Ministério Público já pegou Flávio Bolsonaro e Queiroz em muitas contradições

Flávio Bolsonaro defende Queiroz e diz que caso só ganhou ...

Queiroz e Flávio têm um encontro marcado com a carceragem

Juliana Dal Piva e Bernardo Mello
O Globo

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) admitiu em entrevista exclusiva ao GLOBO publicada nesta quarta-feira que seu ex-assessor Fabrício Queiroz pagava suas contas pessoais. Segundo ele, a origem dos recursos é lícita, sem relação com os possíveis desvios investigados em seu antigo gabinete na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). No entanto, no pedido de prisão preventiva de Queiroz, o Ministério Público do Rio (MP-RJ) apontou indícios de que o dinheiro utilizado pelo ex-assessor para pagar despesas de Flávio e de sua mulher, Fernanda Antunes, “não proveio das fontes lícitas de renda do casal”. Esta foi a primeira vez que Flávio admitiu pagamentos feitos por seu ex-assessor.

Segundo o MP-RJ, Queiroz  pode ter sido o responsável por até R$ 286,6 mil em pagamentos e transferências em espécie para cobrir despesas do então deputado estadual e de sua mulher. Os valores se referem a repasses em 2011 e, principalmente, a pagamentos de mensalidades escolares e do plano de saúde da família de Flávio, entre janeiro de 2013 e dezembro de 2018. O senador nega irregularidades.

MAIS CONTRADIÇÕESNa entrevista, Flávio disse que os repasses para Queiroz pagar seu plano de saúde teriam sido diluídos ao longo de 12 anos. O MP-RJ, no entanto, aponta que esses pagamentos teriam sido feitos durante cinco anos.

— Você acha isso muito dinheiro em 12 anos? Minhas contas são investigadas desde 2007. Se você pegar esse dinheiro, R$ 120 mil, e diluir em 12 anos, vai dar R$ 1.000 por mês. Isso é muito? Não é muito. Qualquer plano familiar baratinho é mais do que isso. Não tem ilegalidade. A origem dos recursos é toda lícita — afirmou o senador.

A partir do cruzamento de dados bancários com imagens de câmeras de segurança de uma agência na própria Alerj, o MP apontou que Queiroz pagou as mensalidades escolares das duas filhas de Flávio e Fernanda no dia 1º de outubro de 2018, no valor total de R$ 6,9 mil. O pagamento foi feito em espécie. Ainda segundo o MP, Flávio e Fernanda não haviam feito nenhum saque nos 15 meses anteriores a este pagamento, “de forma que não haveria lastro financeiro lícito de dinheiro em espécie para efetuar a operação bancária”, segundo os investigadores.

DIZ O MP-RJ “Portanto, conclui-se que o dinheiro utilizado pelo operador financeiro para pagar as mensalidades da escola das filhas do líder da organização criminosa não proveio das fontes lícitas de renda do casal, mas sim dos recursos em espécie desviados da Alerj e entregues pelos “assessores fantasmas” a Fabrício José Carlos de Queiroz”, diz o MP.

Os promotores investigam outros 114 boletos bancários das escolas das filhas e do plano de saúde da família de Flávio Bolsonaro cujos valores não foram debitados das contas do então deputado nem de sua mulher. O valor total desses boletos chega a R$ 261,6 mil. O MP suspeita que o próprio Queiroz possa ter feito parte ou todos esses pagamentos.

Queiroz foi assessor de Flávio Bolsonaro entre 2007 e 2018. Ele deixou o gabinete em outubro, 15 dias antes do segundo turno da eleição presidencial. Dois meses depois, foi revelado um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que apontava que Queiroz movimentou em sua conta corrente R$ 1,2 milhão entre 2016 e 2017. O relatório fez parte das investigações da “Operação Furna da Onça”, pelo Ministério Público Federal e pela Polícia Federal.

PÓS-EXONERAÇÃO –  Os dois últimos boletos de Flávio Bolsonaro investigados pelo MP, em novembro e dezembro de 2018, foram pagos depois da exoneração de Queiroz, mas antes que viesse a público o relatório sobre as movimentações financeiras do ex-assessor.

O Ministério Público do Rio identificou ainda que Fernanda Antunes, mulher de Flávio, recebeu ao menos um depósito em espécie de Queiroz, em agosto de 2011, no valor de R$ 25 mil. O ex-assessor precisou se identificar como autor do depósito por conta do valor elevado.

Queiroz e Flávio são investigados por uma suposta prática de “rachadinha” — isto é, a devolução de parte dos salários de funcionários, o que é ilegal — no antigo gabinete do deputado estadual na Alerj. No início de 2019, a investigação do MP apontou que Flávio recebeu, no mesmo dia, 48 depósitos de R$ 2 mil — totalizando R$ 96 mil – em sua conta bancária.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O problema de Flávio é simples – os números não batem, a contabilidade não fecha. Em tradução simultânea, Queiroz administrava a renda das “rachadinhas” como se fosse a casa da Mãe Joana, como se dizia antigamente. Por isso, é tão difícil defender Flávio Bolsonaro, que tem um encontro marcado com a carceragem. (C.N.)
 

8 thoughts on “Ministério Público já pegou Flávio Bolsonaro e Queiroz em muitas contradições

  1. Gato gordo na Alerj …… R$49,3 milhões:

    O presidente da Assembléia Legislativa do Rio (Alerj), deputado André Ceciliano (PT) usou o plenário para falar na tarde desta quarta-feira, sobre a decisão do Tribunal de Justiça do Rio de quebrar seu sigilo bancário. O parlamentar teve seus sigilos bancário e fiscal quebrados a pedido do Ministério Público (MPRJ).

    http://www.sinfrerj.com.br/comunicacao/destaques-imprensa/apos-ter-os-sigilos-fiscal-e-bancario-quebrados-andre-ceciliano-diz

    – Recebo com tranquilidade a notícia, me coloquei à disposição do MP desde o primeiro momento, oferecendo a abertura dos meus singilos bancário, fiscal e telefônico, como publicado em vários veiculos de imprensa à época. O homem público não deve temer investigação. Confio na atuação do MP e na Justiça. — afirmou

    Sobre a decisão, o deputado também disse que já tinha oferecido dados fiscais e bancários ao Ministério Público. Afirmou também que não tem medo das investigações e as considera positivas porque terá mais uma vez oportunidade de esclarecer os fatos. Ceciliano disse ainda está na política desde 1998 e que “só perdeu patrimônio” no período

    Ele é investigado por movimentação financeira suspeita de funcionários do seu gabinete. Essas movimentações foram reveladas em um relatório de inteligência financeira produzido na operação Furna da Onça, da Lava Jato no Rio.

    O relatório produzido pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) sobre as transferências de recursos assessores e ex-assessores de deputados estaduais identificou, ao todo, 75 servidores e ex-servidores com “movimentação financeira suspeita registrada em contas de suas titularidades”. Essas transações envolvem funcionários e ex-funcionários de ao menos 20 deputados com mandato na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e que integram 14 partidos de diferentes matizes ideológicas.

    Entre os que movimentaram de forma atípica os maiores valores estão ou estavam lotados no gabinete do deputado estadual André Ceciliano, que está presidindo a Alerj atualmente.
    O total movimentado no período foi de R$ 49,3 milhões.

  2. Desculpe-me CN a minha incredulidade.
    Após a liberação do corrupto/hediondo da prisão preventiva; o hediondo nunca mais irá para a cadeia a menos que mudemos o status quo desenvolvido pelo congresso, stf e sancionado pelo executivo.
    Só falta agora “calar” nossas vozes; que é o que ainda incomoda eles.
    Bom dia.

    • Nenhum político será preso por um crime amplamente praticado por todos os políticos, em todas as câmaras municipais, estaduais e federal e a qual mal existe uma definição legal. Segundo alguns juristas nem crime é, embora imoral.
      Na própria Alerj o Flávio Bolsonaro está em decimo na lista de movimentações suspeitas.
      O cara sequer foi a julgamento na primeira instância, mas o Sr. CN jura que ele será preso amanhã. Por que? Por que se chama Bolsonaro e esse nome faz o pessoal da imprensa ter delírios.

  3. Diante do montante de 49 pilas do tal do Ceciliano… a famiglia se mostra incompetente até pra passar a mão nos cofres públicos.
    Verdadeira família Trapo.
    Gatunos oportunistas, é o que são! Gente de poucas luzes, de intelecto ínfimo e caráter pútrido.
    Por enquanto, vão comprando quem estiver ao seu alcance, mas nem todo mundo está disposto a ser-lhes servis.
    Haverá alguém no âmbito das nossas enlouquecedoras leis, que pegará a porca pelo rabo.

    Tem um ditado que diz: MALANDRO DEMAIS SE ATRAPALHA.

    Pois, é…

    Vão se esborrachar!

    Cordialmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *