Mais detalhes sobre “corrupção na Petrobras causa a excessiva elevação do preço do gás”

Confira a charge de Jota A publicada nesta sexta-feira no Jornal O Dia - Jota A! - Portal O Dia

Charge do Jota A (O Dia/PI)

Carlos Newton

Publicamos importante reportagem aqui, nesta terça-feira, dia 24, revelando como a “corrupção na Petrobras eleva perversamente o preço do gás”. Explicamos que “ante a opção de importação do gás da Bolívia, até 4,5 vezes mais barato, a Petrobras efetuou a importação do gás natural norte- americano, muito mais caro, e os sacrificados consumidores brasileiros arcam com esse peso em seu orçamento devido ao Preço de Paridade Internacional aplicado também ao gás”.

Uma reportagem investigativa importantíssima, absolutamente exclusiva e totalmente baseada em informações oficiais do próprio governo brasileiro, através dos Ministérios da Economia e de Minas e Energia.

Diante desse tipo de informação, surge o comentarista José Vidal, para colocar em dúvida e tentar desmentir os dados estatísticos oficiais do país. Com essa postura (aliás, não é a primeira vez que Vidal tenta desmentir informações do editor deste Blog), o comentarista demonstra que não conhece o estilo de trabalho da Tribuna da Internet, há 13 anos publicando denúncias gravíssimas, com exclusividade, sem jamais ter sofrido um só processo judicial, todas as informações sempre incontestáveis.

Vejam, a seguir, como procedeu José Vidal, no afã de menosprezar o trabalho deste jornalista.

JOSE VIDAL –  Acho que há um engano. Atualmente o GN da Bolívia está mais caro ou igual ao GNL importado dos EUA (os EUA têm excesso de produção de GN devido à exploração do xisto para produção de petróleo).

CN – De fato, os EUA têm um excedente, mas só se converte em preços baixos no solo americano. E o gás liquefeito está sendo comprado pelo Brasil a um preço enorme. Podemos conferir isto no relatório do Ministério de Minas e Energia, cuja íntegra devo disponibilizar a quem interessar possa, com gráficos e tudo o mais.

É possível ainda conferir os dados da Tribuna “carga a carga”, a partir do extrato do Comércio Exterior do Ministério da Economia, presente no mesmo relatório, onde vemos cargas de gás americano sendo compradas a até 38,88 dólares por milhão de BTU, enquanto o preço boliviano era de cerca de 5,90 dólares por milhão de BTU.

VIDAL – Mesmo assim, a Bolívia é a maior fornecedora, porém em maio a estatal cortou o fornecimento ao Brasil em 30%, em descumprimento ao contrato vigente.

CN – Em 2021 a Bolívia forneceu menos que o agregado dos terminais de gás liquefeito. Ela é a maior fornecedora única, mas isso não anula o crescimento da importação de GNL em 2021, justamente quando essa fonte ficou mais cara. Agora, em 2022, parece que estaríamos encaminhando para uma redução no GNL norte-americano, mas ainda a preços historicamente altos, enquanto a Bolívia estaria em preços historicamente baixos.

O descumprimento do contrato é informação que eu não tinha, e até agradeço a Vidal, mas esse detalhe revela ainda mais o grau de imperícia negocial e pouca transparência. Um descumprimento de contrato desta ordem na Europa causaria muitas manchetes e criaria um furor, seria algo notavelmente público e envolveria o Itamaraty deles.

Basta ver que os contratos de gás Rússia-Alemanha continuam vigentes e funcionando, apesar da guerra na Ucrânia e da pressão dos EUA. Uma explicação razoável é que a Bolívia não estaria disposta a fornecer mais gás (sobretudo nesse baixíssimo preço). Mas será que a Petrobras e o governo tentaram negociar? Será que não deveria haver publicidade destes fatos que oneram o cidadão e são negociados à margem dele?

VIDALTambém há planos para um aumento de plantas para processar o GN (UPGN) do pré-sal que é rico em propano e butano e pode aumentar em muito a capacidade de fornecimento de GLP, o qual importamos em grande quantidade. A construção de gasodutos também é outra demanda importante.

CN – Verdade, há planos para resolver a questão no longo prazo com fornecimento nacional do gás rico do pré-sal e a possível autossuficiência de GLP. Mas esses planos foram severamente atrasados (Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro – Comperj, por exemplo), por cancelamentos dos investimentos da Petrobras desde 2015.

Houve um período em que o alto endividamento e a solvência foram usados como justificativa para os cancelamentos (e depois a pandemia). No entanto, em 2021, a Petrobras distribuiu 95% do lucro aos acionistas e tem a dívida sob controle. Os investimentos estão indicados, mas se a cada onda de risco forem cancelados, e os recursos para os investimentos, quando disponíveis, forem todos direcionados à distribuição de dividendos, essas obras estratégicas jamais serão executadas. De qualquer forma, o horizonte para os próximos 5-10 anos no gás brasileiro é bem mais positivo.

###
P.S. –
Bem, gostaria que comentaristas de alto nível, como José Vidal, colaborassem para fortalecer a Tribuna da Internet, por ser um dos espaços que mais frequentam, ao invés de tentar desmentir as denúncias exclusivas aqui publicadas. Quem deveria contestar a TI são os próprios denunciados como a Petrobras, neste caso do gás. Mas sabemos que a estatal jamais poderá contestá-los, porque os dados aqui publicados são fornecidos pelo próprio governo brasileiro, repita-se. (C.N.)

16 thoughts on “Mais detalhes sobre “corrupção na Petrobras causa a excessiva elevação do preço do gás”

  1. Para acabar roubos na Petrobras ou qualquer estatal, privatize inteligentemente: crie competição e leis que punam os ladrões. Estatizar é manter o status quo. O que não dá é uma lava-jato apontar ladrões e o STF torná-los inocentes. Um até se candidatou a presidente!

    • Desculpe, Vidal, só trabalho com dados oficiais. Nunca ouvi falar em fazcomex, tampouco em comexStat, que é a fonte desses números.

      Abraços,

      CN

  2. Já vi o relatório que o editor referiu. Realmente, o GNL aumentou muito de preço (eu estava desatualizado), não só dos EUA, como em todo o mundo. E em fevereiro de 2022 atingiu o valor de U$ 31,64 /MM BTU, bem como CN se referiu.
    O valor do GN da Bolívia está bem abaixo, em torno de U$ 6 /MM BTU, talvez seja por isso que eles reduziram a cota contratada pelo Brasil.

    A importação de GNL caiu pela metade, mesmo assim, o Brasil gastou 727 milhões de dólares para importar GNL dos EUA em fevereiro.

    Da Bolívia o GN importado custou 141 milhões de dólares em fevereiro, mesmo em quantidade maior.

    Não sei como são esses contratos, se os valores contratados podem ser negociados, mas o governo deveria fazer uma negociação, ainda mais se essa guerra Rússia-Ucrânia perdurar.. Chamar isso de corrupção da Petrobras, acho que é demasia. Incapacidade? Talvez.

    • Olha o Vidal aí, gente! É o novo advogado da Petrobras, onde todo mundo sabe que não há corrupção… Ha-ha-há – eis a gargalhada gráfica criada por Helio Fernandes.

      CN

      • Bonito CN, que argumentação. Coloco uma notícia de um jornal boliviano a respeito do porquê o país americano não quer aumentar a remessa de gás e até cortou, e vens com essa ironia.
        Esperava algo mais inteligente de tua parte, mas sempre temos algo a aprender do caráter dos humanos.
        De qualquer forma,
        um abraço.

        • Prezado Vidal,

          Eu denuncio corrupção não investigada no setor Internacional da Petrobras e você escreve: “Não há corrupção”, sem ter a menor base para afirmar isso.

          Sem nenhum motivo, você chama um jornalista de mentiroso, eu ironizo e você replica atacando meu caráter. Seu modo de proceder é, no mínimo, curioso… E eu fico aprendendo sobre o caráter dos humanos.

          De qualquer forma, um abraço.

  3. A mim, cabe parabenizar os Senhores Vidal e CN, pelo alto nível de civilidade.
    Muito obrigado; faz renascer nossa esperança em uma sociedade mais esclarecida e atuante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.