Mais uma denúncia de corrupção contra o atual governador de Brasília, Agnelo Queiroz. E esta acusação é antiga, do tempo em que ele era ministro do Esporte, no primeiro governo Lula.

Carlos Newton

Está virando rotina no Ministério do Esporte. Além do atual ministro, Orlando Silva, estar envolvido em irregularidades que beneficiaram correligionários de seu partido, o PCdoB, agora seu antecessor Agnelo Queiroz, que trocou o PCdoB pelo PT e foi eleito governador do Distrito Federal, está sendo acusado pelo Ministério Público Federal de cometer improbidade administrativa em 2004, quanto era ministro, ao pagar pelo aluguel da Vila do Pan quase R$ 10 milhões acima do valor de mercado .

Segundo o procurador da República Édson Abdon Filho, a Caixa Econômica Federal avaliou em R$ 15,4 milhões em 2004 o valor de mercado pelo aluguel dos imóveis pelo prazo de dez meses. Mas, o Ministério do Esporte autorizou o pagamento de R$ 25 milhões à construtora Agenco, responsável pela Vila, onde se hospedaram os atletas que participaram dos Jogos Pan-Americanos de 2007 no Rio.

Além de Queiroz, também respondem à ação o então presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Eduardo Mattoso, o vice-presidente do Comitê Organizador do Pan, André Gustavo Richer, o ex-secretário de Esporte de Alto Rendimento, André Almeida Cunha Arantes, e a construtora Agenco.

“Como ministro do Esporte, Agnelo Queiroz tinha o dever de fiscalizar os gastos com as obras. No entanto, mesmo dispondo de uma avaliação oficial que indica um preço justo muito menor, não questionou a construtora”, afirma o procurador responsável pela ação civil, acrescentando: “O então presidente da Caixa também ignorou a avaliação, feita pela própria instituição que ele presidia, e transferiu o dinheiro, por meio do banco”, diz.

A ação foi distribuída na semana passada para a 21ª Vara Federal do Rio. Os acusados serão notificados para apresentar defesa prévia, e só então o juiz vai decidir se instaura ou não o processo.

Detalhe: quando foi feita a denúncia, o governador do DF estava em viagem pela Europa “para avaliar a estrutura para a Copa-2014”, vejam só que coincidência. Certamente, está se preparando para repetir a dose na próxima oportunidade.

Esta é a terceira grave acusação contra Agnelo Queiroz, que já enfrentava a denúncia de que jamais poderia ter comprado uma casa no Lago, com seu salário de servidor público. Depois, apareceu um empresário que confessou repassar dinheiro para o Caixa 2 da campanha eleitoral do então candidato petista. E agora, o caso da Vila do Pan. É muito coincidência, não acham?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *