Ministério Público do Rio vai investigar a “política evangélica” de Crivella

O prefeito eleito do Rio, Marcelo Crivella (PRB)

Crivella promoveu uma reunião evangélica na Prefeitura

Constança Rezende
Estadão

O Ministério Público do Rio vai investigar o evento promovido pelo prefeito do Rio,  Marcelo Crivella (PRB), no Palácio da Cidade, sede da Prefeitura, em que ofereceu facilidades a pastores e líderes de igrejas. No evento, divulgado pelo jornal O Globo, Crivella ofereceu auxílio em cirurgias de cataratas e varizes para fiéis e assistência a pastores que tivessem problemas de IPTU em seus templos. Além disso, exaltou o pré-candidato a deputado federal pelo PRB, Rubens Teixeira.

ESTADO LAICO? – O MP informou que a coordenação das promotorias de Justiça da Cidadania vai analisar se houve “inobservância da laicidade do Estado”, conferindo tratamento privilegiado aos fiéis de um determinado segmento religioso – o que é proibido pela Constituição e pode, em tese, configurar improbidade administrativa. As falas de Crivella também serão analisadas pela Coordenação de Saúde do MP, para a fiscalização da política de regulação do Sistema Único de Saúde (SUS).

O prefeito (PRB) promoveu um encontro reservado no Palácio da Cidade, sede da Prefeitura, na última quarta-feira, 4, com pastores e líderes religiosos. Segundo O Globo, os organizadores chegaram a pedir que os participantes não registrassem o encontro com selfies. Além disso, solicitaram reivindicações por escrito, relações de suas igrejas e número de fiéis.

EM CAMPANHA – Crivella, que é bispo licenciado da Igreja Universal, discursou por mais de uma hora e exaltou o pré-candidato a deputado federal pelo PRB, Rubens Teixeira. A reportagem divulgou áudios do encontro. Em um deles, Crivella diz que, se “os irmãos” tivessem alguém na igreja com problema de catarata era só procurar um de seus assessores.

“É só conversar com a Márcia que ela vai anotar, vai encaminhar e, daqui a uma semana ou duas, eles estão operando”, disse o prefeito no áudio gravado pelo jornal. O prefeito também ofereceu ajuda a pastores com problema no pagamento do IPTU.

“Igreja não pode pagar IPTU, nem em caso de salão alugado. Mas, se você não falar com o doutor Milton, esse processo pode demorar e demorar. Nós temos que aproveitar que Deus nos deu a oportunidade de estar na Prefeitura para esses processos andarem. Temos que dar um fim nisso”, disse.

DIZ A PREFEITURA – Em nota, a Prefeitura do Rio disse que a reunião citada “teve como objetivo prestar contas e divulgar serviços importantes para a sociedade, entre eles o mutirão de cirurgias de catarata e o programa sem varizes”.

“Desde o início de sua gestão, o prefeito Marcelo Crivella já recebeu os mais diversos representantes da sociedade civil, para tratar dos mais variados assuntos, tanto em seu gabinete quanto no Palácio da Cidade”, informou a prefeitura, por meio de nota.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Crivella foi apanhado com as calças na mão, como se dizia antigamente. Foi uma reunião de objetivos políticos, fora da agenda e sigilosa, em que o prefeito defendeu a hegemonia da “política evangélica”. Apenas isso. Não tem explicação nem saída. (C.N.)

14 thoughts on “Ministério Público do Rio vai investigar a “política evangélica” de Crivella

  1. Há muito tempo já deveriam ter pedido o afastamento deste cara. Os cariocas e também todo o restante da população deste estado merecem os políticos que têm. Não escapa um político neste estado.

    • Eu não vi o vídeo, mas li o título onde Crivella diz que teremos um dia “um presidente evangélico”.

      Suponho que no vídeo ele deve repetir a mesma palhaçada dos protestantes brasileiros de que o Brasil nunca teve um presidente protestante.

      Se Crivella pensa assim, ele mostra ser tão ignorante como a maioria dos protestantes brasileiros que não conhecem nem a história do próprio país que eles (protestantes) menosprezam…

      Na história da política Republicana o Brasil já teve 2 PRESIDENTES PROTESTANTES: Café Filho e Ernesto Geisel.

      Se esse pessoal não conhece nem a história do Brasil, como eles querem “salvar o Brasil”?

  2. Canalhice igual, somente a praticada pelo governador do Maranhão, Flávio Dino – PCdoB. O energúmeno se diz ateu convicto. Todavia, vem fazendo um recrutamento de pastores, coberto por favores do Estado. A área de segurança, por exemplo, é a mais empestada de servidores mascarados de “crentes”. Somente capelães, Dino já enfiou 50 nos órgãos da seguranca – o que tem causado mal-estar entre membros das corporações – terem de bater continência para um penetra só porque ele porta uma bíblia subaxilar.
    Lá, no problemático estado marañanguara, a politicagem religiosa já virou pilhéria: o líder PCdoBesta quer instaurar uma Capelania Hereditária.
    A justificativa dalguns reverendos bem pagos, é que a matança no estado, segundo o IBGE, subiu 121%. Metendo homens de Deus, nas Polícias e nos presídios, os capetas que incorporam nos assassinos serão rechaçados pra bem longe.
    Constituição Federal: Art. 19. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:

    I – estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público;

    II – recusar fé aos documentos públicos;

    III – criar distinções entre brasileiros ou preferências entre si.

  3. Li o assunto neste Blog, comentei que o TRE,TSE e MP, deveriam se pronunciar, fico satisfeito que o MP, agiu, TRE e TSE, ficamos no aguardo. O uso do BEM Público, nesse caso o prédio, não pode haver reuniões politicas, sob o disfarce de seitas religiosas. burlando a Lei, em especial a área da saúde, dando privilégios indevidos. O que lamento é que todo este comercio é feito em nome de Jesus Cristo, por falsos profetas. Que Deus se apiede dessas Almas, que exploram o “próximo” em seus nome e de seu enviado a 2018 anos, Jesus Cristo: que nos alertou: “A Cada um segundo suas obras e Pagarás até o último ceitil” em seu Código da Vida: O Evangelho.

  4. Stealing In The Name Of Jah – Roubando em o Nome de Deus.
    Cantor: Max Romeo
    Gênero Musical: Reggae

    Roubando, roubando, roubando,
    roubando, roubando
    Roubos em o nome do Senhor

    A casa de adoração a meu Pai.
    Tornou-se um covil de ladrões
    Roubos em o nome do Senhor

    Eles alimentam nossas mães com uvas verdes
    E põem os nossos dentes no gume.
    Roubos em o nome do Senhor

    -Golpeam o martelo da justiça
    E deixam o meu povo livre
    -Golpeam o martelo da justiça
    Ou deixem o meu povo se autodeterminar.

    Eles nos falam de um céu
    donde emanam leite e mel
    Roubos em o nome do Senhor

    Eles dizem que esse lugar chamado céu
    O homem rico não pode ir
    Roubos em o nome do Senhor

    No entanto, o reverendo dirige um carro de luxo,
    compra tudo livre de impostos.
    As pessoas têm que sacrificar
    Para dar em caridade

    A casa de adoração a meu Pai.
    Tornou-se um covil de ladrões
    Roubos em o nome do Senhor

    Roubando, roubando, roubando,
    roubando, roubando.
    Roubos em o nome do Senhor

    Roubando, roubando, roubando
    Roubando, roubando.
    Roubos em o nome do Senhor.

    PS: JAH, DEUS, no dialeto Patois Rastafari; falado na Jamaica.

    • menu
      Pastor João e a Igreja Invisível
      Raul Seixas

      Eu não sei se é o céu ou o inferno
      Qual dos dois você vai ter que encarar
      E foi pra não lhe deixar no horror
      Que eu vim para lhe acalmar

      Se o pecado anda sempre ao seu lado
      E o demônio vive a lhe tentar
      Chegou a luz no fim do seu túnel, minha filha
      O meu cajado vai lhe purificar

      Pois eu transformo água em vinho
      Chão em céu, pau em pedra, cuspe em mel
      Pra mim não existe impossível
      Pastor João e a igreja invisível

      Pois eu transformo água em vinho
      Chão em céu, pau em pedra, cuspe em mel
      Pra mim não existe impossível
      Pastor João e a igreja invisível

      Pois eu transformo água em vinho
      Chão em céu, pau em pedra, cuspe em mel
      Pra mim não existe impossível
      Pastor João e a igreja invisível

      Pois eu transformo água em vinho
      Chão em céu, pau em pedra, cuspe em mel
      Pra mim não existe impossível
      Pastor João e a igreja invisível

      Para os pobres e desesperados
      E todas as almas sem lar
      Vendo barato a minha nova água benta
      Três prestações, qualquer um pode pagar

      O sucesso da minha existência
      Está ligado ao exercício da fé
      Pois se ela remove montanhas
      Também traz grana e um monte de mulher.

      Pois eu transformo água em vinho
      Chão em céu, pau em pedra, cuspe em mel
      Pra mim não existe impossível
      Pastor João e a igreja invisível

  5. Absurdo a atitude do Crivella. E surreal ver em vídeo circulando nas redes, o Deputado Atila Nunes indignado e vociferando contra o prefeito. Só para esclarecer, Atila Nunes era e continua sendo defensor de Cabral e Pezão e na Alerj foi um dos votos pela libertação do prisioneiro Picciani. Com gente deste naipe na política, me refiro tanto ao Crivella quanto ao deputado em questão, só temos uma conclusão…enquanto assim for não haverá solução.

  6. Sabe em que isso vai dar ? Em nadadica !!
    O mprj em minusculo porque não viu o cabral roubando , não viu nada de errado no governo pezão , agora só porque em uma reunião com pastores e lideres de igrejas prometeu fazer algo , qual é o politico que em reunião não promete ….Fala sério !!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *