Marqueteiros deseducam o cidadão de bem

Delfim Netto
Folha

Uma das mais graves consequências da submissão das campanhas eleitorais ao domínio irresponsável dos “marqueteiros” é a deseducação do honesto cidadão e a vacina contra a ética que transmitem à sociedade.

Não tem o menor constrangimento de afirmar o “fisicamente impossível” ou mentir descaradamente, confiados na ingenuidade que é própria daqueles aos quais os sucessivos poderes incumbentes negaram, pela falta de educação, o espírito crítico. Trata-se de um processo de reprodução da mediocridade. Ele prejudica o papel renovador que cabe ao sufrágio universal, que –quando conduzido pela educação– é o vetor portador da sociedade civilizada.

Uma das falácias de mais fácil aceitação pelos cidadãos desinformados é a crença que o Estado cria recursos físicos do nada e que, portanto, não tem limite –a não ser a “vontade política”– para atender às suas demandas.

Como ela é comum às campanhas de todos os candidatos, terá provavelmente, pouco efeito para diferenciá-los nas urnas. Mas tem forte efeito deseducador do cidadão que não sabe que para a sociedade como um todo, não há nada que o Estado possa fazer sem o consumo de recursos tirados de alguns para dar para outros.

Como diria um “canalha” neoclássico: “Não existe almoço grátis”.

Para o “marqueteiro” tudo isso não interessa. Se vendeu ou não o seu “sabonete”, embolsa a grana da sua genialidade e vai descansar até a próxima eleição. Para o candidato eleito não!

IGNOMÍNIAS

As falsidades que o elegeram são as mesmas que lhes serão cobradas no exercício do governo. Afirmar que um Banco Central independente “rouba a comida da boca do pobre” é uma ignomínia.

Independente de quem, se sua diretoria é escolhida pelo presidente que lhe fixa os objetivos e aprovada pelo Senado, ao qual presta contas regularmente?

Prometer que vai “eliminar o fator previdenciário” diante das contas de previdência e do rápido envelhecimento da população brasileira é tão irresponsável quanto a promessa anterior.

Prometer que vai “modificar os índices de produtividade do campo” é irrelevante para aumentar a “produtividade” e será uma bobagem verificável só quando o MST promover a revolução…

A urna aprova qualquer barbaridade, mas a sociedade aprende para a próxima eleição. Infelizmente, a verdade é sempre descoberta tarde demais…

É por isso que nas democracias (sem adjetivo!) o remédio é mais democracia, cuja marcha pode, eventualmente, ser interrompida pelo “democratismo delirante”.

9 thoughts on “Marqueteiros deseducam o cidadão de bem

  1. Um dos embustes mais nojentos e vomitivos, aplicados pelos marqueteiros urubulinos, é aquele que: um anão desprezível usa para se soerguer rebocado por um gigante. Ele é fartamente flagrado, no período da copa do mundo: quaisquer bodegas de esquina, cujas bugigangas que vendem nada têm a ver com futebol, porem, mesmo assim, os manipuladores tentam estabelecer uma afinidade entre aquele lixo propagandado e os craques do momento. Infelizmente, muitas vezes, a associação falsa acaba plasmando-se, porque boa parte da população é desprovida de raciocínio analítico; incapaz de discernir o joio do trigo.
    Nas relações interpessoais e/ou conjugais, essas malandragem também pode ser verificada: famosos que de amasiam com “gigoloiras”, apenas para elevar o cachê das vadias, tendo como moeda de troca felação, sodomia, cunilíngua, boquete, olho roxo etc!

  2. Se hoje é assim como o Economista Prof. DELFIM NETTO nos mostra, imagina como não era /30/50/70 anos atrás. É por isso que eu digo que faz uma diferença tremenda ter toda a População ALFABETIZADA como os Hebreus já há 5775 anos, os Anglo-Saxões e Nórdicos há 350 anos, ( quem não lia a Bíblia ia direto para o Inferno, etc). Nós só agora estamos colocando TODAS as nossas Crianças na Escola, e não acreditamos mais nem no Inferno. É preciso ainda um pouco de tempo para que os Marketeiros de Política, se deem mal nas Eleições, com as “deseducadoras” argumentações atuais.
    A maioria ainda acredita que: se o “Governo Tabelasse o Preço das Mercadorias de primeira necessidade”, nós teríamos abundância de tudo a preço baixo. Aliás, eu se fosse o Gov. AÉCIO NEVES, nesse final de Campanha partia para esse tipo de “Marketagem” sem relutar, pois ainda dá tempo.
    Há que ter um pouco de paciência até que “as coisas melhorem em termos de Educação Pública”.

  3. A propósito, esse horário eleitoral é um resquiício da ditadura militar onde o ‘garboso” economista prestou grandes serviços
    E continua até hoje “entumpindo” a televisão de esgoto todos os dias
    Será que o dignissimo economista assiste esse lixo diário.????

    • Armando, se vem da época da ditadura, quando o Barba era afinado com os milicos então está tudo em casa. Disto tu entendes. Agora, se discordas e como tu és doze anos governo bem que o teu partido já poderia ter entrado no congresso com um projeto para cancelar o horário político. E não fez por que? Simples a resposta: O maior beneficiado é o teu próprio partido. Joga pedra no telhado do vizinho, mas lembra que o teu é de vidro.

    • O BARBA-DELATOR-DEDODURO-CORRUPTÃO, esse hipócrita mentiroso,
      manteve e se locupletou, com sua corja imunda,
      de todas as safadezas que vinham de governos anteriores.
      É um grandíssimo canalha.

  4. O marqueteiro, transforma o candidato em ator, que abre mão de sua
    ideologia, de sua personalidade para representar o papel idealizado pelo
    marqueteiro. A Presidente Dilma, para defender o governo do PT, tido como
    o mais corrupto da história do Brasil, tem falado, que tando o governo Lula
    como o dela, sempre combateram a corrupção e que será combatida com todo rigor,
    dá para acreditar? PT e aliados, estão sempre melando as investigações e CPIs,
    só idiota acredita nisso. Governo competente, evita a corrupção, quem investiga é a polícia,
    o MP. e até a mídia, e quem pune é a justiça.
    No escândalo da Petrobrás, a Presidente dizer que não sabia, é no mínimo incompetência,
    se sabia é conivência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *