Ministério Público já pediu bloqueio de bens de Gabrielli

Além do bloqueio, MP pediu quebra do sigilo de Gabrieli

Eduardo Militão
Correio Braziliense

O Ministério Público do Rio de Janeiro pediu o bloqueio de bens e quebra dos sigilos bancário e fiscal do ex-presidente da Petrobras José Sergio Gabrielli. A Promotoria abriu uma ação civil pública de improbidade administrativa contra ele, a estatal e a empreiteira Andrade Gutierrez. A promotora Gláucia Santana acusa a empresa de irregularidades em quatro contratos em obras no Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes), no Rio.

De acordo com auditorias do Tribunal de Contas da União, houve superfaturamentos e nos empreendimentos entre 2005 e 2010. O prejuízo foi de R$ 32 milhões.

Além do bloqueio de bens e quebra dos sigilos de Gabrielli, o Ministério Público pede que outras pessoas ligadas à Petrobras sejam atingidas pela mesma medida e processadas por improbidade. São elas: o ex-diretor de Engenharia Renato Duque, o ex-gerente de Engenharia Pedro Barusco, o gerente de Estimativa de Custos, Sérgio dos Santos Arantes, o gerente de Implementação de Empreendimentos, José Carlos Villar Amigo, o gerente Setorial de Construção e Montagem, Alexandre Carvalho da Silva, e os responsáveis pelas elaboração dos orçamentos e contratos Antônio Perrota Neto e Guilherme Neri.

Duque e Barusco são investigados na Operação Lava-Jato por suspeitas de corrupção em contratos com empreiteiras.

5 thoughts on “Ministério Público já pediu bloqueio de bens de Gabrielli

  1. Causa-me surpresa esse Ministério público do Rio de janeiro até hoje não propor nada contra o desgoverno do Estado do Rio de janeiro,será que é uma faca de dois gumes.

  2. Está chegando lá…
    Demorou…
    Estão quebrando o sigilo, agora?…
    A Receita Federal está tal qual a justiça, devagar, mas chegamos lá… algum dia….
    Ela só é rapidinha em tempo de Declaração do IRPF, para contestar inconsistência nos lançamentos das despesas médicas dos velhinhos aposentados e… rendidos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *