Milícias digitais de direita, em polvorosa, não respeitam nem mesmo Helio Fernandes

Resultado de imagem para helio fernandes jornalista

Helio Fernandes dedica a vida aos ideais democráticos

Roberto Nascimento

Louvo a coragem de Antônio Santos Aquino, que escreveu um belo artigo em favor da liberdade. As milícias digitais estão em polvorosa, denotando um esgarçamento das ideias. A ideia ou o pensamento só é bom quando estiverem de acordo com o direitismo exacerbado atual, que condena todos na vala comum do “esquerdismo”. Está complicado escrever qualquer coisa nesses tempos obscuros.

Chegaram ao ponto de execrar o maior jornalista de todos os tempos, o ínclito Helio Fernandes, o mestre inigualável da imprensa brasileira e mundial. No Organização Globo é proibido pronunciar seu nome nas rádios e televisões ou citá-lo em seus jornais diários e revistas.

UM EXEMPLO – Helio Fernandes foi preso pela ditadura militar-civil e desterrado em Pirassununga, Campo Grande e Fernando de Noronha. Seu jornal foi destruído a bomba na calada da noite, em maio de 1981, após a anistia ser concedida pela ditadura. Resistiu a tudo e a todos, sem reclamar, e escreve diariamente até hoje aos 99 anos de idade.

Respeitem esse homem, que dedicou a vida pela liberdade de expressão. Atacá-lo, como fizeram aqui nesse espaço democrático, é uma covardia. Tenho vergonha e asco daqueles que não conhecem a história de vida desse excepcional brasileiro, que também erra como todos nós, porém sua vida é uma saga em favor da sociedade brasileira tão vilipendiada pelos governos e pela elite corrupta e venal, que só pensa em privilégios e lucros para sua casta, que se encontra no topo da pirâmide.

INSANIDADES – Não desanime, Aquino, vamos em frente. Retroceder jamais. O momento é de ouvir até insanidades nas redes digitais, mas não se pode recuar. É preciso esperar que as pessoas caiam em si e reflitam para o bem do país. Afinal, tudo o que os cidadãos brasileiros querem é poder trabalhar, viver, amar e ser feliz.

Um bom início de semana para todos.

12 thoughts on “Milícias digitais de direita, em polvorosa, não respeitam nem mesmo Helio Fernandes

  1. As milícias digitais são Deploráveis e Hélio Fernandes deve ser respeitado como decano do jornalismo brasileiro. Porém, como advertiu o comentário do leitor Marcos Franco, o suposto encontro, 3 meses antes da eleição, de Moro com o então candidato Bolsonaro agride a cronologia dos fatos, pois Moro sentenciou Lula em 12/07/17 e o TRF4 julgou o caso em 24/01/18, séculos antes do suposto encontro. Simplesmente não bate a informação do estimado Hélio Fernandes.

    • E o problema é a milicia digital de direita, ai ele fica sem o argumento, e já pode ser jogado na vala comum dos celerados canhotos. Enquanto os jornalistas sérios não fizerem a purga, e desmascararem os escrevedores vendidos e vendedores deformadores, dos informadores da realidade dos fatos toda a classe vai pra vala comum.

  2. “Brasileiro é tão bonzinho” como dizia aquela atriz americana que morou uns tempos no Rio.

    Eu: brasileiro é tão inocentinho.

    Tribuna sindical: Lula é inocente

    Só faltava mais essa.

  3. Total solidariedade ao mestre Hélio Fernandes.
    Mesmo que defenda posições com as quais a gente não concorde, ele tem todo o direito de faze-lo, e sua voz e seus textos deverão sempre ser muito respeitados.
    Através de seu antigo jornal impresso Tribuna da Imprensa, aprendi a analisar politica, economia e outros assuntos com um verdadeiro senso critico. Se ele acha que a prisão do Lulla é injusta, ele tem todo o direito de achar e escrever isso, embora discorde totalmente dessa posição, isso não vai diminuir em nada meu respeito pelo que ele representa.

  4. Aplaudo o artigo em tela.

    A situação políticas nacional chegou a um patamar perigoso de desrespeito, de patrulhamento ideológico, de ofensas, agressões e insultos inexplicáveis e injustificáveis.

    Foi assim com Lula e até hoje, com seus sectários amestrados na defesa do ladrão e genocida, cometendo os mesmos erros clamorosos de rótulos sobre aqueles que discordam da esquerda ou de como ela foi representada pelo PT, PCdoB, PP, PCB, PSOL …

    Não é primazia da direita as agressões, apesar de ser necessário o combate sem trégua a essas manifestações rasteiras e deprimentes de qualquer lado e ideologia.

    Sempre serei solidário a Hélio Fernandes, assim como podem contar com a minha fidelidade e amizade o Mediador, os articulistas da TI, e meus amigos do blog, que também lhes ofereço respeito e educação.

    Abraços.
    Saúde.

  5. Sobre o incensado jornalista Hélio Fernandes, lembro de um comentário que ele fez (logo depois retirado da publicação), no tempo em que o blog era da responsabilidade dele, tachando de medíocre o nome escolhido (Francisco) pelo novo Papa, o que considero, no mínimo, falta de respeito com o nome e com o pontífice (só pra esclarecer: sou agnóstico), então concluo que não há ninguém perfeito, todos nos humanos somos passíveis de cometer asneiras.

  6. Essa questão direita/esquerda se resume onde pode ser.
    Na hipótese do Helio Fernandes, a quem respeito, ter um jornal em plena época da Guerra Fria em Cuba ou na União Soviética e seus editoriais metessem a ripa na cacunda de Fidel ou do Brejnev certamente seu destino poderia ser pior que um Fernando de Noronha.
    Gosto ainda de ler o Hélio, mas sou fã do Millor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *