Meirelles tenta comprar silêncio da mídia no caso da Friboi

Meirelles paga caro para ocultar os “malfeitos” do grupo Friboi

Carlos Newton

É impressionante a bilionária campanha publicitária que o grupo JBS, maior exportador de carne bovina do mundo e dono da marca Friboi, vem fazendo na imprensa escrita e na televisão, inserindo anúncios em espaços e horários nobres e pagando cachês altíssimos a artistas “globais” consagrados como Tony Ramos, Fátima Bernardes e Roberto Carlos, que inclusive é vegetariano há décadas.

O grupo JBS, de Goiás, pertence aos irmãos Batista e era comandado por José Batista Júnior, que conseguiu apoio do BNDES a partir do primeiro governo Lula e alçou o frigorífico JBS-Friboi ao topo do mercado de carnes do país e do mundo.

Em março de 2012, preocupados com a crescente responsabilidade causada pela expansão dos negócios, os irmãos Batista chamaram o conterrâneo Henrique Meirelles para assumir a presidência do Conselho de Administração da J&F, holding que controla empresas e marcas famosas como JBS Friboi, Banco Original, Swift, Doriana, MassaLeve, Lebon, Pilgrim’s, Seara, Vigor, Rigamonti, Fiesta e Flora. Uma das missões de Meirelles era traçar a estratégia mundial do grupo, para não perder mercado.

Menos de um ano depois, surpreendentemente José Batista Júnior deixou de ser o principal sócio da holding J&F, tendo vendido sua participação para os irmãos Joesley e Wesley, que tiveram de manter Meirelles à frente do Conselho, porque hoje a credibilidade do grupo está diretamente associada à atuação do ex-presidente do Banco Central e do BankBoston, que está cada vez mais rico e se tornou também acionista do Itaú.

CAMPANHA BILIONÁRIA

No comando da holding J&F, Meirelles determinou o lançamento da espalhafatosa campanha publicitária, que começou no início do ano passado e parece não ter mais fim, para satisfação dos barões da mídia impressa e televisionada. O objetivo da propaganda em massa não é comercial; pelo contrário, tem apenas a finalidade de amansar a grande mídia, para desestimular reportagens investigativas que possam revelar as entranhas desse surpreendente sucesso empresarial movido pela generosidade do BNDES, que na gestão petista emprestou à JBS R$ 2,5 bilhões (diretamente ou por meio de outros bancos) e comprou R$ 8,5 bilhões em ações do grupo, que equivalem a 24,6% de seu capital.

Além de atuar no controle da mídia, Meirelles também transformou a holding J&F na maior patrocinadora da política nacional. Oportuna reportagem de Leandro Prazeres, no site UOL, revela que o generoso grupo já doou a candidatos e partidos cerca de 18,5% de tudo o que tomou emprestado do BNDES entre 2005 e 2014, com PT, PMDB e PSDB aparecendo como os mais beneficiados.

Desde 2006, o grupo já figurava como um dos maiores doadores de campanhas políticas do Brasil. Meirelles só fez aumentar o cachê. Em 2010, por exemplo, o JBS ficou em terceiro lugar, com R$ 63 milhões. Mas em 2014, sob comando dele, o grupo passou a ser o maior doador, com R$ 366,8 milhões em patrocínio eleitoral, seguido da construtora Odebrecht , que doou R$ 111 milhões, e do Bradesco, com cerca de R$ 100 milhões.

O repórter Leandro Prazeres mostrou que o comprometimento da J&F com doações a políticos é tão grande que, somente para a eleição de 2014, a empresa doou 39,56% de todo o seu lucro líquido registrado em 2013, que foi de R$ 926,9 milhões. É como se, a cada R$ 100 de lucro, a JBS doasse R$ 39,5 para os caixas de campanhas de partidos e candidatos. Da mesma forma, a Odebrecht, segunda colocada no ranking de doações neste ano, doou 22% de seu lucro líquido em 2013, que foi de R$ 490,7 milhões.

É generosidade demais, motivando justificadas suspeitas de sonegações e graves irregularidades contábeis. Como se sabe, o lucro líquido é a diferença entre o que a empresa faturou e os seus custos operacionais (salários, tributos, impostos etc).

E a conclusão é óbvia – a J&F comprou a grande imprensa, mas esqueceu a internet, e o surgimento de um escândalo será inevitável. O assunto é intrigante, apaixonante e desafiante, logo,logo voltaremos a abordá-lo.

36 thoughts on “Meirelles tenta comprar silêncio da mídia no caso da Friboi

  1. E o pior é que estas empresas só têm a ganhar, seja com o direito de abater parte desses recursos no Imposto de Rendas, seja com o lobby e o compromisso dos políticos financiados de facilitarem a vida dessas empresas, como é o caso da própria JBS que tem recursos do BNDES “ad infinitum”.

  2. De qualquer forma a matéria mostra o compromisso deste banco em subsidiar grandes empresas a fim de torná-las campeãs nacionais.

    É um equivoco tremendo tal política, justamente porque o banco deveria direcionar a maior parte de seus recursos para as micro, pequenas e médias empresas, pois, são justamente estas que empregam 80% da classe trabalhadora.

    Do jeito que está, 62%

    • Do jeito que está, em 2014, 62,2% dos recursos do bando de fomento são direcionados às grandes empresas, 5,7% às médias-grandes empresas, 8,2% às médias empresas e somente 23,9% dos recursos são direcionados às micro e pequenas empresas.

  3. Existem dois tipos de participação societária: as não coligadas e as coligadas.

    No caso a JBS é coligada do BNDES, já que o banco de fomento participa de mais de 10% do capital da JBS.

    O Capital Social da JBS é de R$21,5 bilhões, o BNDES tem investido, até setembro de 2014, R$6,17 bilhões, ou seja, 28,69% do Capital Social da JBS.

    • Marine, infelizmente, ainda não disponho de fatos comprovando essa ligação. Até agora, só ouvi dizer… O que todo mundo é que o filho de Lula é um fenômeno empresarial sem explicação, como tudo que abrange a família Lula.

      Abs.

      CN

      • É Newton é melhor nao ser como o secretario de Fenando Henrique que lançou esta mentira no ar, e hoje foje do oficial de Justiça para evitar a sua citaçao, são homens para mentir, mas são “frangunhas” quando precisam assumir as responsabilidades.

        Newton voltando ao assunto, a Presidenta de todos os brasileiros tem poder para vetar Leis, sancionar Leis, mas para Regulamenta-las nao é sua funçao.
        Sempre é tempo para aprender.

        • É verdade, Francisco de Assis, sempre é tempo para aprender. E até agora você não aprendeu que em determinadas leis o próprio Congresso prevê que a regulamentação seja feita pelo Executivo.

          Quanto à presidente Dilma, nossa governante, pode chamá-la à vontade de presidenta ou governanta, como sugere a comentarista Teresa Fabricio…

          CN

          • Matou à pau , CN ! Esses petistas são ridículos ! Mas , não se pode esperar muita coisa de quem tem como Lula e Dilma como ídolos.

        • É preciso lembrar que o executivo é o mais fraco dos três poderes da República. Se veta um projeto de lei votado pelo Congresso, este pode derrubar o veto e o projeto será sancionado como Decreto Legislativo. Assim, o Congresso, que é legislativo, supera o executivo no poder de sancionar leis. Sem considerar a fragilidade do partido do chefe do executivo em governo de coalisão, tendo de aliar-se a partidos de ideologias diferentes para garantir a governabilidade, os quais cobram seu preço (e como cobram!). Como a maioria de eleitores, influenciados pelas três ditaduras que nossa República viveu, imagina o executivo todo poderoso, uma lei de verticalidade de alianças eleitorais faria bem à nossa democracia. Mas sei que os parlamentares não darão um turo no próprio pé.

  4. Não existe empresa que se sustente tendo seu capital sido formado com empréstimos de bancos. Mesmo com o BNDES participando como acionista, sua parcela é muito pequena para salvar esta empresa da estatização, da falência ou quem sabe ser vendida para uma multinacional, como foi a Kaiser, com novo empréstimo do BNDES para os compradores.
    A única vantagem, pelo que se sabe, é terem contraído os empréstimos junto ao BNDES por 3,50% a.a.
    Só um ególatra, e que confunde ético com etílico para permitir um negócio desses.

  5. Newton, inclusive o Presidente da República, que exerce o Poder Executivo Federal, tem o poder regulamentar, que consiste exatamente na regulamentação das leis mediante a edição de Decretos. Veja o que diz o art. 84, IV da Constituição Federal:

    “Art. 84. Compete privativamente ao Presidente da República:
    (…) IV – sancionar, promulgar e fazer publicar as leis, bem como expedir decretos e regulamentos para sua fiel execução”;

    Esse poder regulamentar também é exercido pelos Governadores de Estado e pelos Prefeitos Municipais.

    Além disso, o Presidente pode editar decretos diretamente, sem necessidade de Lei (são os chamados Decretos Autônomos), competência prevista no art. 84, VI, transcrito abaixo:

    “Art. 84, Compete privativamente ao Presidente da República:
    (…) VI – dispor, mediante decreto, sobre:
    a) organização e funcionamento da administração federal, quando não implicar aumento de despesa nem criação ou extinção de órgãos públicos;
    b) extinção de funções ou cargos públicos, quando vagos”;

    Agora, se a participação do BNDES no capital social da JBS é de 28,69% conforme informa o Wagner, me desculpe, mas essa participação é extremamente significativa, e não tem nada de pequena.

    • Tanto é significativa, a participação do BNDES no capital da JBS, que esta empresa entra nas demonstrações do nosso banco de fomento como COLIGADA.

      Quanto à lei anticorrupção sancionada por Dilma, ela é autoaplicável e não depende de regulamentação.

      • Participações societárias do BNDES (posição em setembro/2014).

        Não Coligadas: R$66,8 bilhões (80,6%)

        Petrobrás…….R$40,3 bilhões
        Vale S/A……….R$7,1 bilhões
        Eletrobras…….R$1,8 bilhões
        CPFL energia…R$1,2 bilhões
        Suzano………….R$1,2 bilhões
        Outras…………..R$15,2 bilhões

        Coligadas: R$16,1 bilhões (19,4%)

        JBS……………….R$6,1 bilhões
        Fibria……………R$2,8 bilhões
        Copel……………R$2,9 bilhões
        Brasiliana……..R$1,8 bilhões
        Outras………….R$2,5 bilhões

        Total…………….R$88,9 bilhões (100,0%) em participações societárias.

        Fonte: Informe contábil do BNDES.

  6. Carlos Newton , concordo tranquilamente, no que você disse ao ”sistemático” Francisco.
    Desde criança ouvi, ouço sempre e concordo : um erro, não justifica o outro.
    ”Ah, nós roubamos, mas os outros também.” É assim ?
    Me lembro bem, falo e repito: Lula negou tudo o que pregou, e praticou tudo o que condenou.
    E, ainda : traiu seus comparsas, alguns hoje condenados, e ele aí, com seus sábios pimpolhos,
    muito bem sucedidos. Verdadeiros craques, como ele sempre afirma.
    Eta Brasil !!!

    • Camilo, voce vem com essa historia que esse governo rouba. Porque voces nåo mostram um dinheiro que o Governo roubou?
      O governo é vitima da quadrilha montada por Sarney e depois por FHC, todos os ladroes ocuparam as diretorias nas epocas da politica arrasa terra dos tucanos.
      É uma pena que os de poucos neuronios fiquem acreditando que o maior escandalo de corrupçao do giverno de FHC com seus 375 denuncias nos limites de irresponsabil dades arquivados por Brndeiro

      • Pois é, a blindagem do governo FHC foi perfeita. No Congresso, controle total, impedindo CPIs (os 10milhões dados a Sérgio Guerra, senador e presidente do PSDB para matar a CPI da Petrobrás – está na Lava a Jato – é um exemplo); no MP, o Dr. Geraldo Brindeiro, Engavetador Geral da República; no fim do governo, a época mais perigosa, o Dr. Gilmar Mendes no Supremo. Estratégia de gênio. Queremos passar o Brasil a limpo ou PT? Por que não se investiga a Petrobrás no governo FHC? É porque “Meu governo pertence à história”, como ele disse?

  7. HISTÓRIA ???
    No seu entendimento é ”HISTÓRIA”
    Não é . É real! Não é fábula. É fabuloso
    Então tudo bem. Aliás, tudo mal. Com seu aplauso.
    Então…, continua tudo como dantes ! No quartel do pt.
    Uái, mas não rimou. Mas nós pagamos !

  8. PMDB, PSB, PT, base aliada e PSDB(!?)….hummmmmm…….
    Cheira a PNDH3, FÓRUM DE SÃO PAULO…
    Com exceção de alguns perdidos entre eles, que realmente pensam e se preocupam pelo melhor da nação, estado e pais., cheira mal…

  9. Prezado Lionço, em relação aos assuntos específicos que constam do art. 84, VI da Constituição Federal, acima transcrito, o Presidente da República pode legislar diretamente por decreto (são os decretos autônomos, exatamente porque não precisam regulamentar leis, e sim a Constituição diretamente nos assuntos constantes do art. 84, VI da CF de 88). Claro que, em todos os demais casos, os decretos do Chefe do Executivo vão ter que, obrigatoriamente, regulamentar as leis, sendo o caso do art. 84, IV da CF de 88, também transcrito acima.

  10. Tenta e consegue comprar pois até agora não vimos a ” grande mídia ” fazer uma única matéria sobre a Friboi. É como se a empresa não existisse

  11. O Brasil chegou, mais cedo que se esperava, à lama. Se Rui Barbosa estivesse vivo, morreria de vergonha. Quanto ao resto, estamos voltando à época da super inflação, isto é, pela manhã um preço e à tarde outro e por ai vai. Quanto a corrupção, não vão devolver o dinheiro roubado????? Pobre infância que aí vem. Socorro….

  12. Por favor levante o valor que o grupo JBS devia aos cofres estaduais em Goias, coisa de 1.3 BI( isto mesmo BI), e sr Jose Batista retirou sua candidatura contra o atual governador, e menos 2 meses após a posse o nosso governo c câmara dos deputados perdoou mais de 1 BI da divida, veja vcs que não adianta PT, PSDB e etc são tudo farinha do mesmo saco. grato

  13. Este tal cidadão Meireles, jamais poderia ser indicado a Ministro da Fazenda. Já esteve envolvido e foragido durante muitos anos, golpe escandaloso da ” CADERNETA DE POUPANÇA COLMEIA” , considerado um dos maiores escândalos financeiros daquela época.
    Tinham-o como morto, quando reapareceu em Maimi – rico e faceiro, deixando no Brasil, como seu sucessor, o genro dono de um um grande império ” o GRUPO OK” . Senador cassado pelo escândalo de desvio de verbas juntamente do TST – juntamente com o Juiz Nicolau, hoje se encontra preso na Papuda.
    Como pode um cidadão como este, com ilibada reputação negativa, ser indicado por um ex- presidente Lula, ser nosso Ministro da Fazenda. Algo de podre no nosso Reino. ….concordas ???

  14. O negócio é o seguinte: se as empresas agrupadas estão pagando propina, bancando corrupção, desviando recursos públicos ou sonegando impostos, elas têm que ser investigadas e punidas, COISA QUE O PT JÁ DEVERIA TER FEITO EM VEZ DE FICAR FALANDO. Se não estão fazendo nada disso, que sejam bem vindas, O Brasil precisa de investimentos e aumento de produção para sair do buraco em que foi enfiado pelo último DESGOVERNO. E não adianta chororô. A vaca está atolada? Vamos tirá-la do brejo e tocar para a frente. É isso que vai fazer de nós uma grande nação.

  15. Eu diria que falta divulgação o BNDES emprestar dinheiro para pequenas empresas conheço várias empresas pequena que tiveram empréstimos aprovado e liberado pelo BNDES e mais tem dinheiro sobrando em caixa só para ser destinado para empresas pequena média e grande

  16. Isto tudo é apenas a ‘pontinha do iceberg’ cujas dimensões reais desconhecemos mas felizmente não estamos impedidos de imaginar e projetar o tamanho real da podridão que mina a vida dos brasileiros mal informados ou desenformados e que ainda assim não estarão vacinados das consequências funestas da falta de seriedade de suas lideranças em todas as esferas da vida nacional. É DE UMA TRISTEZA SEM LIMITES!!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *