Melhor ter imprensa capengando do que não ter, disse Bolsonaro nas redes sociais

Resultado de imagem para live de bolsonaro passaporte de macedo

Bolsonaro gravou a última “live” envergando a camisa da seleção

Danielle Brant
Folha

Poucas horas após o ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), revogar a censura aos sites da revista Crusoé e O Antagonista, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) defendeu a liberdade de expressão no país, afirmando que é melhor ter uma imprensa “capengando” do que não ter imprensa.  Em transmissão ao vivo em uma rede social no início da noite desta quinta-feira (dia 18), Bolsonaro cumprimentou Moraes, que revogou decisão dele próprio que censurava os sites por terem publicado reportagens sobre o presidente da corte, Dias Toffoli.

Nesta quinta, Bolsonaro disse que a imprensa é importante, “ninguém duvida disso”. E assinalou: “As mídias sociais também são importantes. E eu falei para a imprensa, em que pese alguns percalços entre nós, nós devemos nos entender para que a chama da democracia não se apague”, afirmou. “É aquela velha história, é melhor uma imprensa às vezes capengando do que sem ter imprensa (sic).”

ESTAMOS JUNTOS – O presidente disse que quer manter diálogo com a imprensa. “Imprensa brasileira, estamos juntos. Pode ter certeza que esse namoro, esse braço estendido aqui, estará sempre à disposição de vocês.”

Ao final da transmissão, que durou 25 minutos, em vez dos 15 inicialmente previstos por Bolsonaro, o presidente voltou a criticar reportagem do UOL publicada pela Folha sobre o aumento do gasto do governo federal com publicidade.

“Folha e UOL, todo mundo conhece nossa querida Folha de S.Paulo. Divulgou esse dias que nosso gasto foi 63% maior que o mesmo período do governo [do ex-presidente Michel] Temer. Mentira. Mais uma, né?”, disse.

O levantamento do UOL, com base em dados da Secom, apontou que pagamentos com publicidade do governo federal cresceram 63% no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2018, indo de R$ 44,5 milhões para R$ 75,5 milhões. A reportagem já havia indicado que os gastos eram referentes a despesas contratadas na gestão Michel Temer.

GOVERNO ANTERIOR – Segundo o presidente, a fatura de dezembro, do antigo governo, foi paga em janeiro e fevereiro. “Não é da nossa conta, é do governo anterior. Então o pessoal faz essa divulgação mentirosa desses números e daí, então, bota embaixo: ‘olha, esse governo que falou que ia conter os gastos está gastando mais com publicidade’”, criticou.

Bolsonaro negou ter intenção de perseguir nenhum veículo de comunicação ao decidir os gastos publicitários do governo. “Mas vamos usar um critério técnico. Não vai ser mais aquela televisão conseguindo 85% da propaganda e os demais 15%. Vai ser técnico.”

O presidente defendeu a concessão do passaporte diplomático ao líder da Igreja Universal do Reino de Deus, Edir Macedo, e sua mulher, Ester Eunice Rangel Bezerra. A Justiça Federal suspendeu os efeitos de portaria que garantiu o documento a Macedo. “Levei pancada até não querer mais.”

QUEM PRECISA – Bolsonaro afirmou que o passaporte foi concedido no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e renovado na gestão de Dilma Rousseff.

Segundo Bolsonaro, a concessão do passaporte não é uma festa. “É para quem precisa, para quem viaja o mundo todo, porque tem certos benefícios que ajudam na vida de andar pelo mundo.”

Bolsonaro falou sobre a viagem do filho, deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), à Hungria, onde se encontrou com o primeiro-ministro, Viktor Orbán. “Ele gosta de fazer isso aí, viajar pelo mundo. Tenho certeza de que bons frutos colheremos dessa viagem à Hungria”, disse o presidente, que acrescentou que pretende viajar ao país e à Polônia no segundo semestre para “aprofundar laços de amizade e comerciais.”

QUESTÃO INDÍGENA – A demarcação de terras indígenas também foi abordada na transmissão ao vivo. O presidente defendeu que os índios “querem se integrar à sociedade e deixar de ser escravizados por homens e por alguns, minoria, de políticos e espertalhões no Brasil”.

Ele acusou ainda o governo do ex-presidente Fernando Collor de ter começado uma verdadeira indústria de demarcação de terras indígenas.”

LEI ROUANET – A regra foi chamada de “desgraça” e de “festa” pelo presidente, que disse que era usada para cooptar classes artísticas para apoiar o governo.

“Quantas vezes você não viu figurões defendendo ‘Lula Livre’, ‘Viva Che Guevara’, ‘o socialismo é o que interessa’, em troca da Lei Rouanet?”, questionou.

Ao comentar a redução do teto de R$ 60 milhões para R$ 1 milhão, Bolsonaro afirmou que considera o limite ainda alto. “Mas diminuímos 60 vezes o valor desse teto”, disse.

SEGURO-DEFESO – Além da lei Rouanet, o presidente afirmou também que há uma festa no seguro-defeso, assistência financeira temporária a pescadores. Segundo ele, dois terços das concessões são fraudes. “Tem gente que mora na costa do Brasil que nem sabe que água do mar é salgada, mas recebe seguro-defeso.”

Bolsonaro comentou a queda no número de invasão de trabalhadores sem-terra no primeiro trimestre, de 43 para 1. “Estou achando que foi muito, vamos buscar o zero”, disse. Ele afirmou que, no que depender de sua atuação, o ato será tipificado como terrorismo.

POSSE DE ARMAS – O presidente defendeu novamente que donos de imóveis possam se defender atirando eventuais invasores. “E, se o outro lado decidir morrer, é problema dele.”

Segundo o chefe do governo, o projeto do ministro Sergio Moro (Justiça) busca reforçar a legítima defesa em caso de invasão de propriedade privada.

28 thoughts on “Melhor ter imprensa capengando do que não ter, disse Bolsonaro nas redes sociais

  1. Era disso que o Brasil estava necessitando, um deputado do baixo clero, renegado até mesmo pela famigerada ditadura militar, um demagogo, populista, personalista, oportunista, de extrema direita, uma cópia lulista às avessas, mais um desavergonhado continuísta da mesmice, sem projeto novo nenhum para o país ?

  2. Outra notícia melhor ainda:

    “Bolsonaro pode privatizar a Petrobras”

    “Além de dizer a Natuza Nery que tem uma “simpatia inicial” pela ideia, ele abordou o assunto na reunião realizada na última terça-feira com o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, e o ministro da Economia, Paulo Guedes.”

    “É a melhor coisa que ele pode fazer.”

    ===> O Antagonista

  3. O “mito” tinha que ser responsabilizado pela diminuição do preço de mercado da Petrobras,que teve queda de 8% em suas ações, quando o presidente impediu o aumento do diesel.
    Os acionistas tinham que processa-lo.

  4. Bolsonaro acertou pela segunda vez sobre a imprensa, quando diz que ela tem que ser livre.
    Isso complementa a medida acertada que tomou em não dar o nosso dinheiro para ela, pois assim ela não seria livre.
    Aliás esses anos todos, corrompida pelo dinheiro público , a nossa imprensa nunca , na verdade, foi livre.
    Foi um armazém de secos e molhados, como disse Millôr Fernandes.

  5. Os caras recebem um manual para propagar tolices sem parar:

    Cotação Petrobras Preferencial:

    Em 21/01/2019 = R$ 25,53

    Em 18/04/2019 = R$ 27,89

    ===> ou seja valorizou 9,24%

    E nas costas do povo que sustenta este Mamute improdutivo e monopolista.

    Privatização Já!

    • O doente, você se deu ao trabalho de rememorar quando foi a intervenção na Petrobras em que o”seu mito” impediu o aumento do diesel?
      Esses aumentos que você citou foram depois que o preço do diesel sofreu aumento.

      Vou perguntar de novo: fumou o quê hoje?

        • Verdade! Desculpe, não observei o dia 21/01/2019, que foi antes da intromissão do “seu mito”. O que postei foi que no dia 12/04, com a intervenção, houve uma queda em torno de 8%. Depois do aumento, claro, a tendência era subir.

          Tenha uma boa noite.

          • Barros

            Por que você não faz seus comentários sem ódio e e com educação?

            Aqui não somos inimigos apenas temos idéias divergentes e/ou opostas.

            Abraços!

  6. Publicidade do governo, só deveria ser permitido, àquelas que tem a função de orientar a população, como exemplo, campanha de vacinação, alerta de possíveis tragédias, etc.
    Esse papo, tanto a nível federal, estadual, municipal, e outros poderes, fazerem algum coisa que são obrigações dos mesmos, gastarem milhões para se auto elogiarem, é uma tremenda sacanagem praticada com o dinheiro do povo….

  7. Sacanagem é o MST invadir uma fazenda particular, produtiva, legalizada, e, com a chegada do administrador juntamente com a polícia, prender todos eles e sequestra-los. Só foram liberados com a chegada do exército. Mas a fazenda não foi devolvida. Se apropriaram de todos os seus bens e, ainda hoje, estão lá. O governo (PT) não fez nada; a Justiça, acionada, também nada fez. Isto aconteceu há poucos anos, no Piauí, no município de José de Freitas, perto de Teresina. Vamos ver se com esse novo governo, algo acontece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *