Mais Piada do Ano! Alckmin sonha com coalizão para ter 1/3 do espaço na TV

Resultado de imagem para alckmin charges

Charge do Mário Adolfo (Arquivo Google)

Bruno Boghossian
Folha

Para reduzir os questionamentos sobre a viabilidade de sua candidatura, Geraldo Alckmin (PSDB) tentará construir uma aliança para a corrida presidencial que pode dar à sua chapa a maior fatia de tempo da propaganda eleitoral entre todos os postulantes ao Palácio do Planalto. O tucano trabalha para conquistar esse espaço na TV com o objetivo de emitir sinais de musculatura política e se tornar o principal nome do bloco de centro na eleição. O governador paulista disse a aliados, nas primeiras conversas do ano, que pretende firmar uma aliança que garanta a ele um terço de cada faixa de 12min30s da propaganda eleitoral na televisão – ou seja, 4min10s.

Com esse espaço, Alckmin poderá ter um programa mais longo que qualquer outro competidor. O tempo restante deve se dividir entre diversos candidatos, segundo cálculos dos tucanos, restariam poucas combinações de partidos que poderiam superar a fatia do governador.

CONTRA O MDB – Aliados acreditam que Alckmin precisa dominar a campanha na TV para evitar o crescimento de um adversário lançado por uma coligação de grandes siglas, como o MDB de Michel Temer.

Os tucanos querem acelerar as negociações para a construção de sua aliança e bloquear a consolidação de novas candidaturas competitivas em seu campo político, como a do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e a do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD).

O governador paulista disse a aliados que trabalha para firmar uma coligação com outros seis partidos além do PSDB, mas admitiu que a incerteza sobre o quadro eleitoral ainda dificulta o avanço das articulações.

SUPERCOALIZÃO – Em uma conversa há cerca de uma semana, Alckmin discutiu uma potencial aliança com DEM, PP, PSD, PTB, PPS, e Solidariedade. Com essas siglas, o tucano ocuparia 4min27s de cada bloco da propaganda – pouco mais do que um terço do espaço total.

Auxiliares acreditam que a conquista de um programa de TV amplo será interpretada como um sinal de força de Alckmin, cuja estagnação nas pesquisas alimenta dúvidas sobre sua viabilidade, mesmo entre os tucanos.

Para o governador e seus principais aliados, a propaganda terá peso especial na disputa, uma vez que a campanha será curta e os candidatos só devem decolar na reta final – principalmente depois do início da campanha na TV, em 31 de agosto.

MOSTRAR OBRAS – Por enquanto, Alckmin marca até 12% das intenções de voto nos cenários do Datafolha, apesar de ser conhecido por 85% dos eleitores do país, segundo pesquisa divulgada em dezembro.

O tucano quer usar a TV para tentar exibir realizações do governo paulista nos últimos anos – arma que pretende usar na campanha.

Alckmin determinou que sua equipe acelere a entrega de obras para que ele possa participar de suas inaugurações antes de deixar o cargo para disputar a Presidência, até 7 de abril.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Sonhar ainda não é proibido nem paga imposto. Alckmin tem chance mínima de fechar essa macrocoligação. No próprio PSDB, poucos acreditam na viabilidade de sua candidatura. FHC só diz apoiar para não pegar mal. (C.N.)

9 thoughts on “Mais Piada do Ano! Alckmin sonha com coalizão para ter 1/3 do espaço na TV

  1. OXALÁ, pelo menos o PSOL se proponha a ser o Partido De e da Verdade, diferente, idealista, desprendido, digno, que não seja linha auxiliar e nem estepe de PT coisa nenhuma e muito menos da esquerdalha caviar do Lula, do qual Boulos é serviçal e estagiário, que se confunde com a direitalha fisiológica do “Quadrilhão do PMDB” que desgoverna o país que representam apenas aquele tipo de burguesia que fede e que quer apenas ficar rica sobre os escombros da população, como cantou Cazuza, e que seja, pois, corajoso o suficiente para levantar a bandeira radical do Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, com Democracia Direta e Meritocracia Eleitoral, que o país tanto necessita para se libertar da encalacrada em que a corrupção do capital velhaco em parceria com o establishment financeiro bandido e o banditismo fantasiado de partidarismo o meteu. https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/336958/Novo-presidente-do-PSOL-diz-que-partido-deve-propor-sa%C3%ADdas-%E2%80%9Cmais-radicais%E2%80%9D.htm

      • O PSOL sempre foi um puxadinho do PT e como tal vai continuar. É só ver a composição dos, principais, membros do partido e quem tem Luciana Genro como dirigente não pode reclamar de nada.

        • Já vi claramente em um diretório desses da vida, de algum partido desses, distribuírem “kit-pivete”,consistente em uma garrafinha de água mineral (vazia) com uns dois dedinhos de um liquido para a molecada cheirar! Deve ser água-de-colônia.

  2. Não se esqueçam que o “chuchu” ganhou 2 vezes o governo de SP no 1º turno, elegeu o prefeito da maior cidade do país também no 1º turno, fez o “esterco” do Aécio term mais de 3 milhões de votos de vantagem em São Paulo em 2014.
    Pode até não ganhar a eleição mas não é para ser subestimado assim.
    Na minha opinião em termos de qualificação o único que está a altura dele é Alvaro Dias do Paraná. Talvez possa incluir também o Meirelles em termos de qualificação porém o mesmo nunca chegou a ser prefeito ou governador. mas tudo bem, não deixa de ser qualificado também.

    • Por isso mesmo, a hora não é para aventureiros . Dilmanta foi a tragédia que a duras penas estamos nos livrando. Com Lullarapio ou Bolsonaro o desastre é certo. Com Ciro Gomes a probabilidade de dar m…a também é enorme. Marina Silva num regime presidencialista também não tem perigo de dar certo. Luciano Huck então seria um desaforo. Restam nomes como Alckmin e Alvaro Dias. Talvez o Meirelles se o Temer deixar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *