Mãos lavadas em água suja caracterizam a postura da mídia contra Bolsonaro

Resultado de imagem para charges sobre a midia

Charge do Latuff (Arquivo Google)

Percival Puggina

Passa longe de mim o discurso ingênuo lastreado na suposição de que possa haver convergência no atual quadro político brasileiro. Basta assistir uma sessão da Câmara dos Deputados para perceber o quanto é ingênuo esse discurso.

Nas eleições do ano passado, o eleitorado deu giro de 180 graus no conjunto de suas opiniões sobre a situação nacional. Durante 25 anos, a direita ficou sem partido e sem voz. Essencialmente antipetista, renasceu vigorosa nas redes sociais após os achados da Lava Jato e se identificou com o discurso conservador de Bolsonaro.

Era evidente, e o tempo veio oferecer prova, que o combate da grande imprensa ao candidato antes e durante o período eleitoral não iria amainar após a eleição. Os gigantes da comunicação não iriam se dar por vencidos e, menos ainda, reconhecer que erraram em suas avaliações sobre o que viria a ser um governo do capitão. Como ficam tais veículos se o governo for bem sucedido? O que dirão “lá em casa?”

E O SUPREMO? – Isso explica muita coisa. Mas não explica suficientemente tudo. Veja, leitor, o que está acontecendo ante as mais recentes decisões do STF, notadamente na invencionice processual de “que o delatado fala por último nas alegações finais do processo” e na deliberação que, na prática, acabou com a prisão após condenação em segunda instância.

Ambas aconteceram num país que saiu das urnas com a tarefa de acabar com a cultura da impunidade, com a insegurança e com a corrupção. Lugar de bandido é na cadeia. A sociedade sabe que muitos crimes contra ela praticados não ocorreriam se os criminosos estivessem neutralizados, contidos onde lhes sobram motivos para estar: atrás das grades.

Enquanto o STF toma decisões das quais até Deus duvida, o Congresso Nacional vem na contramão da vontade social, surdo à voz das ruas, atropelando os urgentes anseios da sociedade. Legisla velozmente em causa própria, aprova leis que inibem a persecução penal e revela total inapetência ante o cardápio legislativo que o governo e a sociedade lhe propõem.

QUADRO DE TERROR – No Congresso, seus dois presidentes, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, respondem às iniciativas moralizadoras balançando a chave do arquivo – destino prometido a todas que possam colocá-los em risco.

Nesse quadro de terror, bandidos sendo soltos, chefes de quadrilha, corruptos e corruptores, festejando a liberdade e a leniência do Congresso. Insensibilidade do STF, que se desdobra beneficiando a cultura da impunidade.

Voltemos, então, às primeiras linhas deste artigo. O que faz a grande imprensa perante fatos tão graves? Lava as mãos em água suja?

E A MÍDIA? – Qual a opinião de tais veículos sobre a desconsideração dos poderes à vontade de seus leitores, fregueses da indústria da informação? Que opinião têm sobre a conduta de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre? Onde sumiram os adjetivos que lhes seriam corretamente aplicáveis? Onde as urgentes matérias para constranger o Centrão e seu chefe Arthur Lira, réu perante o STF?

Nada! Que jornalismo é esse, surdo à sociedade, que só tem opinião ácida e desmedida sobre o presidente da República?

Se pequena parcela do esforço que dedicam para atacá-lo fosse usada com o intuito de colocar o país nos eixos da decência e do efetivo combate à impunidade, o povo, o público, os leitores, os aplaudiriam e não precisariam sair às ruas para expor os fatos do alto de um carro de som.

26 thoughts on “Mãos lavadas em água suja caracterizam a postura da mídia contra Bolsonaro

  1. Percival, parabéns pela análise que nos obriga a pensar – apesar do presidente desconhecer o milenar provérbio chinês “saber calar, para saber falar”.

    Penso que a soma da conduta da mídia com o comportamento do presidente se transforma em nitroglicerina muito perigosa.

  2. Parabéns. Excelente artigo. Não vejo saída para esse país vagabundo com esse congresso e esse STF. Infelizmente não há solução. Voltemos em 2020 às ruas em número cada vez maior para fecharmos esses dois poderes e definitivamente REFUNDARMOS
    A DEMOCRACIA NESSE PAÍS VAGABUNDO.

  3. Quanta ingenuidade. Ou será hipocrisia deslavada? Bolsonaro se quiser só elogios da imprensa, que trabalhe para merecer. Ou, então, abra-compre tv, jornal ou revista apenas para fartar-se de elogios e auto-elogios. Destemperado e grosseiro, Bolsonaro age como deputado federal. Insulta, agride e ameaça. como chefe da nação, tem que ter compostura e postura. Ah, ele é assim mesmo, dirão os áulicos. Então, aprenda, pelo menos, a tratar as pessoas com educação.

  4. “Nada! Que jornalismo é esse, surdo à sociedade, ”

    Concordo, porém parte da imprensa age dessa forma desde sempre, apoiando quem bajula e a compra com dinheiro público e chantageando, e até derrubando, quem vem contra a maré.
    Só agora percebeste?

    • Nós não temos uma imprensa séria neste País. Assim cpmo uma grande parte de nossos “artistas”. Nossa imprensa sempre viveu as custss de verbas públicas. Por dezeseis anos roubaram este País. Parabéns pelo artigo.

  5. O radicalismo político tem nos levado a posições e declarações altamente contraditórias, de modo até que eu não diga de má fé!

    Imagino, de acordo com os meus parcos conhecimentos, que acusar alguém de uma conduta inapropriada, em desacordo com o cargo que ocupa, aquela pessoa precisa ter consigo um comportamento ético e moral para fundamentá-la em solicitar que o inoportuno seja banido.

    Não é o que acontece com os nossos poderes.
    Executivo é corrupto, incompetente e irresponsável;
    Legislativo é corrupto, ladrão, incompetente e irresponsável;
    Judiciário, parcial, tendencioso, comprometido politicamente até a medula!

    Logo, qualquer tentativa de impeachment a Bolsonaro soará falso, demagógico, contraditório e mal intencionado.

    Pergunto:
    Lula foi criticado quando ofendeu uma cidade inteira, ao declarar que Pelotas, RS, era um polo exportador de “viados”?!
    Não.

    Lula sofreu alguma reprimenda quando disse para todo o Brasil que Maria do Rosário, deputada pelo PT/RS e, à época, a senadora Bezerra, PT/RN, hoje governadora, que ambas tinham o “grelo duro”??!!
    Não.

    Lula sofreu alguma tentativa de impeachment quando levava consigo em viagens internacionais e sua amante, Rose, e lhe pagava diárias inclusive?!
    Não.

    Lula foi criticado quando se “serviu” de um preso à sua satisfação sexual?!
    Não.

    Lula alguma vez foi admoestado pelo seu habitual estado etílico?
    Não.

    Lula foi severamente criticado quando participou com a sua quadrilha, em um “show” de sexo explícito porque lhe disseram que se tratava de “arte”?!
    Não.

    FHC foi criticado porque traía a sua esposa com uma jornalista, que era sua amante, e que a mantinha no exterior?
    Não.

    Há uma lista imensa de comportamentos de absoluta má educação, desrespeito, deboche, escárnio, por parte de nossas autoridades, e jamais vi algo como assisto contra Bolsonaro!
    Se os seus antecessores fossem EXEMPLOS a ser seguidos, de uma conduta ilibada, tudo bem.

    Mas, com essa vida pregressa que tiveram, e a mídia sempre se manteve calada, omissa, com relação a comportamentos condenáveis anteriormente, causa espécie que, agora, queira posar de fiscal da moral e da ética do atual ocupante do Planalto!

    Mazzzzaaaaaa cinismo e hipocrisia!

      • Cardoso,

        Eu já estou em paz!
        Quem precisa é quem defende ladrão e genocida, e os que negam a conduta criminosa de nossos ex-presidentes!

        Meus caminhos estão tão abertos e iluminados, que posso andar nas ruas sem qualquer problema.
        E os teus senhores?

        Aliás, uma sugestão prá ti:
        Procura um templo Budista e vai meditar.
        Pensa nas asneiras que publicaste em defesa do PT e de seus dirigentes, e voltes mais consciente ano que vem.

        Quanto às tais “fake news”, por favor:
        Tem vídeo e áudio do Lula sobre Pelotas;
        tem áudio sobre as partes pudendas das petistas;
        tem reportagens comentando o cado de FHC;
        existem documentos que provam as viagens de Rose com Lula, e ela recebendo diárias;
        Um amigo de Lula publicou em um artigo que Lula lhe confidenciara ter “violentado” um preso.

        De onde as fake news?
        Agora, tu, sim, ao negares a verdade, postas diariamente as tuas falsas informações e desvios da realidade.

        Te orienta.
        Reza neste Natal!

    • Seu comentário complementa perfeitamente o artigo do Percival. Obrigado Francisco, Percival e CN por manter a TI. Esse Alex Cardoso só vem embarrar este blog.

  6. Puggina, excelente comentário.
    A imprensa, em geral, quer, como antes citado, bajulação, elogio e dinheiro.
    Tipo globo lixo, folha, e os demais petistas e sem escrúpulos, com merdal pereira, ascanio salame, o crápula elio Gaspari , este conheço bem, e vários outros.

    • Albuquerque Lima,

      A mídia não tem moral alguma para acusar quem quer que seja.
      A começar que ela é venal, tendenciosa e parcial.
      Seus pedidos de impeachment a Bolsonaro são demonstrações sobejas de cinismo e hipocrisia, mais nada!

      Abraço.
      Saúde.

    • Chamar uma grande parte de nossa imprensa de lixo é um elogio. Rscapam bem pouco que são digna de confiança. Basta ver quando acusaram o presidente de estar envolvido no crime da vereadora. Nunca vi um destes pseudo-jornalistas de perguntarem ou falar nada com o molusco, com os crimes de Celso Daniel ou do prefeito de Campinas.

  7. Perfeito Percival Puggina. Aplausos para seu artigo tão esclarecedor sobre determinados comportamentos. Aproveito para aplaudir também seus vídeos em seu canal de you tube. Quem ainda não se inscreveu, aproveite. É uma sugestão que dou e vale a pena. Nada de parcialidade, mas comentários sérios e bem articulados de uma pessoa que também admiro. São leituras assim que ajudam o país a encontrar caminhos para sua recuperação, depois de anos e anos de destruição sistemática.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *