Marxismo, Comunismo, Socialismo, realidade e ficção. Genialidade de Marx, mistificação do carrasco Stalin. A revolução não poderia surgir na Rússia. Se fosse na Inglaterra, teria resistido.

Helio Fernandes

GBR: “Helio, nunca pensei que você fosse marxista. Não esconde o sentimento e a preferência pela coletividade, minha admiração não diminuiu. Acredita que algum dia haverá governo marxista? Obrigado”.

Comentário de Helio Fernandes:
Você faz perguntas ótimas, embaraçosas mas bem colocadas. Por isso, espero que algum dia, dependendo de você mesmo, traduza essas três letras no nome verdadeiro.

Não sou marxista e sim grande admirador de Marx. Desde que tomei conhecimento de sua obra, imediatamente percebi sua genialidade, total e abrangente. Gênio mesmo, não só na formulação da tese (começando pelo “Manifesto”, logo seguido pelo “O Capital”, insubstituível), mas como pensador, analista, filósofo, escritor, debatedor, historiador. Homem que VIU o futuro e APRENDEU com o passado, é naturalmente polêmico, adorado e odiado, o que é o mais comum e acontece com gênios como ele.

Marxismo não é forma de governo, portanto jamais haverá “governo marxista”. A partir de 1918 e do fim dos 300 anos dos Romanoff, o Soviet Supremo, formado por 9 membros, precisou fazer ou refazer tudo, incluindo inicialmente o nome do novo país.

A ideia de Lenine e Trotsky era colocar no nome, toda a identificação da antiga Rússia. Na Constituinte de 1777/1778, nos EUA, grande discussão a respeito da definição do nome do país. Essa discussão vinha da extraordinária Convenção da Filadélfia, e os 7 fundadores reconhecidos pela Constituição, estavam a favor de uma identificação definitiva e definidora.

Ficou sendo Confederação dos Estados Unidos da América do Norte. Além da questão territorial, adotaram o político e o administrativo. Lenine e Trotsky tinham a mesma ideia. Desses 9 membros do Soviet Supremo, o pensador e maior intelectual era Trotsky. Mas o líder natural que mandava e era obedecido, Lenine, sem qualquer restrição.

Desde 1905, quando sofreu o atentado que o mataria em 1923/24 (ficou com uma bala “colada” no coração, não podia nem ser operado, todos recusavam a cirurgia, por causa da localização da bala) era tido e havido como o líder indiscutível.

Na Rússia que acabara, no novo país que surgia, a mesma controvérsia que aconteceu nos EUA. Alguns dos 9 do Soviet, chegaram a propor União das Repúblicas Marxistas Comunistas. Como esses 9 membros eram nominativos, mas apenas dois decidiam, esses dois ficaram intransigentes e resolveram de forma diferente.

Lenine e Trotsky não admitiam de forma alguma as palavras MARXISMO e COMUNISMO. Admiradores ferrenhos de Marx, vetaram a identificação, sabiam que Marx concordaria. Apenas recusaria a Rússia como país-sede da Revolução. Exigia massa de trabalhadores industrializados e esclarecidos, o que acontecia na Rússia era escravidão e escravatura pura e simples.

Lenine e Trotszy concordaram com União das Repúblicas, mas cortaram as outras palavras sugeridas, acrescentaram: SOCIALISTAS SOVIÉTICAS. Estavam cobertos de razão. Nem Comunismo nem Marxismo eram formas de governo, serviam apenas como rótulos de ocasião. Decidiram que inicialmente o governo da antiga Rússia, seria SOVIÉTICO. Depois então, definitivamente, teria que ser SOCIALISTA, que era o objetivo final, o que consideravam como a grande vitória da comunidade.

(Por questões complexas e variadas, incluindo a morte de Lenine, o banimento e expulsão de Trotsky, o medo de uma parte do mundo, e a visão GENIAL de Marx, que esperava que o Socialismo surgiria na Inglaterra por causa da Revolução Industrial de 1780, e não num país atrasadíssimo como a Rússia, o Socialismo nunca foi alcançado ou conquistado).

O Stalinismo foi o responsável principal e fundamental para o fracasso do Socialismo soviético. Primário, inculto, carrasco que acreditava na violência “como forma de realizar”, Stalin não permitiu o sucesso da idéia. Ganhou uma sobrevida e até repercussão internacional, com a Segunda Guerra Mundial.

O mundo ficou estarrecido, surpreendido mas dominado por aquele Stalin vestido com belíssimo uniforme branco, aparecendo sempre ao lado de líderes naturais como Roosevelt e Churchill. Terminada a Guerra, Stalin voltou para a selvagem politicalha de terror e incompetência.

Além disso, teve que enfrentar a “guerra fria”, com o desperdício de BILHÕES de dólares, o genial “Plano Marshall”, e a “corrida armamentista”, os EUA utilizando dólares falsos, enquanto a União Soviética estraçalhava seu orçamento.

*** 

PS– É muita coisa para um dia só. Em outra oportunidade, examinaremos. Stalin morreria 7 anos depois, não deixaria saudades e sim um país (e um sistema político) arruinado e destroçado.

PS2 – O mundo pode durar mais 5 mil ou 50 mil anos, e Marx ainda será História e realidade. Não importa que metade da coletividade esteja contra ele, é natural.

PS3 – Mas os outros 50 por cento continuarão a adorá-lo. Não seria diferente, como Marx desejava ardentemente que a Revolução surgisse na sua amada Alemanha.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

One thought on “Marxismo, Comunismo, Socialismo, realidade e ficção. Genialidade de Marx, mistificação do carrasco Stalin. A revolução não poderia surgir na Rússia. Se fosse na Inglaterra, teria resistido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *