Marco da Mineração pode ser sustado no Congresso

Raquel Faria
O Tempo

A Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa Mineral vai sugerir aos presidenciáveis a retirada do projeto do marco regulatório da mineração que tramita no Congresso. Com a crise no setor, vai crescendo a oposição das mineradoras ao novo código mineral, que já não avança mais.

Um foco da resistência ao Código é o aumento de alíquotas dos royaltie. Até o ano passado as mineradoras estavam aceitando pagar mais tributo: seus ganhos ainda eram altos. Agora, porém, com os preços desabando, elas passaram a chiar. E rejeitado por elas, o projeto empaca. As lideranças mineiras perderam o melhor momento para elevar os royalties minerais.

 

4 thoughts on “Marco da Mineração pode ser sustado no Congresso

  1. Caro Jornalista,

    No que diz respeito à mineração, o GOVERNO DILMA será conhecido, entre os profissionais da área, como aquele que impediu, DURANTE TODOS OS SEUS QUATRO ANOS, a concessão de novos alvarás de pesquisa que possibilitassem as pequenas empresas de mineração entrar no mato, sujar as botas de terra, molhar a roupa de chuva e procurar/confirmar/avaliar as jazidas minerais, e como o governo que elaborou uma minuta de um “Novo Código de Mineração” que tomava as jazidas achadas por essas empresas e as entregava, de bandeja, para os “grandes players” da mineração mundial, que só teriam o trabalho de irem ao Ministério das Minas e Energia e participarem da “licitação de transferência” do que os outros encontraram.

    Nesse período de INÉRCIA, o país perdeu BILHÕES DE DÓLARES, MILHARES DE EMPREGOS, novos jovens graduados deixaram de adquirir experiência e empresas foram fechadas enquanto esperavam O MINISTRO LOBÃO CHOCAR, durante quatro anos, o ovo do Novo Marco Regulatório da Mineração. OVO GORO, diga-se de passagem, haja vista os vícios apresentados no Projeto entre ao Congresso Nacional.

    -Sorte dos outros países produtores de recursos minerais que, durante esses anos, ficaram livres da concorrência brasileira!

    Tomara que o Aécio, por ter sido governador de Minas Gerais, grande produtor mineral, tenha mais contatos e, consequentemente, conhecimento dessa área PRODUTORA DE RIQUEZA e que tem sido esnobada pelos nossos dirigentes como se todos os brasileiros fossem dinamarqueses e não precisassem nem de mais empregos, nem de vida melhor!

    Abraços.

    (ps: Já pensou se a Marina fosse a nova presidente? Aí seria o fim de tudo mesmo!)

  2. A queda no preços das commodities minerais e inércia do Congresso na elaboração de um nova legislação que atenda aos anseios do setor estão impedindo o avanço econômico deste setor indispensável para o crescimento econômico do nosso país.

    Parece ser que os interesses políticos que estão por trás da edição de um novo e eficiente marco regulatório para o setor de mineração é que estão impedindo os avanços.

    Pode ser que, com a saída do grupo político petista as esperanças se renovem, o Congresso e o governo façam a sua parte na elaboração e aprovação de novo marco regulatório e, finalmente, o setor se deslanche.

    Aguardemos.

  3. Concordo integralmente com sua opinião, senhor Wagner Pires. Já opinamos sobre o tema algumas vezes aqui no blog, e a carroça do marco regulatório não conseguiu avançar por causa da discussão dos royalties.
    Com Aécio Neves no governo, em cima de uma imensa e rica reserva de metais preciosos como é, e faz jus ao nome, Minas Gerais, esses empecilhos que não foram superados pelo PT por razões que só o tempo irá mostrar, vão encontrar em um mineiro eleito presidente, as respostas e soluções práticas para tornar a trazer para o cenário nacional e mundial o potencial de riqueza de Minas Gerais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *