Ministro da Justiça pede à PF investigação sobre vazamento de dados de Bolsonaro e filhos

Hackers publicaram informações pessoais de Bolsonaro e familiares

Marco Grillo
O Globo

O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, afirmou nesta terça-feira, dia 2, que determinou à Polícia Federal (PF) a abertura de um inquérito para investigar o vazamento de informações pessoais do presidente Jair Bolsonaro, do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), do vereador do Rio Carlos Bolsonaro (PRB) e de outras autoridades.

De acordo com o ministro, serão apurados crimes previstos na Lei de Segurança Nacional, Lei das Organizações Criminosas e no Código Penal. Na noite de segunda-feira, hackers do grupo Anonymous Brasil publicaram endereços, CPFs, telefones e informações sobre imóveis de Bolsonaro e familiares.

EXPOSTOS – Também foram alvos da divulgação, feita pelo Twitter, os ministros Abraham Weintraub (Educação) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos). O deputado estadual de São Paulo Douglas Garcia (PSL), que teve computadores do gabinete apreendidos pela PF na operação relativa ao inquérito das fake news, também teve informações pessoais expostas.

Parte do que foi divulgado, como os dados imobiliários de Bolsonaro e dos filhos, já estava disponível publicamente nos sistemas da Justiça Eleitoral, que reúne informações de candidatos a cargos eletivos. Outras informações, como números de telefones, por exemplo, eram privadas.

COMPARTILHAMENTO – Minutos após a divulgação dos documentos, as postagens foram tiradas do ar. “Apagamos os documentos com as informações pessoais do Carlos Bolsonaro e do Jair, todos conseguiram salvar? O twitter é automático, esse tira do ar esse tipo de arquivo, por isso retiramos. Vocês podem compartilhar o link pela DM. Quem tiver comenta, quem quiser também”, publicou o perfil.

Na manhã desta terça-feira, Carlos Bolsonaro afirmou no Twitter que via a divulgação como uma “tentativa de intimidação” e acrescentou que “medidas legais” seriam tomadas contra o grupo. “A turma ‘pró-democracia’ vazou meus dados pessoais e de outros na internet. Após vermos violações do direito à livre expressão, agora ferem a privacidade. Sob a desculpa de `combater o mal´, justificam seus crimes e fazem justamente aquilo que nos acusam, mas nunca provam!”, escreveu.

5 thoughts on “Ministro da Justiça pede à PF investigação sobre vazamento de dados de Bolsonaro e filhos

  1. Eis aí o ‘modus operandi’ dos mais novos amigos da democracia, os bandidos digitais Anonymous. Anda em boa companhia a TI, como se já não bastasse os vândalos Antiga.

  2. Pra valer mesmo, o bom será quando a “turma da democracia” cobrir de porrada esses 300 e a Sandra Rosa Madalena winter e enfiar uma bucha nesse carlicho pra escafeder de vez com esse fedor que ganhou o espaço que nunca foi nem será deles.
    Gentalha sujando a bandeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *