Malucos beleza

Tostão

Volto das férias com saudades de bons jogos, de ver Neymar atuar. O futebol, de clubes, brasileiros e sul-americanos, está muito distante de seu extraordinário talento.

Estamos percebendo que Neymar é e será ainda maior que os mais otimistas imaginavam. Para confirmar isso, que será um fenômeno, mais que um craque, terá de brilhar, com a mesma intensidade e regularidade, contra os melhores times e seleções do mundo. Isso tem tudo para acontecer, em pouco tempo.

Agora, todas ou quase todas as partidas da Copa do Brasil e da Libertadores serão equilibradas. Acabaram as molezas.

Além de Neymar, o Santos mudou após a derrota para o Barcelona. O time troca mais passes e cruza menos bolas para o gol, bem diferente do São Paulo, várias vezes campeão com Muricy.

Por outro lado, os zagueiros, encostados à grande área, ficam muito distantes dos volantes. Os meias e atacantes adversários deitam e rolam. Isso ocorre com todos os times brasileiros, especialmente com o São Paulo. O Corinthians é exceção, um dos motivos de sofrer poucos gols.

No sábado, veremos a final da Copa dos Campeões da Europa. O Bayern é superior. Mas não há certeza de nada. O Chelsea não eliminou o Barcelona porque jogou bem, dentro de seu estilo. Ganhou por detalhes surpreendentes e incomuns. A fraquíssima seleção grega, na Eurocopa de 2004, armou uma retranca, como o Chelsea contra o Barcelona, e ganhou o título.

Toda equipe tem o direito de jogar do jeito que pode e sabe. O que não se deve é enaltecer o futebol medíocre por causa de uma vitória.

O Barcelona, no fim de temporada, cansado, não tomou a bola no outro campo com a mesma eficiência. Com isso, criou menos chances de gol e sofreu mais contra-ataques. Faltou também mais um grande atacante, para não depender tanto de Messi.

Além do mais, o Barcelona, acostumado com tanto sucesso, desconcentrou-se e perdeu o medo da derrota. A incerteza e o medo do desconhecido, do futuro e da morte são, com frequência, a chama que anima nossas vidas.

Vivemos em busca de algo que nos complete. Nunca vamos achar. Darcy Ribeiro, outro maluco beleza, como Raul Seixas, mesmo com histórias bem diferentes, dizia que seu grande sonho era ser Deus.

Um torcedor do Santos disse que os dribles de Neymar são tão malucos que ele dribla até a si mesmo. O mundo e o futebol precisam de malucos beleza, competentes, e também de Zé Regrinhas, tecnocratas. Os malucos beleza são mais interessantes

###
GALO CAMPEÃO

O Atlético, merecidamente, ganhou o Campeonato Mineiro, invicto, apesar do pênalti, claro, não marcado a favor do América quando o jogo decisivo ainda estava empatado em 0 a 0.

Depois das comemorações pelo título, é preciso lembrar que Galo e Cruzeiro foram eliminados da Copa do Brasil por times da Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro. O Atlético está melhor, porém, ainda está distante das grandes equipes brasileiras. O América, que é forte candidato a voltar à Série A do Brasileirão, despachou o Cruzeiro no Mineirão.

O Cruzeiro, agora sob o comando do bom técnico Celso Roth, está hoje no nível das piores equipes da Série A e das melhores da Série B. Isso é muito preocupante.

(Transcrito do jornal O Tempo)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *