Mário Frias chama auxílio emergencial de ‘esmola’ e diz viver ‘em comunhão’ com Bolsonaro

Frias concedeu a Eduardo Bolsonaro a sua 1ª entrevista como secretário

Deu no O Tempo

Substituto de Regina Duarte na Secretária Especial de Cultura, o ator Mario Frias conversou com o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) neste fim de semana, em um canal no Youtube. Frias afirmou ter se sentido um “ET” no meio artístico e disse viver “em comunhão” com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O secretário elogiou a Lei Rouanet em sua primeira entrevista como titular da pasta, afirmou que vai fazer uma auditoria no mecanismo de fomento à cultura, mas se posicionou a favor da legislação. “O problema é quem abraçou a lei pra uso exclusivo. A lei é para todos. O presidente diz muito bem quando diz que quer que todo mundo tem de ter acesso à lei”, disse ele.

“ESMOLA” – Sobre o projeto de auxílio emergencial de R$ 600 ao setor artístico, que não foi sancionado por Bolsonaro mesmo depois de aprovado, Frias disse que os artistas “não querem esmola”. “Artista não quer esmola. A maioria que eu vejo diz: ‘Me deixa trabalhar’. Não quero auxílio”, afirmou.

Quase um mês após ser aprovado no Congresso Nacional, o projeto de auxílio emergencial ao setor ainda não foi assinado por Bolsonaro. Ele tem até o dia 30 de junho para sancionar ou vetar o texto. Se ele não se manifestar, a lei entra em vigor automaticamente

PADRÃO GLOBO – Frias começou a entrevista comentando sua estreia na TV Globo, na novela adolescente “Malhação”, que comparou com o teatro. “Muita gente acha que ‘Malhação’ só revela atores, mas ali tem formação de diretores, equipe de áudio”, disse o secretário, para quem os profissionais que passaram pelo seriado podem ser “mais preparados que atores de teatro”. Embora a família Bolsonaro seja crítica à Rede Globo, Frias fez elogios.

“Tenho 13 anos de TV Globo, é uma escola, é um padrão. Basta para que você olhe uma imagem e aquilo te constranja: ‘pô, tá errado’. É um senso crítico que te desenvolve. Apesar da experiência, ele criticou a visão política dos colegas artistas, que por muito tempo o teria feito se sentir “como um ET”: “A ideologia é muito forte ali”.

 

17 thoughts on “Mário Frias chama auxílio emergencial de ‘esmola’ e diz viver ‘em comunhão’ com Bolsonaro

  1. Marquemos a nossa presença no mundo. AZUL E BRANCO, doravante, são as cores oficiais da Democracia Direta com Meritocracia. Vista e use as cores azul e branco, pela elevação do Brasil à categoria de Nova Europa, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME,o projeto novo e alternativo de política e de nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, alicerçado na paz, no amor, no perdão, na conciliação, na união e na mobilização pela mega-solução, em contraponto e oposição ao continuísmo da mesmice do sistema apodrecido e à guerra tribal, primitiva, permanente e insana dos me$mo$, por dinheiro, poder, vantagens e privilégios, sem limite$, que está conduzindo o Brasil rumo à Brazuela, podendo chegar até o Haitibras. NO BRASIL do continuísmo da mesmice não temos capitalismo mas isto sim capetalismo, não temos Democracia de verdade mas isto sim plutocracia putrefata com jeitão de cleptocracia e ares fétidos de bandidocracia, de modo que, na verdade, na prática, não somos uma democracia de verdade, coisa nenhuma, porque quem manda no Brasil não é o povo mas isto sim o dinheiro, a corrupção, o poder econômico, o famigerado “Fodão”. E contra o domínio do dinheiro, que mantém tudo dominado, temos apenas a intelectualidade, a meritocracia, o conhecimento, a sabedoria, a instrução, a educação de qualidade desde o berço, que, em sã consciência, por medida de coerência, não pode ser negada por professores e professoras, a menos que sejam pessoas sem noção, fanatizadas por ideologias ou religiões. https://www.youtube.com/watch?v=fPPGqr_D2qA

  2. Ministros técnicos! Resta saber-se no que!
    Nos governos petistas/esquerdopatas, tinham aberto as portas do inferno para ocupação de ministérios.
    Já o governo atual, abriu as portas do hospício.
    Pergunto: que ministro, após a posse se enquadrou na qualidade de técnico? Nossa, é só tiro no pé!
    Como dizia meu amigo João Jorge, “ainda tem espaço para piorar”
    Fallavena

  3. Para participar desse desgoverno um sujeito só pode realmente estar em “comunhão” com o que há de pior!

    Bolsonaro comanda o país de forma execrável, e instaurou um neofascismo – com requintes de neocaudilhismo – jamais visto por aqui. Não por acaso só somos vergonha no exterior e ficaremos isolados do resto do mundo por um bom tempo.

  4. O Brasil encontra-se definitivamente capturado por psicopatas, loucos por dinheiro, poder, vantagens e privilégios, sem limite$, capazes de tudo e qualquer coisas para lograr os seus intento$, que agem à moda todos os bônus para ele$, e o resto que se dane com os ônus. Não de ser à toa que aos poucos o Brasil vai despontando como endereço prioritário do Covid-19, o anjo da morte, porque só um exército de Deus pode vencer exércitos de mercenários, bandidos e afin$ .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *