“Mimimi” e “frescura” : Bolsonaro choca para dividir a população e desviar o foco de mansão de Flávio

Incompetente e irresponsável, Bolsonaro quer afundar o País

Gerson Camarotti
G1

Aliados do presidente Jair Bolsonaro ouvidos pelo blog reconhecem que o presidente tem um objetivo claro ao usar palavras duras e que chocaram a população ao criticar medidas de restrição em meio a recorde de mortes por Covid-19.

Na avaliação desses aliados, o método de Bolsonaro consiste em dividir ainda mais a sociedade com intenção eleitoral de conquistar apoio de um segmento da população que está em desespero pela falta de trabalho ou por que precisou fechar o negócio.

ERRO NA POSTURA – Até mesmo integrantes do governo, avaliam de forma reservada um erro na postura agressiva do presidente Bolsonaro. “Ao invés de dividir, seria o momento de unir a população para uma solução segura no enfrentamento da pandemia e conciliar esforços para vacinação”, reconheceu ao blog um auxiliar próximo.

Bolsonaro usou os termos “mimimi” e “frescura” ao criticar novamente as medidas adotadas diante da pandemia. Ele fez o comentário durante um evento de que participou nesta quinta-feira, dia 4,  em São Simão, sudoeste de Goiás, um dia após o estado ter registrado recorde de mortes pela doença.

“MIMIMI” – “Vocês não ficaram em casa. Não se acovardaram. Temos que enfrentar os nossos problemas. Chega de frescura, de mimimi. Vão ficar chorando até quando?”, disse o presidente.

Para aliados no Congresso Nacional, Bolsonaro ainda tinha um segundo objetivo ao usar termos fortes para chocar a população: criar uma espécie de cortina de fumaça para o desgaste político causado pela divulgação da compra por R$ 6 milhões de uma mansão no Lago Sul, de Brasília, pelo filho, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

13 thoughts on ““Mimimi” e “frescura” : Bolsonaro choca para dividir a população e desviar o foco de mansão de Flávio

  1. Sr,. Newton
    Veja a “punição” que os “colegas” do Maniaco Sexual da Assemblèia Legislativa do Tucanistão aplicou por causa do abuso.
    Por enquanto o Partido Comunista (puxadinho do Fhcorrupto). também “não expulsou” o covardão abusador de mulheres.

    Tapa na cara de todas as mulheres”, diz Isa Penna após punição mais leve a Cury

    https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2021-03-05/tapa-na-cara-de-todas-as-mulheres-diz-isa-penna-apos-punicao-mais-leve-a-cury.html

  2. Levantamento da empresa Paraná Pesquisas indica que o presidente Jair Bolsonaro lidera as intenções de voto para a disputa à Presidência da República nas eleições de 2022. O atual chefe do Executivo está na frente em todos os cenários de 1º turno, com percentuais que variam de 31,9% a 37,6%.
    A pesquisa (íntegra – 533 KB) foi divulgada nesta 6ª feira (5.mar.2021). Foi realizada de 25 de fevereiro a 1º de março de 2021, por meio de ligações telefônicas. Foram consideradas entrevistas com 2.080 eleitores de 196 municípios, das 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais e o nível de confiança é estimado em 95%.
    Os dados indicam que as críticas à gestão do atual mandatário frente à crise da covid-19 não tiveram impacto sobre a competitividade do presidente em termos eleitorais.
    Os adversários testados contra Bolsonaro foram: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT); os ex-ministros Ciro Gomes (PDT), Luiz Henrique Mandetta (DEM) e Sergio Moro (sem partido); o governador de São Paulo, João Doria (PSDB); o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB); Guilherme Boulos (Psol); o ex-presidente do partido Novo João Amoedo; o ex-prefeito da cidade de São Paulo Fernando Haddad; e o apresentador Luciano Huck (sem partido).
    No 1º cenário de 1º turno testado pelo Paraná Pesquisas, Bolsonaro aparece 20 pontos percentuais à frente do 2º colocado, Sergio Moro. O presidente tem 31,9% das intenções de voto e o ex-ministro da Justiça tem 11,5%. Na sequência aparecem Fernando Haddad (10,5%), Ciro Gomes (10%), Luciano Huck (8%) e João Doria (5,3%).

  3. Neste momento, há milhares de pastores, conclamando os seus rebanhos, que dediquem apoio incondicional a Jair Bolsonaro.
    Por quê? “Porque essa Pandemia é uma praga que Deus lançou sobre a maldita humanidade”. E onde Bolsonaro deve ser reverenciado e reconhecido? “Ele é o único presidente do mundo que não está pondo obstáculo contra o desígnio de Deus; permitido que a punição se cumpra, conforme a programação divina”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *