Mercadante esconde candidatura e finge que vai apoiar Lula em 2018

Andréia Sadi
Folha

‘Primeiro-ministro” de Dilma Rousseff, Aloizio Mercadante (Casa Civil) afasta a possibilidade de ser candidato à sucessão da chefe e diz em entrevista à Folha que o PT ”só tem uma referência para 2018”: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

”Ele é o meu candidato, sempre foi. Não tem essa discussão no PT. Quem está no coração da militância do PT é Lula. Eu não tenho essa pretensão e não está no meu horizonte”, afirmou o ministro.

Com a reeleição de Dilma, dirigentes petistas apostam nos bastidores que Mercadante usará a Casa Civil para pavimentar sua candidatura ao Planalto. Mas ele diz ter outros planos.

“Já estou chegando numa fase da vida em que dediquei tudo que podia para fazer o melhor para vida pública e para o país. Serei avô pela segunda vez na próxima semana, quero ter a chance de viver com meus netos o tempo que não pude viver com meus filhos”, disse Mercadante, que fará 61 anos em maio.

“ABRAÇO FANTÁSTICO”

Petista histórico, ele viu sua carreira no Executivo decolar no primeiro mandato de Dilma, apesar de não ter alçado voos nos governos de Lula (2003-2010).

“O Senado era muito difícil, éramos minoria e a oposição era muito forte. Era desafio grande para a governabilidade e fiquei lá os oitos anos [da era Lula]”, afirma.

Ele nega relações estremecidas com o ex-presidente, como todo o petismo reconhece, e que Lula o teria tratado friamente na posse de Dilma na quinta (1º). “Não existe isso, ele me deu um abraço fantástico.”

Para um dos auxiliares mais próximos de Dilma, Mercadante ganhou protagonismo no governo por ter um estilo semelhante ao de Dilma quando era ministra de Lula, de obediência e lealdade.

Perguntado sobre o que o levou ao estágio atual, ele cita seu trabalho nos Ministérios da Ciência e Tecnologia e da Educação como passagens bem-sucedidas: “Uma das palavras-chave para quem é governo é entregar.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Com essa entrevista, Mercadante já vai se candidatando à melhor Piada do Ano. Ele é candidatíssimo à sucessão de Dilma, não pensa em outra coisa. Mercadante odeia Lula, por tê-lo humilhado publicamente, e quer mais que ele se exploda. Mas Lula também o odeia e não permitirá a candidatura dele, nem que a vaca tussa, como diz a intelectual Dilma Rousseff, supostamente “doutora” em Economia e candidata eterna ao Nobel, por suas tentativas de inovações na teoria acadêmica. (C.N.)

8 thoughts on “Mercadante esconde candidatura e finge que vai apoiar Lula em 2018

  1. Piada é ter passado pela cabeça cheia de ridículas ideias desse senhor a simples possibilidade de candidatar-se, e, muito mais, de vir a ser presidente. Pelo visto, não é só a cabeça dele que é ruim. Os olhos também o são, visto que não se enxerga.

    • Mas o filho do Mercadante é outro “Ronaldinho’ dos negócios” !
      13 DE DEZEMBRO DE 2014
      EMPRESA DE FILHO DE MINISTRO FATURA R$148 MILHÕES
      A Petra Energia S/A, que tem como vice-presidente Pedro Barros Mercadante Oliva, filho do ministro Aloízio Mercadante, faturou R$ 148,1 milhões do governo federal entre 2013 e 2014, quando o petista se transformou no poderoso chefe da Casa Civil. Segundo o Sistema Integrado de Informações Financeiras do Governo Federal (Siafi), a verba foi empenhada pelo Ministério de Ciência e Tecnologia, que foi comandado pelo mesmo Aloizio Mercadante nos anos de 2011 a 2012.
      MEU PAIPAI
      Da verba empenhada pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), do ministério, R$ 47,1 milhões já foram pagos à Petra Energia.
      UM ATRÁS DO OUTRO
      Em 2013, o ministério empenhou R$ 42,8 milhões para a Petra Energia em agosto, e mais R$ 47,6 milhões no mês seguinte, setembro.
      Compartilhar
      LUCRO BILIONÁRIO
      Fundada em 2008 para explorar petróleo e gás, a Petra virou a maior concessionária de blocos de terra do País, tem áreas em MG, MA e AM
      Compartilhar
      OLHO NA ÁFRICA
      O presidente da Petra, Roberto Viana, já perfurou 16 poços na Bacia de São Francisco (MG), e tem expandido negócios para África. Hum…

  2. Mercadante, ou Padilha, ou Haddad. Um dos tres será nosso novo presidente em 2018. Assino em baixo. Mercadante, acredito será o escolhido. Já está se preparando, se familiarizando com ataques, denúncias vazias, e uma série de outros artifícios visando construir factóides que o desabonem. Mas esta fórmula já está conhecida pelo eleitorado. O PIG bem que tentou desconstruir tudo que Dilma vem realizando, mas o povo deixou de acreditar no PIG desde a eleição do Collor.

  3. O MERDANDANTE nunca passará de um irrevogável revogado. Presidente? Não. O lula não leva o rapaz a sério. Ele criou uma asinha agora, porque a Dilma também zurra. Já esta dizendo que quer mesmo é ver
    os netos crescerem, o que faz muito bem.
    Quanto aos critérios de obediência e lealdade, é muito próprio do PT, que seus militantes, sejam arrogantes
    com os subordinados e servis com os superiores. É uma facção política bastante hierarquizada.

  4. Não há dúvidas que já estavam (estão) privatizando a PETROBRAS, com o discurso cretino de que o “Petroleo é nosso”. A empresa do EIKE e a desse filho do Mercadante são a prova cabal do esquema iniciado com FHC e continuado pelos petistas, junto com a tal base aliada e com dinheiro público! Existe a PRE-SAL S/A, criada, segundo eles, para administrar exclusivamente o pré-sal, constituída por funcionários aposentados da PETROBRAS. Quem pode garantir que esta não venha a ser substituida por aquela?
    O processo da “operação lava-jato”, mostra que estao enterrando a empresa com favorecimento inclusive de governos estrangeiros. Sucateamento, corrupção e difamação, as receitas para a privatização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *