Michel Temer, eufórico, já se sente como futuro presidente

http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/files/2013/02/MICHEL-MARCELA-TEMER-FILHO-2013.png

Em matéria de primeira-dama, ninguém derrota Temer

Quando a presidente Dilma Rousseff foi reeleita, dia 26, quem mais comemorou e vibrou foi o vice-presidente Michel Temer. Pela primeira vez, ele sentia realmente que o destino estava a seu favor, pois chegar à Presidência da República era apenas uma questão de tempo. Semana passada, ao assumir inteiramente o cargo na viagem de Dilma ao Qatar e à Austrália, Temer então se sentiu inteiramente à vontade no Planalto, assinando atos administrativos, recebendo autoridades e políticos, uma verdadeira festa.

Desde então, o vice-quase-presidente tem dado sucessivas entrevistas. E não escolhe assunto. Já falou sobre a escolha dos novos ministros e fez questão de dizer que a melhor solução seria escolher um “homem de mercado” para substituir Guido Mantega e aumentar a credibilidade do governo.

Nesta segunda-feira, já no final da interinidade, Temer continuou dando entrevistas. Desta vez, afirmou que o governo não se abala com as recentes investigações da Operação Lava Jato, assinalando que as prisões de presidentes das empreiteiras não podem ser usadas para paralisar as obras contratadas junto ao governo federal.

TRANQUILÍSSIMO

Vamos conferir as palavras exatas de Temer, segundo a transcrição da repórter Mariana Haubert, da Folha, que lhe perguntou como estava o clima no Planalto, diante do agravamento do escândalo da Petrobras.

“Tranquilíssimo. Não apenas tranquilo como incentivando [as investigações]”, disse Temer ao sair do seminário pelo Pacto da Boa Governança, promovido pelo Tribunal de Contas da União, em Brasília. “Você sabe que tem a competência da Polícia Federal de um lado, o Ministério Público de outro, e o Congresso Nacional fazendo sua parte com a CPI, de modo que o governo está tranquilíssimo. Todas as palavras da presidenta e de todos os órgãos do governo são no sentido de incentivar as investigações”, acrescentou.

Para disfarçar a euforia, Temer ressalvou que as recentes investigações não comprometerão a gestão da presidente da Petrobras, Graça Foster, e não devem ser motivo para paralisar as obras em andamento sob responsabilidade das empreiteiras envolvidas no esquema de corrupção.

LINHA DE DEFESA

Na verdade, quem está tranquilíssimo é apenas ele, que está dando um jeito de sai ileso da tormenta que atinge o Planalto. Como experiente advogado e professor de Direito, Temer já traçou a linha de defesa a ser adotada pelo PMDB, de modo a excluir o partido das irregularidades. Por isso, voltou a negar que Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, tenha sido operador do partido no esquema articulado dentro da Petrobras.

“Ele não tinha relação nenhuma com o PMDB. Ele pode ter relação eventualmente com um ou outro membro do PMDB, mas institucionalmente jamais houve qualquer operador do partido”, disse.

Ou seja, na visão dele, se algum parlamentar ou ministro do PMDB aceitou propina, o problema é dele, não do partido.

A estratégia de Temer, como se vê, parece perfeita, mas depende de Fernando Baiano continuar sumido. Se a Polícia Federal colocar as mãos no operador do PMDB (que não tem dupla cidadania) e ele fizer delação premiada envolvendo o partido, quem também estará incriminado será o próprio Temer, que presidia o PMDB na época em que o esquema de corrupção foi montado.

E se Dilma e Temer sofrerem impeachment, lembrem-se do que a Constituição determina, porque quem assumirá o poder será Eduardo Cunha, como presidente da Câmara. E lá nave va, completamente desgovernada, à matroca, como dizem os marítimos. Que situação, hein?

 

6 thoughts on “Michel Temer, eufórico, já se sente como futuro presidente

  1. QUE O VICE NÃO SE DEIXE LEVAR PELO GOLPISMO

    A conquista do segundo mandato presidencial por Dilma Rousseff juntamente com Michel Temer como vice-presidente, mantém o PMDB como principal fiador da estabilidade política que será colocada à prova no próximo mandato. Isto porque, além de substituto imediato da presidente, Temer é presidente nacional da legenda e naturalmente sofrerá assédios de cúpulas dirigentes avessas às mudanças prometidas por Dilma e que por certo a população passará a exigir.

    Em meio à manobra golpista da revista Veja com aquela denúncia sem prova do envolvimento de Dilma Rousseff no escândalo da Petrobras, correram especulações de que em caso de reeleição Michel Temer, pela primeira vez, teria condições concretas de sonhar com a Presidência da República. Para essas vozes golpistas de ocasião o impeachment da presidente será inevitável se contarem com a cumplicidade do PMDB, sobretudo tendo apoio do veterano político paulista.

    Por sua vez a presidente Dilma, que iniciou 2014 fragilizada no intuito de conquistar um segundo mandato presidencial mas se agigantou saindo bem mais escolada de todo este processo, deverá transpor as barreiras do conservadorismo para corresponder às expectativas da população. Se ela quiser avançar efetivamente, o jogo será bruto.

    OBS: Postado em meu Facebook no dia 27/10/2014 – https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1544461642436768&set=a.1382649428617991.1073741827.100006188403089&type=1&theater

  2. A PRESIDANTA É VERDADEIRAMENTE O BODE FEDORENTO NA SALA. SE DEREM UM JEITO DE TIRAR O BODE DA SALA, AO MENOS HAVERÁ UM ALIVIO ENORME, SERÁ POSSIVEL BOTAR AGUA NA FERVURA. E MICHEL TEMER, POR PIOR QUE SEJA, É UM POLITICO ESCOLADO QUE PELO PELO MENOS POLITICAMENTE(O QUE NÃO É POUCA COISA) SABERÁ CONDUZIR O PAÍS MUITO MELHOR QUE A ANTA GERENTONA, QUE NÃO GERENCIA COISA ALGUMA.

  3. Moderador, o cara, o tal Baiano, se entregou hoje a PF.
    Também assisti a entrevista que o Temer deu ontem. Me pareceu, igualmente, muito seguro na sua posição de presidente em exercício da República, tanto quanto na do PMDB.
    Amanhã, devem começar os fatos e boatos… ou uma baianada, quem sabe?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *