Mediador teme mais conflitos com ndios na Amaznia

Jos Maria Tomazela
Estado de S.Paulo

O ressentimento entre brancos e ndios na regio de Humait, no sul do Amazonas, pode gerar novos conflitos como o que abalou a cidade no dia do Natal. Para o bispo d. Francisco Merkel, de 69 anos, a quem foi confiado o papel de mediador do conflito, se ficar comprovada a participao de indgenas no desaparecimento de trs homens na reserva, a tenso vai aumentar.

Segundo ele, quando a populao local atacou as instalaes indgenas na cidade, alm da revolta contra os ndios, havia uma insatisfao com as autoridades. “Trs homens de bem sumiram e tudo apontava para os ndios, mas o que fizeram as autoridades? Nada. Ento, o principal alvo da exploso foi essa inrcia do governo.”

O bispo conta que, no dia 24 de dezembro, ele foi ao local em que a multido paralisava o servio de balsas no Rio Madeira e sentiu um clima to tenso que no conteve o choro. “No dia seguinte, vi que o problema ia alm da questo dos desaparecidos, pois havia muita raiva. dor dos familiares se juntou a revolta de outras pessoas.”

OMISSO

Para o bispo, se as autoridades tivessem iniciado as buscas pelos desaparecidos, o conflito no teria acontecido. “Houve uma reunio de emergncia e ficou tudo acertado para iniciar as buscas, s que no foi feito.” Diante da demora na investigao, a multido teria decidido fazer alarde para chamar a ateno.

“Quando soube o que estava acontecendo, fui sede da Funai e vi que no tinha condies de mediar nada. Era um clima de raiva, de exploso, e cheguei a temer pela minha integridade”, contou.

Segundo o bispo, sem escudos e capacetes, a Polcia Militar no estava preparada para enfrentar a multido. “No Natal, a cidade no tinha juiz, nem polcia, e o prefeito tambm estava ausente. O Natal um dia com a famlia, mas trs homens estavam desaparecidos e a populao ia recorrer a quem? A revolta foi contra toda essa omisso”, disse.

PEDGIO

Acabar com o pedgio cobrado pelos ndios na Transamaznica apontado por d. Francisco como uma medida essencial para a paz. Na regio desde 2000, ele lembra que os conflitos comearam aps a cobrana, em 2006.

“As pessoas no acham justo pagar para passar numa estrada sem asfalto e segurana”, afirmou. A omisso das autoridades em relao ao pedgio levou a uma situao insustentvel. “Se os ndios tm direito a uma compensao pela Transamaznica cortar a reserva, o governo que tem de pagar.”

2 thoughts on “Mediador teme mais conflitos com ndios na Amaznia

  1. Para que serve a FUNAI ? Cad o Congresso ? Cad o Estado ? Cad os indigenistas, sertanistas, socilogos que trabalham para o governo ? Lugar de bispo na igreja isso a caso srio, caso para autoridade pblica. Est provado que a FUNAI no serve para nada um rgo que atrapalha, confunde, no cumpre seu papel.
    PS: A igreja a menos indicada para cuidar deste caso porque a igreja catequizou para impor um deus que nada tem a ver com a cultura indgena, todo problema com os indios comeou com a igreja. No livro de Eduardo Bueno, a coroa a cruz e a espada, a cruz representa a igreja catequizadora.

  2. Fala srio. Que pas este ? Que polticos so esses ? Que oposio essa que quer levar o povo no bico, s no blablabl e no velho trolol, do velho palanquismo vazio que termina sempre no velho 171 dos sofismas e das bravatas (esqueam o que escrevi, era tudo bravata de campanha), ou na truculncia do tb 171 golpista-ditatorial ? O fato que a oposio teve 12 anos para preparar ou abraar um Candidato munido de um Projeto Novo e Alternativo de Nao e de Poltica, em contraponto ao velho continusmo da mesmice, e no moveu nenhuma palha nesse sentido. Pelo contrrio, est jogando de bandida oportunista contra o Projeto Novo e Alternativo ( a Mega-Soluo), e, at por isso, est pagando caro perante a opinio pblica revoltada contra o velho fla-flu apenas pelo velho fla-flu, ou poder pelo poder. No toa que o trem est cada vez mais feio para o lado da oposio. Alis, Diogo Mainardi, inimigo radical, capital, visceral e figadal de Lula e PT, no dia 05/01/2014, no Programa “Manhattan Connection”, da globo, deu um sincero aviso aos navegantes da oposio dizendo que Dilma deve ganhar no primeiro turno, tendo em vista que a situao medonha mas que a oposio to medonha quanto, ou mais, e, sobretudo, porque no existe perspectiva de mudanas de verdade, face s candidaturas que esto postas (Campos bordo). E, no caso , a opinio de Diogo insuspeita, e reflete a opinio de 66% do eleitorado nacional. Pelo visto, s a oposio no sabe que est feia na fita. Ser surda, cega e muda, ou ser apenas avestruz ? S falta a oposio dizer agora que Diogo petista. Oposicionistas partidrios, juzo, reflitam sobre o insuspeito conselho do Diogo Mainardi , posto que, doravante, mais do que possvel reles alternncia, a populao do Brasil , especialmente a que saiu s ruas, quer, isto sim, MUDANAS, srias, estruturais e profundas, capazes de expressarem Esperana de um Brasil mais evoludo e de fato melhor para todos, como demonstram, reiteradamente, as pesquisas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.