“Meu coração tropical está coberto de neve”, dizia a canção de João Bosco e Aldir Blanc

João Bosco repudia ação da PF e uso de sua música - GGNPaulo Peres
Poemas & Canções

O psiquiatra, escritor e compositor carioca Aldir Blanc Mendes (1946-2020), na letra de “Corsário”, em parceria com João Bosco, mostra o canto do homem frio despertando para novas possibilidades de vida. A música faz parte do LP Essa é a Sua Vida gravado por João Bosco, em 1981, pela RCA Victor.

CORSÁRIO
João Bosco e Aldir Blanc

Meu coração tropical
está coberto de neve, mas,
ferve em seu cofre gelado
e a voz vibra e a mão escreve: mar
Bendita a lâmina grave
que fere a parede e traz
as febres loucas e breves
que mancham o silêncio e o cais

Roseirais
Nova Granada de Espanha
Por você, eu, teu corsário preso
vou partir a geleira azul da solidão
e buscar a mão do mar,
me arrastar até o mar,
procurar o mar

Mesmo que eu mande em garrafas
mensagens por todo o mar,
meu coração tropical
partirá esse gelmurtilo e irá
com as garrafas de náufrago
e as rosas partindo o ar
Nova Granada de Espanha
e as rosas partindo o ar

5 thoughts on ““Meu coração tropical está coberto de neve”, dizia a canção de João Bosco e Aldir Blanc

  1. Outro expoente da poesia cearense foi Jáder de Carvalho, também nominado o Príncipe dos Cearenses.Antes fora Padre Antônio Tomás. Depois de Jáder de Carvalho veio o poeta Artur Eduardo Benevides.

    TERRA DO SOL
    JÁDER DE CARVALHO

    I

    Dói na alma ver a seca no serão :
    toda a caatinga tem a cor da cinza;
    a água do rio esconde-se na areia;
    mugem as vacas dolorosamente .

    As moças e os meninos (tão magrinhos!)
    Estão catando os últimos capulhos
    do algodoal.Ele florara em junho,
    mesmo com a rara chuva que o molhou.

    Verdes , apenas os mandacarus ,
    os xiquexiques e os ásperos juazeiros:
    verdes , mas defendidos por espinhos!

    Por sua vez, o homem também protege ,
    com a pouca fala e o rosto duro , a abelha
    que lhe fabrica o mel no coração…

    II

    Abro a janela.A terra está feliz :
    toda molhada , trêmula de frio.
    Mas a cidade é muda nas calçadas :
    ó meninos,já não gostais da chuva?

    Minha terra se molha como gente.
    Quer dizer:nas mais íntimas alegria.
    Ela mata saudades.Era tempo.
    Como eu gosto das árvores na chuva!

    Chuva não é somente o sono bom,
    a música macia no telhado :
    é o pão – nosso,também, de cada dia.

    Feito as mulheres grávidas , a terra
    vai ficar terna,vai ter olhos úmidos,
    vai fechá-los , com medo dos relâmpagos…

  2. Outro expoente da poesia cearense foi Jáder de Carvalho, também nominado o Príncipe dos Poetas Cearenses.Antes fora Padre Antônio Tomás. Depois de Jáder de Carvalho veio o poeta Artur Eduardo Benevides.

    TERRA DO SOL
    JÁDER DE CARVALHO

    I
    Dói na alma ver a seca no sertão :
    toda a caatinga tem a cor da cinza;
    a água do rio esconde-se na areia;
    mugem as vacas dolorosamente .

    As moças e os meninos (tão magrinhos!)
    Estão catando os últimos capulhos
    do algodoal.Ele florara em junho,
    mesmo com a rara chuva que o molhou.

    Verdes , apenas os mandacarus ,
    os xiquexiques e os ásperos juazeiros:
    verdes , mas defendidos por espinhos!

    Por sua vez, o homem também protege ,
    com a pouca fala e o rosto duro , a abelha
    que lhe fabrica o mel no coração…

    II

    Abro a janela.A terra está feliz :
    toda molhada , trêmula de frio.
    Mas a cidade é muda nas calçadas :
    ó meninos,já não gostais da chuva?

    Minha terra se molha como gente.
    Quer dizer:nas mais íntimas alegria.
    Ela mata saudades.Era tempo.
    Como eu gosto das árvores na chuva!

    Chuva não é somente o sono bom,
    a música macia no telhado :
    é o pão – nosso,também, de cada dia.

    Feito as mulheres grávidas , a terra
    vai ficar terna,vai ter olhos úmidos,
    vai fechá-los , com medo dos relâmpagos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *