Manifestações representam apenas o desespero de um governo cada vez mais desgastado

Isolado, Bolsonaro tenta se colocar como solução para crise — Conversa  Afiada

Bolsonaro se tornou um governante cada vez mais isolado

Hussein Kalout
Estadão

A quem interessa semear o caos, instalar a discórdia e ameaçar as instituições? Apenas a um governo fraco, combalido e que não tem mais nada a oferecer ao país. Quase três anos de balbúrdia e de anarquia governamental é o que tem sido legado como resultado ao povo brasileiro.

O governo já nasceu desprovido de projeto estratégico de país e de uma visão realista do mundo. Alguns apostavam, contudo, em avanços concretos na economia, mas essa esperança foi logo frustrada por um festival de incompetência.

MISTURA EXPLOSIVA – O coquetel que o governo conseguiu oferecer à população é feito de inflação em alta, violência urbana em ascensão, desvalorização da educação,

Negacionismo da ciência, corrupção na saúde, declínio do poder aquisitivo do cidadão, pobreza em franca expansão e a inclemente volta da fome. Eis o retrato do Brasil de Bolsonaro.

Afundada em crises de dimensões política, econômica e social, a sociedade brasileira acompanha anestesiada o sequestro dos símbolos nacionais pelo Presidente da República. O dia 7 de setembro, data de independência de todos os brasileiros, foi tomado de assalto para converter-se numa espécie de: “Bolsonaro’s Day”.

DIA COMEMORATIVO – Não é despropositado supor que o anseio do presidente consiste em fazer com que os brasileiros confundam o Dia da Independência nacional com um dia comemorativo do próprio bolsonarismo e de seu projeto de poder.

Por óbvio, não cabe questionar o direito de qualquer cidadão de se manifestar pacificamente. Não parece ser esse o objetivo da mobilização. Aparentemente, o presidente quis utilizar a manifestação de 7 de setembro como anteparo contra a sua ascendente rejeição – hoje estimada na expressiva cifra de 65% dos brasileiros.

E alguns de seus entusiastas defensores não escondem seu ímpeto autoritário, pedindo intervenção militar, fechamento do Congresso e do STF. Tudo em nome da liberdade de expressão!

AINDA SEM PARTIDO – No campo político, o custo Bolsonaro ficou inflacionado. Com seu poder em declínio, o presidente encontra dificuldade para achar um partido de estimação. Quanto mais se enfraquece, menor será a sua impulsão para tomar um partido qualquer – minimamente estruturado – e chamá-lo de seu.

A queda de popularidade do presidente vai dilacerando o seu poder de manobra junto aos partidos do centrão – grupo que, por sua vez, em apenas não deflagrar o processo de impeachment, já entende como retribuída a sua dívida com o inquilino do Planalto.

Os bolsonaristas apostavam tudo na manifestação deste 7 de setembro. A esperança era a de que um ato massivo ajudaria a manter o centrão “comportado” e as instituições jurídicas e persecutória “acuadas”, além de estancar o declínio da popularidade do presidente estará ameaçado.

ATO DE GUERRA – A moldura mental do presidente está talhada para interpretar o exercício da função presidencial como permanente ato de guerra e não como serviço público a ser prestado aos cidadãos e ao seu país. A calculadora política de Bolsonaro divide quando precisa somar e multiplica (inimigos) quando precisa subtrair.

Quem está na defensiva não é o campo democrático. Quase sem tinta, a caneta presidencial já não funciona mais como instrumentos dissuasório para intimidar o Poder judiciário, o Ministério Público ou a imprensa – e tampouco para comprar aliados no parlamento.

Na melhor das hipóteses, as manifestações darão ao presidente um pouco mais de gás para seguir por mais alguns lances com a sua sanha autoritária, até o momento que terá de enfrentar a realidade – o escrutínio do voto popular e a letra da lei.

 

14 thoughts on “Manifestações representam apenas o desespero de um governo cada vez mais desgastado

  1. Enquanto a CORRUPÇÃO reinar neste nosso país, nós só teremos MUITO mais do mesmo.
    Por isso parte da sociedade pede medidas extremas; mas, não seria nunca com um ‘clã dos infernos’ e sim pessoas que amassem seu país e desse o melhor de si (exemplos) para melhorar este povo.
    Teremos SIM de demolir este estado de coisas onde ser honesto é desonra.
    PS: Os amigos do agente da lei, cobrando o porque seus pares estão com carros e casas novas e ele ainda reside com a família no bangalô e anda de bicicleta e velha!!!

    • Sr. José, por favor, não fale esse palavrão aqui, o senhor pode ser crucificado pela guarda pretoriana do Mito, neste governo não existe corrupção, já que o vocábulo foi extirpado da Língua Portuguesa por Jair Camões Bolsocheio

  2. eleito presidente para “governar” o país por quatro anos

    BROXAnaro repete na presidência o que fez durante 28 anos no legislativo.

    ou seja:

    nadica de nada

    … a não ser roubar e proteger criminosos de sua laia.

  3. Noticiam que os caminhoneiros programam um bloqueio geral. Para tranquilizar os homens de bem, sugiro que entrevistem o senhor Mourão sobre o assunto – ele sempre tem um eufemismo para atenuar qualquer crise. Aliás, segundo ele, vivemos no melhor dos mundos do professor Raimundo.

  4. Analisando bem estamos vivendo um governo exatamente como o povo escolheu.
    Bolsonaro sempre pregou o ódio a desconfiança a proteção e cobertura dos filhos, laços íntimos com a milícia.
    Sempre foi um vereador e deputado sem iniciativa, sem causa e sem fidelidade a partido nenhum.
    Fico pasmo com muitos autores de artigos anti Bolsonaro justo de antigos apoiadores!
    Desejaria saber porque mudaram de lado?

    • Os agora anti-bolsonélio mudaram de lado, mas não significa que vão para o lado do Quadrilhão do Luladrão e seus bandidos…
      A distãncia é enorme….

  5. Eliete, teu intelecto é da dimensão de uma ervilha, da mesma forma, que é o intelecto de seus pares.
    O capitão do mato, meteu a mão pelos pés, quando acreditou poder fazer parte da Casa Grande, e por suas botas sujas sobre a mesa. Se ferrou!!! O Odorico Paraguaçu, nos dias de hoje, devido sua boçalidade, representa exatamente aquele vídeo que o mesmo exibiu, mostrando um leão decrépito cercado de hienas, é exatamente isto que ele é. Nada mais.
    Te pergunto:
    Já vistes capataz mandar em Senhorio?
    Já vistes Capitão mandar em General?
    O Capitão do mato e sua tropa, acreditando nisso, tentaram subverter o Sistema e com isso, aplicar um golpe dentro do golpe. A história se desenrola como farsa e se repete como tragédia. Em breve veremos uma nova versão de Canudos. Ainda bem!!!.
    Com todo respeito à Canudos original.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *