Mensalão tucano enfim vai chegar à Justiça de Minas Gerais

Marcelo Portela
O Estado de S. Paulo

0O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a remessa do processo contra o ex-senador Clésio Andrade (PMDB-MG) relativo ao mensalão mineiro à Justiça estadual em Minas. O caso foi desmembrado da ação que tramita na 9ª Vara Criminal do Fórum Lafayette, em Belo Horizonte, quando o peemedebista assumiu no Senado a vaga de Eliseu Resende (DEM-MG), morto em janeiro de 2011, mas o STF declinou competência para julgar a ação com a renúncia de Clésio em julho passado.

A defesa do ex-senador tentou adiar o envio do caso para a primeira instância com um embargo de declaração relativo a uma decisão em recurso apresentado pelo próprio réu. Mas Barroso não conheceu do embargo com a justificativa de que a decisão anterior se relativa ao processo contra Azeredo, “que foi distribuído por equívoco” para a 11ª Vara Criminal ao invés da 9ª, e que a Justiça ainda não se manifestou sobre a unificação dos casos. O ministro observou que julgamento conjunto das ações “acarretaria a suspensão” do caso contra Azeredo, que aguarda apenas a sentença judicial.

O processo contra Clésio ainda está na fase de depoimentos de testemunhas, assim como a ação que já tramita na 9ª Vara Criminal. Esta última tem oito réus, incluindo o empresário Marcos Valério Fernandes de Souza e seus ex-sócios Ramon Hollerbach e Cristiano Paz, já condenados por envolvimento no mensalão federal. Segundo a acusação, os acusados no mensalão mineiro participaram de esquema de desvio de recursos de estatais de Minas para financiar a campanha à reeleição Azeredo ao governo do Estado em 1998.

DESVIO DE 20 MILHÕES

Sobre a cabeça de Clésio Andrade pesa outro problema com a Justiça. No fim de setembro ele foi alvo de mandado de condução coercitiva para depor em investigação sobre o desvio de pelo menos R$ 20 milhões do Serviço Social do Transporte (Sest) e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat), em Brasília (DF) e em Minas Gerais.

A polícia chegou a executar mandado de busca e apreensão na residência do ex-senador em Belo Horizonte, mas ele não foi encontrado. No entanto, o peemedebista se apresentou depois ao Ministério Público para ser ouvido.

2 thoughts on “Mensalão tucano enfim vai chegar à Justiça de Minas Gerais

  1. Esse é o jornaleco do Don Cappo que conheço.
    Em nenhum momento cita o nome “mensalão tucano” e nem a sigla do Partideco Corrupto.
    È assim que o jornalão do Cardosê trata os muy amigos…

  2. O MAV aí precisa entender que os crimes atribuídos a Azeredo não tem nada a ver com o partido como foram os do mensalão, que levou esse nome por causa do dinheiro por mês distribuido aos outros partidos pelo PT.

    Essa de generalizar é coisa da esquerdinha vagabunda que tenta de todo jeito nivelar a condição de um com a de outro, totalmente distinta.

    Resumindo: o crime é de Azeredo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *