Messi, a tolice: “melhor jogador de todos os tempos”

Vem assombrando, teria vaga até no time dos “meninos” da Vila, só tem 22 anos. Se continuar assim, e confirmar na Copa, será novamente o craque do ano.

Mas como entre os comentaristas predomina o exagero e o absurdo, já proclamam: “É o melhor de todos os tempos”. Isso não existe, pode ser o melhor do seu tempo, uma consagração.

Milan e Leonardo:
à procura do tempo perdido

Nos dois últimos jogos, (pelo menos) o time de Ronaldinho Gaúcho podia ter passado à frente do Inter. Não conseguiu e ainda foi ultrapassado pelo Roma. Nesse 4 jogos, enfrentou três que tentam fugir do rebaixamento.

Fórmula 1 (?)

Segundo pódio de Massa em duas corrida. Tem agora 33 pontos e Alonso 37. Mas da volta 42 até a última, 58, uma fila: Button, Kubica, Massa, Alonso. Foi a tomografia computadorizada da prova.

Thomaz Bellucci

No Master Mil de Miami, a segunda boa vitória. Ganhou do belga Rochus, que num caso típico de acidente da trabalho, na véspera eliminara o Federer.  Nadal ganhou a terceira, todas com total dificuldade. perdeu o primeiro set no tie-break para o argentino Nalbandian, que não jogava há tempos.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *