Major Olímpio fica no PSL, mas insiste em pedir a saída de Flávio Bolsonaro

Major Olímpio diz que o PSL tem de combater a corrupção

Deu no Estadão

O líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP), reafirmou ao Broadcast Político, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, o seu desejo de que o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) deixe a sigla. Major Olímpio também expressou vontade de continuar no partido: “Vou resistir e mostrar que estou com o presidente Bolsonaro. Eu não sairei”.

Nesta quarta-feira (18), no ato de filiação da senadora Juíza Selma Arruda (MT) ao Podemos – após ter deixado o PSL – Major Olímpio afirmou que ela trocou de legenda “porque está do lado certo”. Sobre outros integrantes da bancada do PSL no Senado, Olímpio informou que “(a senadora) Soraya Thronicke (MS), disse que não sairá”. “O outro senador é o Flávio Bolsonaro (RJ), que eu já disse que gostaria que ele deixasse o partido”, afirmou o líder do PSL.

CPI DA LAVA TOGA – Foi a divergência no PSL em torno da CPI da Lava Toga que fez o líder do partido, Major Olímpio (SP), pedir a saída de Flávio Bolsonaro. “Nós é que representamos a bandeira anticorrupção do Presidente. Eu tentei convencê-la (senadora Juíza Selma, de saída para o Podemos) a ficar e resistir conosco. Quem tem que cair fora do PSL é o Flávio, não ela. Gostaria que ele saísse hoje mesmo”, disse Major Olímpio na quarta-feira.

Apesar disso, o líder não deve entrar no Conselho de Ética do PSL contra Flávio, por avaliar que ele não tenha ferido nenhuma regra. “Só trazer muita vergonha a nós”.

Há algumas semanas, o próprio Major Olímpio estava pensando em deixar o partido, depois de divergências com o PSL-SP e algumas decepções com o governo. Foi dissuadido por colegas e disse que decidiu ficar e “resistir”. Ao avaliar a semana do PSL e da base do governo no Senado, o líder falou que foi “ruim porque perdemos a Selma”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Interessante e digna de elogios a posição do líder do PSL. Afinal, Bolsonaro foi eleito para combater a corrupção e não para compactuar com ela, através do pacto dos três Poderes, cada um mais apodrecido do que o outro. Dois filhos de Bolsonaro já foram flagrados no esquema das “rachadinhas”. Além de Flávio, o outro é o durão Carlos, o Carluxo, que empregou grande parte da família da segunda mulher de Bolsonaro e nenhum desses assessores jamais trabalhou ou recebeu salários. A denúncia foi da revista Época, em reportagem de Juliana Dal Piva, Juliana Castro e Chico Otavio, que entrevistaram vários funcionários-fantasmas do gabinete do vereador. Agora só falta flagrar o terceiro filho, Eduardo Boslsonaro, o Zero Três, para comprovar que, na família, o golpe da “rachadinha” passou de pai para filho. (C.N.)  

5 thoughts on “Major Olímpio fica no PSL, mas insiste em pedir a saída de Flávio Bolsonaro

  1. É…hoje penso que se houvesse plebicito novamente, a MONARQUIA ganharia de lavada.
    Sinceramente os regimes presidencialista e parlamentarista não tem como continuarem no Brasil.
    Chega ser vergonhoso termos que votar na mesma “corja” de sempre.
    Pensa-se muito em si próprio e pouco na população.
    Na verdade, o povo só é lembrado as vésperas das eleições.
    Sinceramente vou pensar duas vezes se quero perder meu tempo indo até o colégio eleitoral “desperdiçar” meu voto no ano que vem.
    Está desmotivante habitar neste país.

  2. As pessoas de bem combateram o PT e os partidos corruptos a ele associados. O resultado foi saneador. Agora é a vez de acabarmos com o PSL, partido do Bolsonaro, ou corremos o risco de não nos livramos da perniciosidade do atual presidente nas eleições de 2022.
    Lula saqueou o país e contribuiu para fragilizar as nossas instituições; Bolsonaro está envergonhando a nação, dando maus exemplos aos nossos jovens, e enfraquecendo a democracia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *