Mais uma farsa — governo pediu ao PCC para deixar a PM entrar em Alcaçuz

A PM entrou, mas o presídio continua sob controle do PCC

Aura Mazda
O Globo

O governo do Rio Grande do Norte decidiu negociar com o PCC para tentar retomar — ainda esta semana — o controle da penitenciária estadual de Alcaçuz, na Grande Natal. O presídio, o maior do estado, foi palco da matança de pelo menos 26 detentos no fim de semana. Segundo informações obtidas pelo Globo, uma delegada da Polícia Civil e um oficial da Polícia Militar foram designados para conversar com criminosos. O objetivo da negociação é evitar novo confronto com o Sindicato do RN, bando local rival da facção paulista.

Os policiais negociadores receberam a missão de descobrir as exigências dos presos e identificar quais delas poderiam ser atendidas. Uma das reivindicações foi atendida nesta quarta-feira: um grupo de 220 detentos, ligados à facção local, foi transferido do presídio de Alcaçuz, na Região Metropolitana de Natal, para a Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP). A retirada dos presos foi concluída entre 18h30m e 18h39m, mais de três horas após as tropas do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) e do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) entrarem na unidade.

RETOMAR O CONTROLE – A remoção dos presos foi uma nova tentativa de o estado retomar o controle da unidade. Para a retirada dos detentos, foram usados quatro ônibus de turismo locados. Pela manhã, a Secretaria estadual de Segurança do Rio Grande do Norte já havia transferido 119 detentos do PEP para o Complexo Raimundo Nonato, na Zona Norte da capital potiguar.

Logo depois da transferência dos presos de Alcaçuz, houve tumulto do lado de fora, quando mulheres de presos atearam fogo em alguns objetos em frente à penitenciária para tentar impedir a remoção dos detentos. Nas ruas, incêndios simultâneos foram registrados em bairros de Natal. A Polícia não confirma que os ataques foram em retaliação às transferências, mas ao menos 12 ônibus e um veículo oficial do governo do estado foram incendiados.

PRESOS NO COMANDO – Segundo o major Eduardo Franco, da assessoria de comunicação da PM, a penitenciária foi “toda apaziguada”. Os pavilhões 1 e 2 foram invadidos pelos agentes, e bombas de efeito moral foram detonadas. O complexo, no entanto, continua dominado pelos presos.

Outro pedido: a facção paulista demandou a transferência de cinco detentos, identificados como chefes do bando, para alguma penitenciária federal. O estado já enviou ao Departamento Penitenciário Federal (Depen) a solicitação de transferência desses criminosos. Os integrantes desta facção ocupam o presídio Rogério Coutinho Madruga, conhecido como pavilhão 5 de Alcaçuz. Dos quatro pavilhões de Alcaçuz, três abrigam detentos rivais.

A negociação com presos, por parte da PM, começou já na segunda-feira, quando homens do Batalhão de Choque entraram em Alcaçuz e debelaram, mesmo que por algumas horas, a rebelião iniciada na tarde de sábado.

NEGOCIADORES – Terça-feira, uma reunião entre o secretário de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), Caio Bezerra, o secretário de Justiça e Cidadania (Sejuc), Wallber Virgolino, além de outros integrantes do setor de inteligência estadual, decidiu que as negociações seriam encabeçadas pelos dois policiais designados.

O setor de inteligência teria escolhido negociar com a facção paulista porque esta teria mais força no estado. A ordem foi para manter diálogo com os detentos cabendo ao delegado-geral de Polícia Civil e ao comandante-geral da Polícia Militar indicar os negociadores.

De acordo com a assessoria de imprensa do governo, o estado designou duas pessoas como representantes, mas não para negociar e, sim, para “conversar e manter um contato” com os detentos porque, segundo a assessoria, é preciso existir comunicação. “É o que a polícia chama de verbalização”. A assessoria não comentou sobre o atendimento às exigências dos presos.

MUDANÇA DE RUMOS – Na semana passada, no dia 10, antes da rebelião em Alcaçuz, o secretário Virgolino reconheceu que alguns estados “fazem um acordo tácito com os presos” para “não bagunçar, não matar ninguém, não fazer rebelião” e afirmou que, no Rio Grande do Norte, criminosos não teriam regalias: “O estado recua, fica com medo do preso, e começa a aceitar de forma involuntária tudo do preso”.

Na mesma lista de medidas previstas para a retomada do controle de Alcaçuz estão a contratação de 700 agentes penitenciários e a nomeação do procurador Frederico Martins para ser o responsável pelo trâmites jurídicos da crise no sistema penitenciário.

O mesmo grupo que decidiu negociar com a facção também definiu como prioridade a conclusão da perimetral externa da Penitenciária com brita e asfalto e a solicitação de tubos à Petrobras para reconstruir o muro que separa os presos do pavilhão 5 e do pavilhão 4. Um anteprojeto de lei de convocação dos reservistas da Polícia Militar também deve ser analisado com urgência. A Assembleia Legislativa antecipará a volta do recesso para apreciar a convocação dos reservistas e também de professores temporário para educação dos presos.

AGENTES COMPRADOS – O setor de inteligência identificou que agentes penitenciários teriam sido “comprados” para abandonar o portão de aço que separa membros das duas facções rivais ao anoitecer, pouco depois do horário de visita dos presos. “As mulheres foram orientadas a levar mais comida para os maridos”, afirma um investigador, na condição do anonimato. Armas e outros objetos teriam sido jogados para dentro do presídio.

Na rebelião iniciada no sábado, celas e salas do Rogério Coutinho — uma das poucas unidades prisionais do RN que ainda estava em perfeito funcionamento — foram destruídas. Em Alcaçuz, desde 2015, o presídio não tem grades nas celas. Os presos passam os dias soltos pelos pavilhões e pátios.

O motim foi encomendado por chefes da facção de São Paulo. Eles teriam agido por vingança, depois da matança no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), no Amazonas, comandada pela Família do Norte. Em Alcaçuz, cerca de 700 presos do bando local são filiados ao Sindicato do RN, facção aliada da FDN.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Diz o ditado: “Manda quem pode, obedece quem tem juízo”. É o que está acontecendo em Natal, onde as facções dominam os presídios, as celas não têm grades e os presos vivem soltos nos pavilhões, fazendo o que bem entendem. Se fosse no Japão… (C.N.)

24 thoughts on “Mais uma farsa — governo pediu ao PCC para deixar a PM entrar em Alcaçuz

  1. Para além de análises sociológicas, se dispensa uma racionalidade social.
    Não há explicação para este filme de terror pelo qual passa o Brasil.
    O mundo aprende com a experiência brasileira que a barbárie não tem limites, seja na política, educação, saúde, cultura, segurança.
    Não bastasse o sofrimento com a corrupção na política, a inversão de valores e desconfiança em autoridades, ainda presenciamos ao vivo e à cores ao Apocalipse moderno na acepção da palavra.
    Não! Não é uma visão pessimista ou catastrófica da realidade, mas a constatação de nossa condição desamparo completo e autodestruição iminente!
    Que Deus nos proteja!

  2. Silvia,

    O teu comentário poderia ser analisado por alguém desavisado que o classificaria como pessimista.

    No entanto, como reconheço que a situação brasileira está nos seus estertores, o texto que postaste reflete a mais pura e terrível verdade!

    Curiosamente, solução existe.

    Medida que os covardes têm medo, amedronta-os, não conseguem enfrentar a realidade:
    FECHAR O LEGISLATIVO!

    Escrevo à exaustão que, a continuar este Congresso vil e venal legislando em causa própria, e sendo a causa de nosso problemas mais graves em quaisquer áreas analisadas, a destruição do Brasil é iminente, conforme registraste, Sílvia.

    As metástases que hoje se prendem aos demais órgãos do corpo brasileiro infectando-o irreversivelmente, tem só um remédio para tirá-lo do estado terminal, que é eliminar o Legislativo, pelo menos até uma nova Constituição e leis que delimitem os poderes, principalmente a proibição de os parlamentares não mais poderem se conceder reajustes salariais e aprovar tais concessões para Judiciário e Executivo!

    Se não tomarmos esta medida crucial e vital para nossa salvação, bye-bye e bênção!

    • Concordo com sua análise, mas não acho que isso ocorrerá. No estilo brazuca, brotarão Sarajevos pelas cidades do país, de norte a sul, e ao invés de Sérvios, Bósnios e Croatas teremos facções lutando por seus interesses. E as ovelhas, nós, desarmados de forma ditatorial, contra o resultado do referendo, pelo PT, PSDB e demais políticos corruptos e corruptores, ficaremos em prisão domiciliar com o celular no lugar na tornozeleira, sendo extorquidos pelos impostos e custos de saúde, segurança, etc.

      • Aranha,

        O teu comentário que complementa o da Sílvia e o meu é elucidativo!

        Aliás, já vivemos em prisões, com prédios tendo guaridas e vigilantes, muros, cercas, celulares ligados diretamente com serviços de proteção, medos, cuidados, receios quando se sai em qualquer hora do dia e da noite!

        Para culminar com este Estado de Terror imposto pelos ladrões conhecidos como governantes e parlamentares, uma carga tributária insuportável e trabalho escravo por quase meio ano para sustentar esta corja de criminosos!!!

        Bom, o povo concorda com esta exploração, fazer o quê?!

        Um abraço.
        Saúde e Paz.

  3. Newton, se tiver havido esse acôrdo com o PCC. Não devemos esquecer o escritório do Ministro da Justiça em São Paulo, advogou para Marcola, chefe supremo do PCC. É provável que tenha sido Marcola o intermediário desse acôrdo a pedido do ministro. Tudo neste momento é possível.

  4. Newton, a propósito: Saiu na mídia uma carta de 39 deputados americanos criticando o juiz Sergio Moro que estaria perseguindo Lula. (A carta também foi assinada por diversas entidades inclusive a ALFCIO, que tem 12 milhões de sindicalistas).Chama atenção que os colaboradores tão atentos não mandam para o Blog da Tribuna da Internet, notícia que me parece importante.

    • Esses deputados americanos não acusaram o Moro de perseguir o Lula a mando do Putin? Ele agora é culpado de tudo de ruim no mundo, na cabeça dos americanos de esquerda.
      De resto, nenhuma surpresa que a AFLCIO pelega, mafiosa e desmoralizada venha agora se solidarizar com Lula e o PT.

      • Um amigo que mora nos USA me contou que foi a um salão para cortar o cabelo. A senhora que o atendeu, da Etiópia, já era sua conhecida, mas não sabia a sua origem. Quando ele mencionou que era do Brasil, ela perguntou se o Brasil é aquele país em que há muito roubo.
        Esse relato é verdadeiro e reflete a nossa fama no exterior. Antes eramos conhecidos como o país do Pelé, hoje por sermos roubados pelos ladrões comuns e os com foro privilegiado.
        O que me consola é que há casos piores que o nosso. Na Gâmbia, pais próximo ao Senegal, na Africa, o presidente disputou eleições, perdeu, mas se recusou a sair com a alegação de ter recebido mandato perpétuo de Deus. Esse mesmo cara está no poder há décadas e inventou um remédio para a Aids: banana amassada com óleo de rícino. Como se vê, o cara é bem pior que o Temer.

  5. A verdade é que o comando saiu da autoridade publica e passou para os lideres de facções criminosas, nunca vi o poder publico fazer acordo com o presidiário, tem que haver normas rígidas se houver rebelião o líder terá sua pena acrescida de 1/3 da pena a ser cumprida, hoje o que assistimos é o poder público submisso a líder de facções criminosas, este estado de coisas não vai parar, é preciso inverter de imediato este papel.

  6. O país está entregue às baratas. Remédio: inseticida forte,devastador: ação popular para reduzir o número de partidos, de representantes fajutos, reduzir a dois os mandatos de deputados e senadores, acabar com o foro privilegiado e penalizar duramente o juiz relapso ou corrupto. É preciso muito mais, mas já seria um grande passo. E unidos poderemos tudo. Yes we can!

  7. Qual a surpresa?
    Se o governo está acostumado a negociar com parlamentares como Renan e Rodrigo Maia, por que não podem negociar com outros bandidos? Para o governo, negociar com os bandidos que estão presos não passa de mais uma negociação. O único problema é que os bandidos presos não se vendem tão facilmente.

  8. Eu pediria encarecidamente ao nosso Mediador, o incansável Carlos Newton, o seguinte:

    A TRIBUNA DA INTERNET PRECISA DAR MAIS ÊNFASE A ESTA QUESTÃO DOS PRESÍDIOS E DAS FACÇÕES!

    http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/policia/noticia/2017/01/guerra-de-faccoes-se-agrava-e-chega-as-ruas-do-rio-grande-do-norte-9454356.html#showNoticia=ay9ILC0lZGk1NjE0MDgzNTAzNDA3ODAwMzIwbHtYNzk0MjU2MTA1OTAzMTE5MDI1MHVpdTI3Mzc1NzI2NTYzNDA1MzMyNDhiO3Q1OW9HViN4IzN8Yis1QSg=

    Em Natal, RN, a rebelião chegou às ruas da cidade!

    Por acaso estaríamos no “Verão Brasileiro”, em alusão à Primavera Árabe, onde caíram ditadores pela força popular?!

    Seria um sintoma que não suportamos mais a autoridade de imorais e antiéticos, de corruptos e desonestos, de ladrões e traidores?!

    Newton, por favor, mais atenção para esta situação de extrema gravidade, a meu ver, pois infinitamente mais importante que a eleição de canalhas no Congresso, de apátridas, que somente discutem esta política ignóbil, que nada ajuda a resolver as dificuldades da população, muito pelo contrário, ainda acarretam mais obstáculos às nossas vidas!

    Grato pela atenção.

    Um forte abraço.
    Saúde e paz!

    • Faz uns 2 amos que estive em Natal e escrevi aqui na TI que a situação estava ruim.
      Há 7 meses estive lá novamente e escrevi que a situação estava péssima, péssima ao ponto do pessoal do hotel te alertar para não usar a escadaria para descer à Praia de Ponta Negra….
      Deixaram o barco correr e virou o caos , vai piorar, pois no RN a seca está tão grave que a Zona da Mata, que sempre cerca de 100 quilômetros está seca, quase encostando no mar… ” Material humano’ para piorar não falta…

      • Virgílio,

        Este descaso com a população tem sido tema da Tribuna da Internet, portanto, não seria por falta de aviso que as ditas “otoridades” deixariam de se manifestar.

        Na verdade é desprezo mesmo pelo povo, que deve resolver as suas pendências consigo próprio, e não incomodar os ladrões do erário.

        Resultado:
        Vivemos a antessala de distúrbios sociais, que podem se alastrar pelo país e de forma avassaladora.

        Bato na mesma tecla de sempre:
        Se quisermos ter um fio de esperança para sair desta crise sem precedentes em todas as áreas, o Legislativo deve ser eliminado!

        Que volte depois, de a Constituição ser reformada e novas diretrizes serem estipuladas quanto aos parlamentares, que foram os responsáveis pela situação que hoje põe em risco o povo e a nação brasileira.

        Um abraço.

        • Voltei de Aracaju há 2 meses, a situação é pré explosiva, só tem retirantes da seca, você não consegue andar 100 metros sem alguém pedir algo. O crack corre solto, várias obras com recursos do BNB paradas.
          Se fizerem um pente fino no BNB será pior que a Petrobras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *