Margem de erro da Sensus está errada: é de 4%

Wagner Pires

Diferentemente do que divulgou o instituto SENSUS de pesquisa a margem de erro de estimativa admitido para esta pesquisa é de 4% para mais ou para menos.

É grande as chances do intervalo de confiança estar comprometido justamente pelo baixo número de elitores entrevistados nesta amostragem.

De qualquer forma a diferença entre o candidato Aécio e a candidata Dilma demonstrada pela pesquisa é muito ampla. E mesmo se expurgarmos das médias apresentadas pelos candidatos a faixa do erro de estimativa, ainda sobra uma diferença considerável em favor do Senador Aécio Neves.

Assim, segundo o levantamento, o tucano registrou 52,4% – 4% (para baixo) = 48,4%, enquanto Dilma foi preferida por 36,7 + 4% (para cima) = 40,7% dos entrevistados.

Logo, é possível dizer que se as eleições fossem hoje, Aécio Neves venceria a eleição com uma diferença mínima de (48,4% – 40,7%) = 7,7% dos votos.

3 thoughts on “Margem de erro da Sensus está errada: é de 4%

  1. Circulando na rede:

    “Sonhos de tornar real

    Primeiro dia de governo de Aécio:

    Alô Morales. Aqui é Aécio, estou ligando pra dizer que não financiarei o seu governo. Investirei no Brasil. Os contratos? Estão cancelados! Reforce as fronteiras, pois não deixarei o narcotráfico adentrar no Brasil. Ah! Tô fora do Mercosul. Adeus!

    Alô Maduro. Estou cortando as relações econômicas com a Venezuela, pois não apoio a ditadura socialista. Devolvo o dinheiro investido em Pernambuco na refinaria que a Petrobrás fez e vocês aplicaram 15% para a construção. Esse dinheiro pertence ao povo venezuelano que raciona até comida. Os diretores da Petrobrás envolvidos em negociata foram presos. E saí do Mercosul. Quem vai assumir? Dá uma ligadinha pro Fidel ou Raul. Adeus!

    Alô Cristina. Saí do Mercosul. Emprestar dinheiro à Argentina? Desde 2000 vocês não pagam ninguém e não tolero caloteiros. Adeus!

    Alô Raul Castro. Mande agora um avião para repatriar os médicos cubanos. Você paga o traslado, porque o Brasil pagou o porto de Mariel. Lula e Dilma estão aí é? Sei, manda um “beijinho” no ombro pra eles. Adeus!

    Obama? Yes, we won!!! Tem uma vaga no NAFTA? Tô dentro. Peço desculpas pelo discurso na ONU da antiga ocupante do cargo. Prendi os bandidos do governo brasileiro que não fugiram do País e não quero diálogo com terroristas. Quer vir ao Brasil? Trazendo investimentos, o País o receberá de braços abertos.
    Até Breve! Sim, pode me chamar de Aécio. Bye, see you later!

    Alô Angela Merkel.
    Quero estreitar os laços comerciais com a União Européia. ……Mercosul?
    Não, não… Mudaram até o nome e não fazemos mais parte.
    Não sei, dá uma ligadinha pro Raul Castro ou Lula, em Cuba, pra saber quem é o atual presidente do Forosul, antigo Mercosul. Até Breve!”

  2. Sorry, senhor Wagner… sei que leva fé, mas estão embrulhando todo o povo brasileiro nessa eleição. Li, em um site, não lembro qual, que o senhor Aécio teria ganho ainda no primeiro turno, se não fossem as metódicas pesquisas que descontroem a realidade da verdadeira intenção de voto.

    Continuo não acreditando nas pesquisas de INTENÇÃO de voto, para as eleições no Brasil.
    São subjetivas demais: suas metodologias ainda não convencem, dado o universo mínimo pesquisado com o real, não mostrando confiabilidade com as mínimas margens de erro dos institutos, que, acreditem, ainda garantem na maior cara-dura, 95% de certeza… patético!
    No meu entendimento um repetido blefe a cada rodada, cabendo duas críticas que parecem ter se consolidado como atrativo eleitoral: a primeira, à indução do voto para o eleitor; a segunda é que é um excelente negócio no jogo das adivinhações. Custam uma nota preta,,,
    Também não esquecer que além dos marqueteiros, a mídia. principalmente, adora fazer e manter esse jogo do me “engana que eu gosto” – de modo a manter expectativas e audiência para seus veículos- principalmente a TV, cujo único mérito é a promoção de debates.
    Posso estar redondamente enganado, mas acho que esse tipo de pesquisa deveria ser banido, das eleições brasileiras.
    Podem e devem estar descaracterizando milhões de votos.
    Isso posto, ainda resta a sinistra urna eletrônica; o que ela têm de rapidinha, têm de safadinha… Para ela criaram um adendo que é a biometria, que foi um fiasco… mas, persistem em negar, até com a benção do STE , o comprovante de voto do eleitor. Recibo que, em primeira e última análise seria a única alternativa de auditagem do voto de cada brasileiro.
    Fiz uma jura comigo mesmo: não mais participo de discussões sobre resultados de pesquisas.
    Quanto ao assunto, há controvérsias, é claro…

    Responder

Deixe uma resposta para Guilherme Almeida Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *