Maus presságios… nestes tempos em que estamos vivendo

http://www.dercio.com.br/media/images/dynamic/images_blog/tce_charge_1.jpg.546x341_q85_crop.jpgSylo Costa
O Tempo

Meu Deus, que tempo, este que estamos vivendo… Ainda bem que ninguém está tendo tempo para pensar, já que a inflação e o PT não deixam. Eu nunca fui exemplo de otimismo, mas, agora, sinto um cheiro ruim no ar, como se estivéssemos às vésperas de um cataclismo, como a construção desse “Parlashopping” em Brasília, um verdadeiro pato preto.

Li alhures que alguém disse que “entregar a responsabilidade das reformas de que o Brasil precisa a essa corja de mensaleiros do Congresso é o mesmo que convocar Fernandinho Beira-Mar para relatar a reforma do Código de Processo Penal”.

Os jornais falam de um “piquenique” do presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha – que teve minha simpatia quando das eleições para a mesa da Câmara –, e mais uma meia-dúzia de companheiros de “trabalho em prol do povo”, que teria acontecido em Moscou e Israel, nos últimos feriados e dias “imprensados” da semana passada, com diárias por nossa conta. A repercussão negativa talvez seja pela imprudência dessas viligiaturas. Mas deve ser normal, em se tratando de Congresso Nacional.

ANORMALIDADE

Anormal, no meu entendimento, é alguém que exerce um cargo vitalício, como é o de conselheiro do Tribunal de Contas, composto por apenas sete conselheiros, estar autorizado pelo Pleno do Tribunal a estudar em Portugal à custa do TCE pelo prazo de um ano e meio, ganhando vencimentos integrais do cargo de conselheiro e mais diárias por todo o tempo e ainda acumulando o cargo de vice-presidente da Corte de Contas do Estado, eleito que foi em março passado, ou seja, o vice-presidente do TCE-MG reside em Portugal.

Se o Brasil fosse um país sério, como teria dito o grande De Gaulle, isso não aconteceria, mesmo porque o Tribunal de Contas seria, no meu entendimento, e no entendimento do seu mentor, Rui Barbosa, o órgão mais importante da nossa República – isso se nós o constituíssemos como seu fundador pensou. E seria mesmo, posso dizer isso porque lá vivi e conheci suas entranhas.

TRIBUNAL INCOMPETENTE

Só existe ladroagem na Petrobras, mensalão e corrupção endêmica no resto do país, porque aos políticos analfabetos e mal-intencionados não interessa uma Corte de Contas com competência para prender ladrões da coisa pública. Rui pensou em um órgão de controle externo, auxiliar de informação “ao” Legislativo, mas a conveniência do Constituinte de 88 o transformou em órgão “do” Legislativo e, assim, criou, essa sinecura que está aí. No TCE-MG está, sem dúvida, o melhor quadro técnico do Estado, são mais de 800 técnicos com pós-graduação lato sensu em controle externo, desperdiçados.

Não estou aqui cuspindo no prato em que comi. Falei isso quando presidente daquela Corte, onde trabalhei decentemente por 14 anos. E continuo pensando que o TCE deveria e deverá ser um dia uma Câmara de Contas do Tribunal de Justiça, composta por desembargadores, à semelhança de suas câmaras cíveis e criminais, deixando, assim de, ser boca para deputado em fim de carreira.

Eu penso e sei que é assim.

3 thoughts on “Maus presságios… nestes tempos em que estamos vivendo

  1. Circulando na rede:

    Tiradentes – é o exemplo não valeu de nada????

    ” Durante o Século 18, o Brasil-Colônia pagava um alto tributo para seu colonizador, Portugal. Esse tributo incidia sobre tudo o que fosse produzido em nosso País e correspondia a 20% (ou seja, 1/5) da produção. Essa taxação altíssima e absurda era chamada de “O Quinto”. Esse imposto recaía principalmente sobre a nossa produção de ouro.

    O “Quinto” era tão odiado pelos brasileiros, que, quando se referiam a ele, diziam “O Quinto dos Infernos”. E isso virou sinônimo de tudo que é ruim.

    A Coroa Portuguesa quis, em determinado momento, cobrar os “quintos atrasados” de uma única vez, no episódio conhecido como “Derrama”. Isso revoltou a população, gerando o incidente chamado de “Inconfidência Mineira”, que teve seu ponto culminante na prisão e julgamento de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes.

    De acordo com o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário IBPT, a carga tributária brasileira chegou ao final do ano de 2011 a 38% ou praticamente 2/5 (dois quintos) de nossa produção. Ou seja, a carga tributária que nos aflige é praticamente o dobro daquela exigida por Portugal à época da Inconfidência Mineira, o que significa que pagamos hoje literalmente “dois quintos dos infernos” de impostos…

    Para quê? Para sustentar a corrupção? Os mensaleiros? O Senado com sua legião de “Diretores”? A festa das passagens, o bacanal (literalmente) com o dinheiro público, as comissões e jetons, a farra familiar nos 3 Poderes (Executivo/Legislativo e Judiciário)?

    Nosso dinheiro é confiscado no dobro do valor do “quinto dos infernos” para sustentar essa corja, que nos custa (já feitas as atualizações) o dobro do que custava toda a Corte Portuguesa! E pensar que Tiradentes foi enforcado porque se insurgiu contra a metade dos impostos que pagamos atualmente…! Não deixem de repassar… estaremos, pelo menos, contribuindo para relembrar parte da História do Brasil…

  2. Sylo, infelizmente, é isto ai : quantos dessa ”TURMA” ganha de fernandinho beira mar, em
    marginalidade.
    Mas, marginalidade mesmo. Pior que é.
    ”Legalizada” ???

  3. Caro Sr. Sylo, seu artigo, perfeito, e os comentariastas que amam este País e a HONRADEZ, farão seus comentários, com a “devoção” do BRASil SAIR DO “OCEANO DE LAMA” QUE OS POLITIQUEIROS O MERGULHARAM.
    Na Cidade em que sobrevivo, como CIDADÃO, e estando Conselheiro da Saúde, denuncio trimestralmente, conforme determina à LEI, (inclusive o CGU pública cartilhas, afirmando ser “DEVER DO CIDADÃO DENUNCIAR”, o roubo à 10 autoridades, 3 de Brasília-MS,CNS,CGU, e 7- CES,SES,TCU,TCE,MPF,MPE e Câmara de Vereadores- do RJ, e no Boletim/Jornal da nossa Associação; entre essas “ortoridades” está o TCE, que em 2006, cansado de não ver resultado, mandei denunciei os “auditores”, pela resposta que me deram, e mandei “FECHAR”, por não servir para nada, a não ser dar despesas, e o Presidente Graciosa, me tachou de desaforado, por estar usando “MEU DIREITO DE CIDADANIA HONRADA” e estarei mandando fechar novamente, pois, aprova contas na área da saúde, com superfaturamento de 1.600 %, e muitas “MAZELAS”, com uma Câmara de Vereadores inoperante, em seu DEVER DE FISCALIZAR, se baseando na recomendação do TCE.
    Sr. Sylo, sou FÃ de RUI BARBOSA, infelizmente, a Elite e o Clero, por 2 vezes, torpedearam sua pretensão de ser PRESIDENTE, com certeza, se tivesse, alcançado à Presidência, o BRASIL, nãi estaria na M… em que está, com essa inversão de valores da “MENTIRA VIRAR VERDADE” NESTE DESGOVERNO QUE AÍ ESTÁ.
    2 peças de RUI: a PRECE “DEUS” dirigida a Ele mesmo, COMO “POLÍTICO” EM SEU SIGNIFICADO DE HONRADEZ, EM SEU DEVER PARA OS SEMELHANTES E A PÁTRIA, é um documento de FÉ, no CRIADOR DO UNIVERSO, E A POESIA, QUE CONSIDERO UMA PRECE, TENHO VERGONHA DE MIM.
    Sylo, Tiradentes, morreu “pela derrama de 18%”, e ver sua Pátria, liberta do jugo português, a derrama de hoje, está chegando a 06 salários miseráveis anuais, escorchados em impostos, para serem roubados, pelos “inocentes”, não mais em milhões, mais, agora, em bilhões, e vermos os mais culpados (mensalão), como amigos do rei e rainha, em casa, e os menos, pegarem mais de 20 anos de “cana”.
    Com esse CONGRESSO E JUSTIÇA PODRE, nada mudará em beneficio do povo trabalhador, a não SER PARA PIOR, estou com 86 anos, nunca vi ‘tanta falta de vergonha na cara’, nas “ortoridades”.
    S´nos resta: DEUS NOS SOCORRA.
    PS. Li na Mídia, que uma canalhada do PT (nesse congresso de Salvador) quer “renascer” a CPMF para a sáude, que nunca viu um tostão dos bilhões arrecadados (dias atrás, escrevi de um evento no Forte de Copacabana, que participei, mas…não falam se “gerir com honestidade à saúde, e outros Direitos Básicos da CIDADANIA, que estão no CAOS, chega de ser “burro” de carga, a enriquecer patifes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *