Mais uma Piada do Ano! Bolsonaro desiste de fazer o pacto com os outros poderes

Resultado de imagem para pacto charges

Charge do Son Salvador (Arquivo Google)

Carlos Newton

O presidente Bolsonaro era igual a Martin Luther King Jr. e tinha um sonho. No caso da matriz USA, o líder norte-americano comandava a luta pelas causas sociais, que ele fomentou admiravelmente. Mas aqui na sucursal Brazil o sonho era fazer um pacto dos três poderes e governar numa boa, com uma oposição compreensiva e uma Justiça complacente em relação às leis. Ora, muito antes de surgir o pensador, jurista e boêmio Charles-Louis de Secondat, barão de La Brède e de Montesquieu, no iluminismo do Século XVII, todos os governantes, sem exceção, tinham o mesmo sonho de Bolsonaro.

PACTO INVIÁVEL – Mas o sonhou acabou, diria John Lennon, porque o presidente brasileiro caiu na real e enfim foi informado de que em regime democrático não existe possibilidade de pacto entre poderes.

Conforme o barão de Montesquieu anteviu, numa época em que nem havia democracia, é fundamental que exista independência entre os três poderes, com o Executivo comandado pelo rei ou imperador, o Legislativo, responsável pelas leis para harmonizar as relações sociais, e o Judiciário, que acompanha o cumprimento das leis e arbitra as pendências.

Desde então, a prática política comprova que só existe pacto entre poderes em regimes ditatoriais. Justamente por isso, citando o genial Montesquieu, imediatamente consideramos aqui na TI a inscrição da ideia (?) de Bolsonaro como concorrente à Piada do Ano.

NOVA DILMA – Curiosamente, Bolsonaro vem se transformando numa nova versão de Dilma Rousseff, que estava sempre surpreendendo o respeitável público com suas tiradas de efeito e sua espontânea criatividade. É preciso reconhecer que Bolsonaro também é bom nisso, tem uma capacidade impressionante de dizer asneiras e pagar micos, como fez ao se referir em público ao tamanho do pênis dos japoneses. E ele mesmo acha uma graça enorme das coisas que diz, ridiculariza a  si mesmo, consegue ser bizarro e hilário, ao mesmo tempo. Pode ser considerado pós-moderno.

Neste sábado, o Planalto divulgou extraoficialmente que decidiu adiar a cerimônia do protocolo de intenções com a assinatura dos chefes dos três Poderes, para segunda-feira, dia 10.

A justificativa foi de que houve divergências, e o Planalto resolveu suspender, por tempo indeterminado, a divulgação do “Pacto pelo Brasil”, como foi batizada a iniciativa.

SINÔNIMOS – “Suspender por tempo indeterminado” é uma maneira transversa de evitar dizer “desistir”. Nenhum governo aceita dizer que “desistiu”. Mas nada disso tem importância. Em tradução simultânea, essa desistência significa que a democracia continua prevalecendo no país.

Ou seja, o Executivo governa, o Legislativo prepara as leis, e o Judiciário decide as pendências. Apenas isso. É o que interessa. Os políticos já perceberam que Bolsonaro e Paulo Guedes não têm agenda. Aliás, Guedes nem acredita em agenda. Em sua ilusão neoliberal, ele pensa (?) que o mercado corrige tudo. Não passa pela cabeça do ministro da Economia que cabe ao governo intervir e regular as relações sociais sempre que houver necessidade ou distorções.

Entre a teoria mal alinhavada de Guedes e a prática consagrada de John Maynard Keynes, quem tem juízo fica com o Lord inglês que tirou o mundo da Grande Depressão.

###
P.S.
1 A cada dia, fica cada vez mais evidente o despreparo de Paulo Guedes. O velho “Chicago boy”, que é vaidosíssimo e agora decidiu escurecer os cabelos, não sabe o que fazer. Vai privatizar todas as estatais. Quando não houver mais nada para vender, o que será que ele nos dirá?

P.S. 2O Brasil cometeu um erro ao eleger Bolsonaro. É maluco e não entende de economia. Seria melhor ter elegido Ciro Gomes, que também é maluco, mas conhece a ciência econômica em profundidade. Não se deixaria enganar com tamanha facilidade. (C.N.)

44 thoughts on “Mais uma Piada do Ano! Bolsonaro desiste de fazer o pacto com os outros poderes

  1. “…o Executivo governa, o Legislativo prepara as leis, e o Judiciário decide as pendências.” E os poderes midiáticos e econômicos fazem o quê, os demais poderem sentarem-se gostosamente no colo deles ?

  2. “Quando não houver mais nada para vender, o que será que ele nos dirá? ” Rifa-se o fiofó do povo, como tem sido rifado há 129 anos, golpe após golpe, eleição após eleição, como impõe o sistema político podre através do seu perverso círculo viciado e vicioso sustentado pelo fiofó do contribuinte cujo potencial de elasticidade tb já esgotou-se há muito tempo ?

  3. Totalmente lógico: “O Brasil cometeu um erro ao eleger Bolsonaro. É maluco e não entende de economia. Seria melhor ter elegido Ciro Gomes, que também é maluco, mas conhece a ciência econômica em profundidade. Não se deixaria enganar com tamanha facilidade. (C.N.)”

    Ciro Gomes além de tudo, tinha experiência de governo, é um cara inteligente.

    Para Bolsonaro esta facada foi a Bendita que o Elegeu. Eu, dele, só conhecia o caso que apareceu na imprensa de Maria do Rosario.

  4. Artigo prenhe de iconoclastia seletiva bizantina.
    Mas os sebastianistas não perdem as esperanças, nem se defrontarem com os portões do Inferno de Dante onde na entrada se lê, “Vós que entrais, deixai aqui fora todas vossas esperanças”
    Quem seria o Demiurgo que traria a solução dos grandes males? O Ciro, Lula?
    Dom Carlos Newton, arranje logo um alquimista, dos bons, e que ele traga a pedra filosofal, o elixir da longa vida e o cálice sagrado pra exorcizar o Bolsonaro que tanto mal fez para a humanidade.
    Nessa altura do campeonato tenho dúvidas se ressuscitariam Stalin, Mao ou o próprio Van Helsing, o Caçador de Vampiros.
    Alguns certamente prefeririam algum outro Esfaqueador doido que girasse a faca do lado contrário só para contrariar a perícia com que Jack, o Estriprador que com seu bisturi fazia cortes cirúrgicos em suas vitimas.
    E assim la nave caiu no descredito do que pontificava o Doutor Jack Kevorkian.

  5. Excelente artigo,
    Bolsonaro não é uma pessoa normal, sempre esboçando um sorriso amarelo, só abre a boca para falar besteira.
    Bolosonaro é desprovido de discernimento crítico, politicamente alienado, sem projeto ou metas de governo, assim como o Guedes, está tentado governar na base da improvisação com a mente condicionada à direita radical do Olavo de Carvalho.
    O PT (Lula) fez a parte dele. levou o país a maior crise de sua história. Será que vão esperar o Bolsonaro e o Guedes acabar de enterrar o Brasil ?

  6. Como todo o Brasil previa, o principal responsável pelo atraso (ou fracasso) do tal Pacto foi o Botafogo, glutão insaciável da GOL promovido a capanga do eixo do mal. O motivo? Segundo o próprio, o pacto estava com uma _agenda_ muito governista 🙂 Nosso editor, que fica repetindo que o governo _não_ tem agenda, desprezou essa parte da história.

  7. Caro CN … “Entre a teoria mal alinhavada de Guedes e a prática consagrada de John Maynard Keynes, quem tem juízo fica com o Lord inglês que tirou o mundo da Grande Depressão.” … Keynes simplesmente explicou como por em prática a Doutrina Social da Igreja!

    • http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao46.htm … CONSTITUIÇÃO DOS ESTADOS UNIDOS DO BRASIL (DE 18 DE SETEMBRO DE 1946)

      TÍTULO III
      Do Ministério Público
      Art 125 – A lei organizará o Ministério Público da União, junto a Justiça Comum, a Militar, a Eleitoral e a do Trabalho.
      Art. 125. A lei organizará o Ministério Público da União junto aos órgãos judiciários federais (art. 94, I a V). (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 16, de 1965)
      Art 126 – O Ministério Público federal tem por Chefe o Procurador-Geral da República. O Procurador, nomeado pelo Presidente da República, depois de aprovada a escolha pelo Senado Federal, dentre cidadãos com os requisitos indicados no artigo 99, é demissível ad nutum .
      Parágrafo único – A União será representada em Juízo pelos Procuradores da República, podendo a lei cometer esse encargo, nas Comarcas do interior, ao Ministério Público local.
      Art 127 – Os membros do Ministério Público da União, do Distrito Federal e dos Territórios ingressarão nos cargos iniciais da carreira mediante concurso. Após dois anos de exercício, não poderão ser demitidos senão por sentença judiciária ou mediante processo administrativo em que se lhes faculte ampla defesa; nem removidos a não ser mediante representação motivada do Chefe do Ministério Público, com fundamento em conveniência do serviço.
      Art 128 – Nos Estados, a Ministério Público será também organizado em carreira, observados os preceitos do artigo anterior e mais o principio de promoção de entrância a entrância.

    • http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao67.htm … CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1967

      SEÇãO IX
      Do Ministério Público
      Art 137 – A lei organizará o Ministério Público da União junto aos Juizes e Tribunais Federais.
      Art 138 – O Ministério Público Federal tem por Chefe o Procurador-Geral da República, o qual será nomeado pelo Presidente da República, depois de aprovada a escolha pelo Senado Federal, dentre cidadãos com os requisitos Indicados no art. 113, § 1º.
      § 1º – Os membros do Ministério Público da União, do Distrito Federal e dos Territórios ingressarão nos cargos iniciais de carreira, mediante concurso público de provas e títulos. Após dois anos de exercício, não poderão ser demitidos senão por sentença judiciária, ou em virtude de processo administrativo em que se lhes faculte ampla defesa; nem removidos, a não ser mediante representação do Procurador-Geral, com fundamento em conveniência do serviço.
      § 2º – A União será representada em Juízo pelos Procuradores da República, podendo a lei cometer esse encargo, nas Comarcas do interior, ao Ministério Público local.
      Art 139 – O Ministério Público dos Estados será organizado em carreira, por lei estadual, observado o disposto no parágrafo primeiro do artigo anterior.
      Parágrafo único – Aplica-se aos membros do Ministério Público o disposto no art. 108, § 1º, e art. 136, § 4º.

    • http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm … CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988

      CAPÍTULO IV
      DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA
      CAPÍTULO IV
      DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA
      (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 80, de 2014)
      SEÇÃO I
      DO MINISTÉRIO PÚBLICO
      Art. 127. O Ministério Público é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis.
      § 1º – São princípios institucionais do Ministério Público a unidade, a indivisibilidade e a independência funcional.
      § 2º – Ao Ministério Público é assegurada autonomia funcional e administrativa, podendo, observado o disposto no art. 169, propor ao Poder Legislativo a criação e extinção de seus cargos e serviços auxiliares, provendo-os por concurso público de provas e de provas e títulos; a lei disporá sobre sua organização e funcionamento.
      § 2º Ao Ministério Público é assegurada autonomia funcional e administrativa, podendo, observado o disposto no art. 169, propor ao Poder Legislativo a criação e extinção de seus cargos e serviços auxiliares, provendo-os por concurso público de provas ou de provas e títulos, a política remuneratória e os planos de carreira; a lei disporá sobre sua organização e funcionamento. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
      § 3º O Ministério Público elaborará sua proposta orçamentária dentro dos limites estabelecidos na lei de diretrizes orçamentárias.
      § 4º Se o Ministério Público não encaminhar a respectiva proposta orçamentária dentro do prazo estabelecido na lei de diretrizes orçamentárias, o Poder Executivo considerará, para fins de consolidação da proposta orçamentária anual, os valores aprovados na lei orçamentária vigente, ajustados de acordo com os limites estipulados na forma do § 3º. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
      § 5º Se a proposta orçamentária de que trata este artigo for encaminhada em desacordo com os limites estipulados na forma do § 3º, o Poder Executivo procederá aos ajustes necessários para fins de consolidação da proposta orçamentária anual. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
      § 6º Durante a execução orçamentária do exercício, não poderá haver a realização de despesas ou a assunção de obrigações que extrapolem os limites estabelecidos na lei de diretrizes orçamentárias, exceto se previamente autorizadas, mediante a abertura de créditos suplementares ou especiais. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
      Art. 128. O Ministério Público abrange:
      I – o Ministério Público da União, que compreende:
      a) o Ministério Público Federal;
      b) o Ministério Público do Trabalho;
      c) o Ministério Público Militar;
      d) o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios;
      II – os Ministérios Públicos dos Estados.
      § 1º O Ministério Público da União tem por chefe o Procurador-Geral da República, nomeado pelo Presidente da República dentre integrantes da carreira, maiores de trinta e cinco anos, após a aprovação de seu nome pela maioria absoluta dos membros do Senado Federal, para mandato de dois anos, permitida a recondução.
      § 2º A destituição do Procurador-Geral da República, por iniciativa do Presidente da República, deverá ser precedida de autorização da maioria absoluta do Senado Federal.
      § 3º Os Ministérios Públicos dos Estados e o do Distrito Federal e Territórios formarão lista tríplice dentre integrantes da carreira, na forma da lei respectiva, para escolha de seu Procurador-Geral, que será nomeado pelo Chefe do Poder Executivo, para mandato de dois anos, permitida uma recondução.
      § 4º Os Procuradores-Gerais nos Estados e no Distrito Federal e Territórios poderão ser destituídos por deliberação da maioria absoluta do Poder Legislativo, na forma da lei complementar respectiva.
      § 5º Leis complementares da União e dos Estados, cuja iniciativa é facultada aos respectivos Procuradores-Gerais, estabelecerão a organização, as atribuições e o estatuto de cada Ministério Público, observadas, relativamente a seus membros:
      I – as seguintes garantias:
      a) vitaliciedade, após dois anos de exercício, não podendo perder o cargo senão por sentença judicial transitada em julgado;
      b) inamovibilidade, salvo por motivo de interesse público, mediante decisão do órgão colegiado competente do Ministério Público, por voto de dois terços de seus membros, assegurada ampla defesa;
      b) inamovibilidade, salvo por motivo de interesse público, mediante decisão do órgão colegiado competente do Ministério Público, pelo voto da maioria absoluta de seus membros, assegurada ampla defesa; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
      c) irredutibilidade de vencimentos, observado, quanto à remuneração, o que dispõem os arts. 37, XI, 150, II, 153, III, 153, § 2º, I;
      c) irredutibilidade de subsídio, fixado na forma do art. 39, § 4º, e ressalvado o disposto nos arts. 37, X e XI, 150, II, 153, III, 153, § 2º, I; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
      II – as seguintes vedações:
      a) receber, a qualquer título e sob qualquer pretexto, honorários, percentagens ou custas processuais;
      b) exercer a advocacia;
      c) participar de sociedade comercial, na forma da lei;
      d) exercer, ainda que em disponibilidade, qualquer outra função pública, salvo uma de magistério;
      e) exercer atividade político-partidária, salvo exceções previstas na lei.
      e) exercer atividade político-partidária; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
      f) receber, a qualquer título ou pretexto, auxílios ou contribuições de pessoas físicas, entidades públicas ou privadas, ressalvadas as exceções previstas em lei. (Incluída pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
      § 6º Aplica-se aos membros do Ministério Público o disposto no art. 95, parágrafo único, V. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
      Art. 129. São funções institucionais do Ministério Público:
      I – promover, privativamente, a ação penal pública, na forma da lei;
      II – zelar pelo efetivo respeito dos Poderes Públicos e dos serviços de relevância pública aos direitos assegurados nesta Constituição, promovendo as medidas necessárias a sua garantia;
      III – promover o inquérito civil e a ação civil pública, para a proteção do patrimônio público e social, do meio ambiente e de outros interesses difusos e coletivos;
      IV – promover a ação de inconstitucionalidade ou representação para fins de intervenção da União e dos Estados, nos casos previstos nesta Constituição;
      V – defender judicialmente os direitos e interesses das populações indígenas;
      VI – expedir notificações nos procedimentos administrativos de sua competência, requisitando informações e documentos para instruí-los, na forma da lei complementar respectiva;
      VII – exercer o controle externo da atividade policial, na forma da lei complementar mencionada no artigo anterior;
      VIII – requisitar diligências investigatórias e a instauração de inquérito policial, indicados os fundamentos jurídicos de suas manifestações processuais;
      IX – exercer outras funções que lhe forem conferidas, desde que compatíveis com sua finalidade, sendo-lhe vedada a representação judicial e a consultoria jurídica de entidades públicas.
      § 1º – A legitimação do Ministério Público para as ações civis previstas neste artigo não impede a de terceiros, nas mesmas hipóteses, segundo o disposto nesta Constituição e na lei.
      § 2º -As funções de Ministério Público só podem ser exercidas por integrantes da carreira, que deverão residir na comarca da respectiva lotação.
      § 2º As funções do Ministério Público só podem ser exercidas por integrantes da carreira, que deverão residir na comarca da respectiva lotação, salvo autorização do chefe da instituição. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
      § 3º O ingresso na carreira far-se-á mediante concurso público de provas e títulos, assegurada participação da Ordem dos Advogados do Brasil em sua realização, e observada, nas nomeações, a ordem de classificação.
      § 3º O ingresso na carreira do Ministério Público far-se-á mediante concurso público de provas e títulos, assegurada a participação da Ordem dos Advogados do Brasil em sua realização, exigindo-se do bacharel em direito, no mínimo, três anos de atividade jurídica e observando-se, nas nomeações, a ordem de classificação. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
      § 4º Aplica-se ao Ministério Público, no que couber, o disposto no art. 93, II e VI.
      § 4º Aplica-se ao Ministério Público, no que couber, o disposto no art. 93. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
      § 5º A distribuição de processos no Ministério Público será imediata. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
      Art. 130. Aos membros do Ministério Público junto aos Tribunais de Contas aplicam-se as disposições desta seção pertinentes a direitos, vedações e forma de investidura.
      Art. 130-A. O Conselho Nacional do Ministério Público compõe-se de quatorze membros nomeados pelo Presidente da República, depois de aprovada a escolha pela maioria absoluta do Senado Federal, para um mandato de dois anos, admitida uma recondução, sendo: (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
      I o Procurador-Geral da República, que o preside;
      II quatro membros do Ministério Público da União, assegurada a representação de cada uma de suas carreiras;
      III três membros do Ministério Público dos Estados;
      IV dois juízes, indicados um pelo Supremo Tribunal Federal e outro pelo Superior Tribunal de Justiça;
      V dois advogados, indicados pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil;
      VI dois cidadãos de notável saber jurídico e reputação ilibada, indicados um pela Câmara dos Deputados e outro pelo Senado Federal.
      § 1º Os membros do Conselho oriundos do Ministério Público serão indicados pelos respectivos Ministérios Públicos, na forma da lei.
      § 2º Compete ao Conselho Nacional do Ministério Público o controle da atuação administrativa e financeira do Ministério Público e do cumprimento dos deveres funcionais de seus membros, cabendo lhe:
      I zelar pela autonomia funcional e administrativa do Ministério Público, podendo expedir atos regulamentares, no âmbito de sua competência, ou recomendar providências;
      II zelar pela observância do art. 37 e apreciar, de ofício ou mediante provocação, a legalidade dos atos administrativos praticados por membros ou órgãos do Ministério Público da União e dos Estados, podendo desconstituí-los, revê-los ou fixar prazo para que se adotem as providências necessárias ao exato cumprimento da lei, sem prejuízo da competência dos Tribunais de Contas;
      III receber e conhecer das reclamações contra membros ou órgãos do Ministério Público da União ou dos Estados, inclusive contra seus serviços auxiliares, sem prejuízo da competência disciplinar e correicional da instituição, podendo avocar processos disciplinares em curso, determinar a remoção, a disponibilidade ou a aposentadoria com subsídios ou proventos proporcionais ao tempo de serviço e aplicar outras sanções administrativas, assegurada ampla defesa;
      IV rever, de ofício ou mediante provocação, os processos disciplinares de membros do Ministério Público da União ou dos Estados julgados há menos de um ano;
      V elaborar relatório anual, propondo as providências que julgar necessárias sobre a situação do Ministério Público no País e as atividades do Conselho, o qual deve integrar a mensagem prevista no art. 84, XI.
      § 3º O Conselho escolherá, em votação secreta, um Corregedor nacional, dentre os membros do Ministério Público que o integram, vedada a recondução, competindo-lhe, além das atribuições que lhe forem conferidas pela lei, as seguintes:
      I receber reclamações e denúncias, de qualquer interessado, relativas aos membros do Ministério Público e dos seus serviços auxiliares;
      II exercer funções executivas do Conselho, de inspeção e correição geral;
      III requisitar e designar membros do Ministério Público, delegando-lhes atribuições, e requisitar servidores de órgãos do Ministério Público.
      § 4º O Presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil oficiará junto ao Conselho.
      § 5º Leis da União e dos Estados criarão ouvidorias do Ministério Público, competentes para receber reclamações e denúncias de qualquer interessado contra membros ou órgãos do Ministério Público, inclusive contra seus serviços auxiliares, representando diretamente ao Conselho Nacional do Ministério Público.

      SEÇÃO II
      DA ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO
      DA ADVOCACIA PÚBLICA
      (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)

      • Art. 129. São funções institucionais do Ministério Público:
        II – zelar pelo efetivo respeito dos Poderes Públicos e dos serviços de relevância pública aos direitos assegurados nesta Constituição, promovendo as medidas necessárias a sua garantia;

        Promover as medidas necessárias a sua garantia … ou seja – até PACTO.

  8. CN … DESISTIR kkk kkk kkk

    Golbery desistiu da Política e da GeoPolítica que levariam Pindorama à 3ª Potência kkk KKK kkk

    Lionço Ramos Ferreira desistiu do Brasil e de Portugal kkk KKK kkk

    o papagaio chegamais também desiste biblicamente … con-FERIR???

    Sds.

    • “A rebelião é tão culpável quanto a superstição; a desobediência é como o pecado de idolatria. Pois que rejeitaste a palavra do Senhor, também ele te rejeita e te despoja da realeza!” (1Sm 15,23)

      “O profeta não tornou mais a ver Saul até o dia de sua morte”. (1Sm 15,35)
      … … …
      E Samuel DESISTIU do UNGIDO REI Saul, né???

      DESOBEDIÊNCIA kkk KKK kkk

  9. Prezado Newton,

    Sem dúvida, Ciro Gomes era – e ainda é – o melhor nome para Presidir o Brasil.
    Quantas vezes eu disse isso aqui?
    No entanto, os robôs e os iludidos se deixaram levar por um ódio insano a um homem que nunca fez mal a ninguém e, se o fez, devido a algumas palavras mal postas, foi a si mesmo, tão somente.
    Quanto ao ” maluco “, analise-se, com uma lupa poderosa, as gestões às quais lhe couberam e, simplesmente, não se encontrará nada que se lhe justifique tal alcunha.
    O que se encontrará são números fabulosos, como o maior superávit da História Brasileira, a transformação do Ceará no mais equilibrado estado do País ( financeiramente), e os melhores índices educacionais do Brasil.
    Abs

  10. Então quer dizer que o melhor pro Brasil, segundo CN, seria Ciro Gomes, aquele que prometeu tirar o nome de todas as pessoas do SPC, pra que elas voltassem a ter crédito e fazer mais dívida? Aquele que disse que o povo precisa de controle?
    É, a TI já teve opiniões melhores…

  11. 1 – Nenhum líder (inter)religioso (ancião do povo) reparou a OFENSA ao Deus, protetor da CIDADÃ … desde quando houve vodu em terras estrangeiras … em 2006.

    2 – Desde 2001 … que a Congregação para o Culto Divino publicou uma instrução, “Liturgiam Authenticam,” … a instrução recomendava a tradução de textos litúrgicos que fossem “não tanto um trabalho de invenção criativa, senão um [trabalho] de fidelidade e exatidão na transcrição dos textos latinos para a língua vernácula”.

    3 – Três meses depois de sua eleição a papa, ele fez com que a Congregação para o Culto Divino, liderada então pelo cardeal Francis Arinze, conduzisse uma pesquisa entre as conferências episcopais para descobrir suas opiniões a respeito da tradução do “pro multis” pelo “por muitos”.
    Tendo reunido tais opiniões, no dia 17 de outubro de 2006, sob a instrução do papa, o cardeal Arinze enviou uma carta circular a todas as conferências episcopais, elencando seis motivos em favor do “por muitos” e encojarando-os – sempre que a formula “por todos” estivesse sendo usada – a “realizar a catequese necessária dos fiéis” em face da mudança.

    4 – “Por muitos” é a tradução que o próprio Bento XVI exige que se adote nas diferentes línguas, como explicou numa carta direcionada aos bispos alemães, em abril de 2012.

    5 – Cansado de alertar … BR não pode ferrar com RJ e se dar bem kkk KKK kkk Como pode uma Metrópole como RJ … não ter Bolsa de Valores kkk KKK kkk Me retirando Snifff fff fff dói; mas gosto … … … ORGASMO CELESTIAL

  12. O MDB é o exímio fazedor de nevoeiro no cenário politico brasileiro…

    Nunca elege nada, só cria o nevoeiro, desorienta, ‘passa a sacola’, abafa e some ….

    Parece a revelação das igrejas….

  13. O James Pimenta quis mostrar sapiência. Derramou erudição. Porém nada disse. Politicamente nada dizendo seria classificado por Bertold Brecht como analfabeto político. Como julgar alguém que não conhece? Nem o Exército Brasileiro aguentou Bolsonaro expulsando-o de suas fileiras. Bolsonaro queria jogar bombas nos alojamentos e nos banheiros por achar que ganhava pouco. Agora sai o croquis nas redes sociais dizendo que também queria explodir o Gazomêtro. O general Ernesto Geisel em entrevista ao CPDOC diz que Bolsonaro é mau militar. O Ministro Passarinho e o General Leônidas Pires Gonçalves que era Ministro do Exército disseram coisas muito severas contra Bolsonaro. Um outro general disse e a imprensa registrou que Bolsonaro era extremamente ambicioso. Quem mandou matar Márcia e dona Terezinha esposa e mãe de Jorge que foi enforcado? Quem mandou matar Marielle? Quem é amigo de milicianos? Ninguém pode julgar quem não conhece. Bolsonaro fala em nova política, mas tem 28 anos de política e só uma lei aprovada. A mídia publicou dizendo que Bolsonaro é propietário no Rio de Janeiro de 14 imóveis carissímos comprados pela metade do preço. Em outra reportagem diz que um reporter foi e Xiririca aonde Bolsonaro nasceu e que lá ele tem 70 casas comerciais em nome de familiares e laranjas. Pergunta? Qual a razão de não ter processado essa gente? Em Xiririca um velho motorista entrevistado disse: “Isso só pode ser dinheiro da política”. Conheço a família desde que aqui chegou, sempre foram pobres; hoje são donos de tudo aqui. Lula estava fora do páreo não conta e Ciro tinha mais experiência. Seu defeito é falar coisas que só o prejudicam. Entre ele e Bolsonaro ele seria o melhor. Mas Adélio com a facada elegeu Bolsonaro. Foi um impácto muito grande e quem estava na dúvida votou em Bolsonaro. Agora é segurar o capitão pois ele pode levar o Brasil a uma guerra civil.

  14. James Pimenta me enganei: Não derramaste sapiência, inundaste o Blog da Internet com pedantismo, com erudição afetada. Na verdade nua e crua você é um “pedaneu”. O Blog da Internet já foi batizado de “Oásis da Liberdade”. Mas está proibido a quem queira sujar-lhe a água.Você está tão longe da realidade que fala em comunismo. Não sabe definí-lo. O que é Comunismo? Diz aí lho-go-lhó! (Se não sabes o que significa compra um dicionário bem antigo que vais saber o significado).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *