Menotti Del Picchia, um poeta de alma errante, que vivia a saborear maravilhas passageiras

MENOTTI DEL PICCHIA – FRASES – Pão de Canela e ProsaPaulo Peres
Poemas & Canções

O jornalista, tabelião, advogado, político, romancista, cronista, pintor, ensaísta e poeta paulista Paulo Menotti Del Picchia (1892-1988) possuía uma alma errante e, consequentemente, sentia um estranho prazer em tudo que tem pouca duração.

CANÇÃO DO MEU SONHO ERRANTE
Menotti Del Picchia

Eu tenho a alma errante
e vago na terra a sonhar maravilhas…

Não paro um momento!
Eu busco irrequieto o meu sonho inconstante
e sou como as asas, as velas, as quilhas,
as nuvens, o vento…

Eu sou como as coisas inquietas: o veio
que canta na leira: a fumaça que voa
na espira que sobe das achas; o anseio
dos longos coqueiros esguios;
a esteira de prata que deixa uma proa
no espelho dos rios.

Eu tenho a alma errante…

Boêmio, o meu sonho procura a carícia
fugace, procura
a glória mendaz e preclara.
Sou como a vela fenícia
ao largo, uma vela distante…

Eu tenho a alma errante….

E me sinto uma estranha delícia
em tudo que passa e não dura,
em tudo que foge e não para…

One thought on “Menotti Del Picchia, um poeta de alma errante, que vivia a saborear maravilhas passageiras

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *