Manobra contra o juiz Sérgio Moro fracassa totalmente

Pedro do Coutto

Somente pode ser analisada como manobra a reclamação junto ao Supremo pelos advogados que defendem dirigentes das Empresas UTC e Engevix contra o desempenho do juiz Sérgio Moro à frente do processo da Operação Lava Jato. O que alegaram? Que o magistrado, aliás de atuação impecável, omitiu as acusações feitas a políticos, a fim de bloquear a transferência total do caso de sua alçada a do STF.

Se confirmada pelos fatos, a manobra fracassou totalmente e terminou provocando o efeito contrário: fortaleceu ainda mais o titular da décima terceira Vara Federal do Paraná, sobretudo em face da repercussão pública que alcançou e do volume maciço de apoios que recebeu – e vem recebendo. Inclusive de dois ministros aposentados da Corte Suprema, Carlos Veloso e Aires Brito.

O episódio, em si, foi estranho. Advogados de executivos de empresas, que não se incluem entre as personalidades com direito a foro especial, recorrerem ao Poder Judiciário, basicamente, contra uma medida alegada que nada tem a ver com os seus constituintes no processo. Pois ainda que Sérgio Moro não houvesse incluído deputados e senadores eventualmente envolvidos, isso em nada alteraria as demais decisões firmadas pelo magistrado. Por uma razão muito simples: os executivos de empresas não estão investidos de mandatos parlamentares.

JUIZ FORTALECIDO

Assim, ao invés de abalarem Moro, como sinalizavam na iniciativa, terminaram fortalecendo-o ainda mais. O juiz, em declarações que divulgou à imprensa (a reportagem mais completa foi de Rubens Valente, Gabriel Mascarenhas, Severino Mota, Mário César Carvalho, Folha de São Paulo 26) destacou serem fantasiosas as acusações. Pois – acrescentou – nomes de políticos não poderão ser citados para preservar decisão já tomada pelo STF. Quanto à delação e seu sigilo, foram escolha voluntária dos réus, sem relação com as prisões determinadas. Quanto ao acesso ao conteúdo das delações, o processo encontra-se sob análise da Procuradoria Geral da República e do próprio Supremo Tribunal Federal.

Como se constata, as afirmações de Sérgio Moro assinalam bem a falta de conteúdo concreto na reclamação formalizada contra ele. Mais uma página virada entre milhares de outras, cuja sequência parece não ter fim. Ou então que o fim ainda se encontra muito longe. Isso porque os episódios sucedem-se sem parar. Tanto assim, como O Globo publicou na edição de 26, matéria de Ramona Ordonez, o Conselho de Administração da Petrobrás decidiu criar uma diretoria de Governança, Risco e Conformidade, que será dirigida por um executivo com superpoderes.

MAIOR ESCÂNDALO DO PAÍS

O objetivo principal, ficou nítido, é o combate à fraude e à corrupção, fatores que produziram o maior escândalo financeiro da história do país e que culminou com sua revelação através da Operação Lava Jato realizada pela Polícia Federal e que se transformou no processo realizado pelo juiz Sérgio Moro e na escala das delações premiadas que se deslocaram para a esfera do Supremo Tribunal.

Os julgamentos vão demandar prazos extensos previstos na legislação sua repercussão tende a aumentar com o passar do tempo e surgimento dos implicados, deputados e senadores, que, estes sim, somente poderão ser julgados pela Corte Suprema. Além de tudo isso, temos que considerar o reflexo internacional de todo o mar de escândalos.

11 thoughts on “Manobra contra o juiz Sérgio Moro fracassa totalmente

  1. Sr. Pedro do Couto, Esse JUIZ SERGIO MORO, entrará para a História, na galeria de RUI BARBOSA, por “SER SERVIDOR DA SRª JUSTIÇA”, HONRANDO-A.
    Infelizmente a Suprema, se apequena com seus ministros indicados pelo PT, estuprando-a e vilipendiando, em nome do “beija mão” de agradecimento a quem os indicou.
    Cabeça cancerosa, que deveria buscar em Rui Barbosa, os parâmetros de JUSTIÇA, e não mergulhar na lama da corrupção, servindo de péssimo exemplo para os demais membros do corpo. Uma NAÇÃO, que tem uma Justiça desse quilate, é tudo, menos uma NAÇÃO JUSTA PARA SEU POVO. Que DEUS PROTEJA O JUIZ MORO E EQUIPE, nesse exemplo de AMOR À JUSTIÇA.

  2. tendo dito, repetidamente, que

    =MORRO DE MEDO DA “justissa” BRASILEIRA.= Isto é Verdade!!!

    Porém vejo que do Juiz Sérgio Fernando Moro (uma das poucas exceções) não devo temer (sem trocadilho).

  3. Um exemplo de honradez, competência e coragem. Coragem não só pelas ameças abertas que sobre, mas pelas indiretas, principalmente a das ‘carteiradas jurídicas’ das bancas de advogados mais caras do país. Hoje em dia os advogados dos ladrões engravatados não querem mais discutir os fatos que estão nas provas, pois isso se tornou inútil. Querem o tempo todo discutir a legalidade das provas, para poderem através de algum subterfúgio jurídicos, anulá-las.

  4. É um HOMEM livre e de boa índole, obedecendo a JUSTIÇA, causa que abraçou.
    É a compensação, que graças à DEUS existe.
    Ainda temos muita e muita gente boa, creio tranquilamente.
    Mas muitos não chegam, são ”bloqueados” de todas as formas.
    Inclusive por R$ … R$… R$…, e outras ”coisitas” mais.

  5. E o Programa ” Mais Roubos” continua a todo vapor em todas as áreas. Acabou de sair no G1.
    (…)…
    27/11/2014 11h43 – Atualizado em 27/11/2014 12h08
    Irmão de ministro da Agricultura é alvo de operação da PF contra fraude
    PF foi até a casa do irmão de Neri Geller e apreendeu documentos.
    Na operação, já foram presos ex-prefeito, vice-prefeito e vereadores.
    Do G1 MT
    FACEBOOK
    O irmão do ministro da Agricultura, Neri Geller, é um dos alvos da operação Terra Prometida, deflagrada pela Polícia Federal, nesta quinta-feira (27). A ação é contra fraudes na concessão de áreas da União destinadas à reforma agrária a produtores rurais e empresários, por meio de títulos emitidos de forma irregular. Policiais federais foram até a casa de Odair Geller, em Lucas do Rio Verde, a 360 km de Cuiabá, e apreenderam documentos. Ele não estava na residência no momento.
    Como a operação ainda está em andamento e nem todos os 52 mandados de prisão preventiva e os 146 de busca e apreensão haviam sido cumpridos, a PF não pôde informar se os policiais foram até a casa do irmão de Neri Geller para prendê-lo ou para fazer busca e apreensão. O G1 tentou, mas não conseguiu localizar o advogado de Odair Geller até o fechamento desta reportagem.
    Na operação, a PF prendeu o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Marino Franz. Ele foi levado para a delegacia da Polícia Federal do município. A advogada do ex-prefeito, que o acompanhava no momento da prisão, também não quis se manifestar sobre o assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *