Mas por que a FIFA e a CBF precisariam de intermediários?

Pedro do Coutto

O FBI, dirigido por James Comey, e a Secretária de Justiça dos EUA, Loreta Lynch, em ação conjunta, revelaram de maneira firme, objetiva e direta, como é o estilo de Washington, os tortuosos caminhos da estrada da corrupção que, durante vinte anos, pelo menos, envolveram a FIFA, de modo geral, e a CBF, no Brasil, entre outras entidades responsáveis pelo futebol em diversos continentes e países. A presença americana no processo deve-se ao fato – revelam Leandro Colón e Giuliana Valone, Folha de São Paulo de sexta-feira – de os trajetos dos roubos praticados ter incluído a passagem por terras norte-americanas.

No caso da Confederação Brasileira de Futebol, acrescentam Fabiano Maisonave, Bernardo Itri, Marcel Rizo e Rafael Reis, na mesma edição, as propinas tiveram como principais fontes as empresas Traffic e Kefler, cujos titulares são os ex-repórteres José Havilla e Kleber Leite, este também ex-presidente do Flamengo. Para o FBI, que obteve a ordem de prisão dos acusados e está se empenhando para extraditá-los para os EUA, a onda de corrupção tinha origem nas negociações em torno dos direitos de transmissão dos jogos e dos direitos de marketing da publicidade veiculada através das telas da TV e das peças nos estádios. A Traffic negociava os direitos de transmissão; a Kefler as mensagens publicitárias, entre elas as divulgadas pelos próprios canais.

MISTÉRIO REVELADO

Um mistério, agora revelado, com a repercussão internacional destacada e intensa. Afinal de contas, quais os motivos que levavam à existência de intermediários no campo dos direitos de transmissão e no plano de veiculação da publicidade? Tais direitos, tanto por parte da FIFA quanto por parte da CBF, deveriam, isso sim, serem articulados diretamente com as empresas interessadas. Sobretudo porque jamais faltaram empresas com interesse em publicidade por intermédio do futebol. Na televisão, nas placas dos estádios, nas emissoras de rádio, de uns tempos para cá até nas camisas de clubes e seleções.

Inclusive, assinalam Leandro Colón e Giuliana Velone, José Havilla concordou em se integrar num esquema de delação premiada e – vejam só – colocar parte de seu patrimônio (151 milhões de dólares) à disposição do governo americano para que seja confiscado. A corrupção, como aliás sempre denunciou o senador Romário, avançou pelos campos do futebol. Com isso, os torcedores, quase todos nós, no fundo e ao lado de lances ilegais, exercíamos o papel de massa de manobra.

TEATRO DO ABSURDO

O esporte que apaixona multidões mundo à fora transformava-se, nas mãos de ladrões, em teatro do absurdo como se estivéssemos numa peça de Ionesco. A paixão que acelera corações, produz emoções intensas, faz surgir suores no corpo e lágrimas nos olhos, de alegria e de tristeza, passava a ser um motivo a mais para pilhagens e assaltos em sequência. os quais alcançavam também os governos que sediavam as competições, que, no caso do Brasil, em 2014, desembolsaram grandes somas na construção, modernização e ampliação de estádios.

A intermediação descoberta pelo FBI possivelmente passou também pela realização dessas obras, das quais, hoje, resultaram estádios abandonados pelo país, ou então sem jogos capazes de atrair público suficiente para cobrir os investimentos concretizados. As intermediações e os roubos, como se constata, no Brasil encontram-se em toda parte. Em nosso país, as execuções confirmam as quase consolidadas regras de assaltar o patrimônio público. Nos Estados Unidos não é assim. Os códigos são diferentes. Tanto assim que ao cruzarem as fronteiras, os ladrões esqueceram-se do FBI e da Secretaria Federal de Justiça. Foram flagrados, presos, e estão sob o risco de extradição e condenações. Os crimes praticados são múltiplos. Os principais personagens também.

7 thoughts on “Mas por que a FIFA e a CBF precisariam de intermediários?

  1. Está faltando a CPI do Maracanã! Estive agora na final do campeonato carioca e fiquei triste, não tem nada de novo, tudo mascarado e o público pequeno. Acabaram com o meu Maracanã!!! E a taxas???

  2. Enquanto os times se afundam em dívidas impagáveis, inclusive o meu, os corruptolas ladrões que jamais chutaram alguma bola na vida entram pobretões e saem bilionários.
    Há vários corruptolas desse naipe em todos os times brasileiros, algumas exceções o que é uma raridade nesta terra do futebol…
    ZéRuela do MInistro da Justiça, Super-KimBarbosão, Super-Juiz-Global-Moro, Policia Federal, Promotores de Justiça, nenhum conseguiu colocar toda essa corja de ladrões na cadeia com a devolução total do dinheiro roubado aos clubes.
    Estão todos ai, dando as cartas, alguns dizem, ficam a espreitas para poderem voltar novamente para “salvar o clube de coração”….
    dualib, mustáfa´, eurico miranda, zeze perrela, andres sanches, saõ exemplo de alguns corruptolas ladrões que se deram bem no futebol, e seus times devendo cargas de milhões..
    Fora os ladrões já contumazes , joão havelange, ricardo teixiera, marin, marco del poro.
    Precisou o a Justiça dos E.U.A. e o FBI para colocar alguns ladrões na cadeia,
    Enquanto isso no Páis do Futebol, vamos construir um Chopis Centis para nossos nobres dePUTAdos……..eh!eh!eh!eh
    Por favor, desliguem os tubos.

  3. Ainda vai aparecer alguém(provavelmente um politico petralha ou aliado da mesma laia) atacando o FBI e defendendo a pátria brasileira que está sendo covardemente agredida pelo imperialismo ianque que manda prender dirigentes esportivos e politicos brasilerios que nada mais estavam fazendo que não defender os legitimos interesses do futebol e também da nação.

    Como bem diria Samuel Jonhson(pensador ingles do século XVIII) :

    O PATRIOTISMO É O ÚLTIMO REFÚGIO DOS CANALHAS

    E antes que me esqueça já que os roubos na Petrobrás foram muito maiores e prejudicaram muito mais investidores americanos que as maracutaias no futebol:

    Ô DILLMA PODE ESPERAR, A SUA HORA VAI CHEGARRR!

    Ô LULLA PODE ESPERAR, A SUA HORA VAI CHEGARRRR!

  4. Como se vê, não dá para condenar a Dilma, ela é inimputável…
    “Presidenta: Qual é a cor da sua bandeira?

    Jornalista: Branca, azul e vermelha.

    Presidenta: Branca, vermelha e azul, não é? Não, verde.

    Jornalista: Não, vermelha e verde, verde. Igual que a da Irlanda, igual que a da Itália, só que tem o escudo no meio, da águia com a serpente.

    Presidenta: Ah, tem o escudo no meio, está certo, com a serpente. E deixa eu te falar uma coisa…

    Jornalista: Mexicanos são grito de guerra,

    Presidenta: Por que que eu perguntei isso? Sabe por quê? Teve um teatrólogo brasileiro, que você deve conhecer, Nelson Rodrigues, que, além, disso, foi um colunista de futebol.

    Jornalista: Sim, claro.

    Presidenta: Que quando se referia à Seleção Brasileira, dizia que a Seleção Brasileira era a pátria de chuteiras, a pátria verde e amarela de chuteiras, Lá, a Seleção Mexicana é a pátria azul, branca e verde…

    Jornalista: Não, a camisa é verde, a camisa da Seleção. Sim, é verde.

    Presidenta: É verde? Então, é a pátria verde e chuteiras. A nossa também às vezes é verde, hein?

    Jornalista: Agora deixa eu fazer uma pergunta, uma pergunta…

    Presidenta: Agora, a Petrobras é tão importante para o Brasil como a Seleção.

    Jornalista: Claro.

    Presidenta: Então, eu sempre disse o seguinte: se a Seleção Brasileira é a pátria de chuteiras, a Petrobras é a pátria com as mãos sujas de óleo.

    Jornalista: Ah, isso é muito bom, Presidente, é uma frase muito boa.

    Presidenta: E vocês têm também a pátria suja de óleo lá, a mão suja de óleo.

    Jornalista: Desde o presidente Cárdenas.

    Presidenta: Cárdenas, el grande presidente Cárdenas.

  5. Rosezinha, ocê é Segurança de Estado….
    ” O Planalto optou por ofender a Lei de Acesso à Informação, que Dilma sancionou, para esconder o relatório de gastos do cartão corporativo utilizado pela ex-chefe do escritório da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Noronha, amiga íntima de Lula. Após 45 dias enrolando, o Planalto alegou ontem, em resumo, que a farra de gastos de Rosemary virou caso de “segurança da sociedade e do Estado”.

    Rosemary foi alvo da operação Porto Seguro, da Polícia Federal, e denunciada pelo Ministério Público por improbidade administrativa.

    Acusada de tráfico de influência, corrupção passiva e formação de quadrilha, Rose ficou conhecida como “facilitadora-geral da República”.

    Quase sempre presente em viagens internacionais nas ausências de d. Marisa, Rose Noronha até fez indicações para cargos importantes.

    Mesmo sob a Lei de Acesso à Informação, o Planalto não mostrou valores, datas, locais e transações de Rose com cartão corporativo

  6. Os nossos estádios custaram, em média, 3 vezes mais caros do que outros similares no mundo, graças a Lei Geral da Copa, que criou o Regime Diferenciado de Compras, nos moldes do da Petrobras. Essa Lei foi relatada pelo cartola petistas Vicente Cândido, sócio do:
    http://marcopolodelnero.com.br

Deixe uma resposta para Pedro Rodrigues Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *