equipamentos ao longo do ano.

Depois de adiantar que pretende lançar, em fevereiro, um edital para o “cinema sadio, ligado aos nossos valores, com filmes sobre figuras históricas brasileiras e alinhando conservadorismo e arte”, Alvim anunciou alguns detalhes do prêmio cujas inscrições serão abertas ainda este mês.

Com ele, o governo vai selecionar cinco óperas (R$ 1,1 milhão para cada), 25 espetáculos teatrais de R$ 250 mil, 50 exposições individuais de R$ 100 mil nas categoria “pintura” e “escultura”, além da publicação de 25 contos de R$ 25 mil, 15 histórias em quadrinhos de R$ 50 mil e músicas de 25 compositores (R$ 100 mil para cada).

“CURADORIA” – Em todas as áreas, os contemplados devem ser das cinco regiões do país. A ideia, diz Alvim, é oferecer os livros e as HQs de graça para a população, por exemplo. Na live (da qual participou também o ministro da Educação, Abraham Weintraub), Alvim e Bolsonaro voltaram a falar de “uma arte para a maioria” e a abordar a questão dos filtros temáticos para obras que recebem fomento do governo. O secretário defendeu que “curadoria não é censura”.

Ao começar a conversa com o secretário na live (da qual participou também o ministro da Educação, Abraham Weintraub), Bolsonaro disse que Alvim é a “cultura de verdade no Brasil” e voltou a dizer que anteriormente existia “a ideia de fazer a cultura para um minoria.”

“Nós nunca censuramos nada. Eu me revoltei com muitos filmes, mandei suspender qualquer concessão (de verbas), isso não é censura”, disse o presidente, que teve o apoio de seu subordinado. “Não é censura, é curadoria”, disse Alvim.

###
NOTA DA  REDAÇÃO DO BLOG
 – Não é só o que secretário de Cultura de Bolsonaro que deveria ser afastado, mas uma boa parte desta gestão. Apesar do norte democrático que deve ser seguido, as ações de boa parte deste governo ultrapassa o bom senso e os limites éticos. E, pior, justificam-se afirmando se tratar de mal-entendidos ou “coincidências”. É chamar o cidadão-eleitor de otário sem o menor pudor. A vergonha só cresce, mas o presidente apenas rubrica os desmandos dos seus indicados. (Marcelo Copelli)

43 thoughts on “Maia pede afastamento de secretário da Cultura de Bolsonaro que copiou discurso do nazista Joseph Goebbels

  1. O Botafogo é o maior puxa saco dos comunistas (os maiores genocidas da história) e acha isso muito normal. Mas quando um Secretário idiota “cola” um discurso de Goebbels, o mundo vem abaixo!

    • Comunista, não conspira?
      Comunista, não justicia, mesmo quando inocente e sutilmente abduz?
      Eu bebo socialmente e vocês embriagados em “mentes e corpos”, digo mentecaptos, acusam o delírio tremens?

  2. Copiar discursos socialistas é normal na esquerda.

    Não devemos esquecer que o nazismo é uma vertente do socialismo assim como o comunismo e o fascismo.

    Aqui tem muitos esquerdinhas , ue estão transtornados pela derrota de seus candidatos e como esquerdinhas praticam sistematicamente, como determina sua doutrina, a socialista, a destruição de reputação.

  3. Não vi comentário do Sr. MC referente ao programa de fim de ano da produtora Porta dos fundos em relação a Jesus Cristo. Falaram um monte de asneiras e ofenderam a fé dos cristãos brasileiros. O bestial do Rodrigo Maia também nada falou. Agora, pegar uma frase de texto do ministro da cultura e dizer que ele copiou texto nazista é de matar. Sr. MC, infelizmente o CN colocou o senhor para dar palpites nos textos postados nessa Tribuna, entretanto, o Sr. não faz outra coisa a tentar torpedear e fazer coro com a esquerda contra governo. Nunca vi algum comentário seu se referindo algo correto que o governo tenha realizado. É uma pena, sua ideologia o cega das virtudes e dos acertos dessa gestão. Prefere ficar no saudosismo insano e corrupto dos governos de esquerda. Lamentável.

  4. O larápio mor do país enaltece o carniceiro fidel castro, elogia o terrorista Mahmoud Ahmadinejad, faz loas ao maluco noko e a imprensa ainda elogia.

    Somos contra goebells e nada justifica.

  5. Se pegarmos esse secretário de Cultura mais o ministro da Educação de Bolsonaro, e com ele de contra-peso, penso que em toda a História do Brasil jamais se leu ou se ouviu tantos disparates!

    O governo é uma indústria de asneiras e boçalidades jamais vistas!

    Além de usar citações de Goebbels, o tal secretário PLAGIA o que escreveu o nazista!!!
    Nessas alturas é difícil avaliar se o problema são os responsáveis pelo país, educação e cultura ou a falta gritante de assessores qualificados ou ambas as circunstâncias!

    A Dilma, se comparada aos trapalhões, seria uma professora, enquanto o presidente, secretário e ministro, alunos que teriam rodado de ano várias vezes.
    Lula é um sábio, nesta mesma comparação!

    Não me surpreende o silêncio dos militares com Bolsonaro fazendo tanta cagada, além de escolher pessimamente seus assessores, pois as FFAA vêm nessa conduta de omissão e inércia há muito tempo.
    Mas, me causa espécie, é que o presidente está demonstrando para o mundo a inépcia dos militares no poder; a incompetência; declarações chulas; falta de preparo; prepotência, arrogância, soberba; e besteiras e asneiras sendo ditas e publicadas de roldão!

    Bolsonaro está levando o país ao ridículo, e alguém precisa urgentemente avisá-lo para parar com esses rompantes de idiota e imbecil!
    Mais:
    com essa fixação contra a esquerda, o comunismo e o socialismo.

    Se a situação atual do país está calamitosa, o direitista presidente não está mudando em nada o panorama para o povo, deixando que a miséria, a pobreza, a falta de ensino/educação, saúde pública e segurança, permaneçam nos mesmos moldes deixados pelo PT ou pela esquerda!

    Bolsonaro age exatamente igual a Lula e Dilma, pois enaltece, fortalece os banqueiros, define judiciário e legislativo como castas, atende somente às reivindicações dos militares, e o povo que se lixe!!!

    Indiscutivelmente um socialismo seletivo, e pessoas em comunidades (castas) que vivem nababescamente, sustentadas, obviamente, pelo povo roubado, explorado e manipulado!

    Será que direita e esquerda se uniram contra a população, o trabalhador, aposentado, doentes, analfabetos, desempregados e endividados?
    Pelo que se vê e se constata, o povo está cada vez pior, na razão inversamente proporcional à maravilhosa existência dos banqueiros, elites e castas nacionais.

    Tá feia a coisa, muito feia!

    • Lula declarou admiração por Hitler e Khomeini, em 1994.Atualmente, no Brasil, não vejo muita diferença entre “nazista” e “comunista”. O que difere é o tamanho do sapato…Porém, seu artigo coloca o dedo na ferida, por nós debatida há algum tempo: Bolsonaro, um perfeito idiota! Um grande abraço, amigo Bendl!!!!!

      • Souzza, meu caro,

        Tudo bem?
        Saúde, família, filhos … como vão?

        Olha, meu amigo, cargos de importância, públicos ou privados, exigem as suas liturgias, formalidades, convenções.

        Bolsonaro e a sua tropa de assessores incultos e incautos estão exagerando na suas idiotices e imbecilidades, a verdade é essa.

        Há um limite que deve ser obedecido que, no entanto, segue sendo completamente ignorado.
        Ruim para o povo, país, porém muito mais para o governo, que se mostra despreparado para o cargo e, pessoalmente, sem educação e respeito pelas pessoas, mormente o profissional da imprensa.

        Bolsonaro já cavou a sua sepultura eleitoral para 2022, de maneira complicada e irreversível.

        Um abração.
        Saúde.

  6. Souzza,

    Faz tempo que venho escrevendo que o Brasil não tem mais solução!

    Não existe nação alguma que resista a sua destruição por tantas décadas como acontece conosco.
    Jamais um povo foi tão maltratado, humilhado, vilipendiado, roubado, explorado e manipulado como o brasileiro, e por mais de trinta anos!

    Ora, a consequência de uma nação que destrói a si mesma é uma só:
    o povo é levado pela enxurrada de acontecimentos catastróficos e trágicos à sua sobrevivência, então a miséria, a pobreza, o desemprego, o endividamento, a violência, a falta de saúde pública, educação precária e vergonhosa …

    A grande questão ser resume no alto custo anual do podre poder legislativo.
    Os 40 bilhões anuais gastos com corruptos, incompetentes, ladrões, com gente venal e traidora, ocasionam esta água ruim dos cariocas, a saúde deprimente no interior do Brasil, a falta de uma política de medicina preventiva …
    Em outras palavras:
    Percebe-se nitidamente os esforços despendidos para o nosso aniquilamento!!!

    Ou tratemos de resistir ou vamos embora, pois quem ficar sabe que o fim está ali, na esquina.

    Outro abraço.
    Mais saúde.

  7. Não gosto de Bolsonaro, de sua gestão e tampouco de seus comandados, mas desta vez colocaram “guampa em cavalo”. Como de hábito, sacrifica seu soldado que procurou seguir suas ideias. E não as relaciono, absolutamente, com as de qualquer regime nefasto da história.

  8. E depois ainda querem defender as penas de aluguel, assim fica difícil, o contorcionismo que foi feito para mostrar que o secretario é nazista é uma vergonha, a T I também corrobora esse tipo de jornalismo?

    • Não, al, a intenção não foi esta.

      Deves te lembrar que Bolsonaro foi e continua sendo acusado de homofóbico, misógino, fascista, até mesmo de nazista.

      Pois, por uma dessas ironias do destino, o besta quadrada do secretário de Cultura me plagia um trecho de Goebbels, ministro da propaganda … nazista!!!!

      Ou seja, quem o ataca dizendo da tendência nazista de Bolsonaro está em ritmo de festa, nessas alturas.

      O pau tem de cair na cabeça do presidente, sem dúvida alguma!

      • Caro Bendl,

        Que o secretario seja uma besta quadrada não discuto e até acredito, mesmo porque não conheço suas credenciais e seus feitos. Que o bozo tome porrada por mal feitos estou também de acordo, fez cagada pau nele, mas dai falar que por causa de um discurso fajuto e que não liga o lé com o cré , e só por causa do autor e pela musica de fundo dizer e propagar que o secretario é neonazista, isso é forçar demais a barra, esse tipo de jornalismo é uma desgraça, é ele que faz com que a imprensa perca credibilidade, isso demonstra a qualidade de nossos jornalistas, ou simplesmente penas de aluguel, sem contar com as penas celeradas canhotas.

  9. A única diferença entre o discurso do partido dos trabalhadores da Alemanha de Hitler e os partidos dos trabalhadores da esquerda em qualquer época, desde Lenin, é que o primeiro se referia apenas aos trabalhadores alemães e os outros aos de qualquer país.

  10. … Não é só o secretário que deve ser afastado.
    Também acho, afastem logo o Bolsonaro!
    Se não fizerem isso ele vai ser o novo Führer do Quarto Reich.
    Vai matar mais gente que a Peste Negra, Stalin, Pol Pot, Mao e Fidel, sangue a preço de bolacha quebrada, vai ser um bom negócio montar uma fábrica de chouriço, alô socialistas descapitalizados e jornalistas amestrados olhem aí um cavalo passando encilhado. A hora é essa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *