Ministro italiano presenteia Eduardo Bolsonaro com lei permitindo atirar em assaltante

ctv-eum-eduardo

O ministro italiano Salvini recebeu Eduardo Bolsonaro em Roma

Renato Ghelfi
Estadão

O ministro do Interior da Itália, o ultradireitista Matteo Salvini, presenteou nesta sexta-feira em Milão o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ) com uma cópia da polêmica lei de legítima defesa italiana para que inspire um projeto que o presidente Jair Bolsonaro pretende aprovar no Brasil. Sancionada no mês passado, a lei italiana estabeleceu que a defesa “sempre” é legítima em casos de invasão a domicílio com violência ou ameaça. Também determinou que não há “excesso” de legítima defesa nesses casos.

Hoje, a legislação brasileira permite que o indivíduo se proteja de forma proporcional à agressão sofrida. “No Brasil, você não está liberado para atirar em qualquer caso. A reação tem que ser suficiente para estancar o ato do agressor”, explica Edson Knippel, professor de direito penal da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

LEGÍTIMA DEFESA – Segundo ele, a mudança na legislação italiana a tornou mais flexível em relação à legítima defesa do que a lei brasileira. Salvini e Eduardo Bolsonaro tiveram uma reunião no consulado brasileiro em Milão e depois concederam uma entrevista coletiva conjunta que foi transmitida pelo ministro italiano nas redes sociais.

A intenção do presente dado a Eduardo, segundo Salvini, é que a cópia da lei sirva de inspiração para o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sérgio Moro, que o presidente Bolsonaro quer impulsionar no Brasil.

O filho do presidente reconheceu que seu pai quer aplicar uma medida “similar” à promovida por Salvini e disse estar confiante que o Congresso aprove esta lei em breve.

DIREITA EM ALTA – Eduardo Bolsonaro ressaltou que “o mundo está mudando”, após os triunfos do seu pai no Brasil e de Donald Trump nos Estados Unidos, e previu que líderes de direita também vencerão nos países europeus.

Nesta linha, Salvini lembrou que está trabalhando para que os partidos eurocéticos de direita da União Europeia (UE) se aliem e sejam a bancada mais votada nas eleições para o Parlamento Europeu de maio.

“Temos a possibilidade de mudar a Europa e construir uma Europa forte, que defenda as fronteiras”, argumentou o ministro italiano e também vice-presidente do governo do país.

BATTISTI – Por fim, Salvini agradeceu ao governo brasileiro pela extradição do italiano Cesare Battisti, ex-membro do já extinto grupo terrorista Proletários Armados pelo Comunismo (PAC) e condenado por terrorismo. “Temos que agradecer ao presidente brasileiro e ao povo brasileiro. Para a Itália foi um grande dia, porque finalmente Battisti está na prisão. (…) É o começo de um caminho que permitirá que voltem à Itália muitos terroristas e delinquentes”, ressaltou.

Battisti, de 64 anos, foi extraditado à Itália no último dia 14 de janeiro diretamente da Bolívia, onde foi capturado após ter fugido, um mês antes, do Brasil, onde vivia desde 2004. /Com agências de notícias

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A mudança da lei é importantíssima e precisa ser adotada no Brasil. Antes disso, porém, o presidente Bolsonaro precisa cumprir a promessa de facilitar a compra de armas por cidadãos de bons antecedentes. A suposta mudança na lei foi uma tremenda enganação. A compra de uma arma (no máximo, um revólver 38) por um cidadão de bem no Brasil continua a ser uma verdadeira gincana, de custo elevadíssimo. Bolsonaro precisa cumprir sua palavra. (C.N.)

9 thoughts on “Ministro italiano presenteia Eduardo Bolsonaro com lei permitindo atirar em assaltante

  1. Homem indiciado por homicídio após espancar lavador de carros até a morte é bolsonarista e cidadão de bem

    As agressões teriam começado por volta de 0h30. No momento, ele estava dormindo. Ele chegou a ser socorrido pelo Samu, mas morreu ainda dentro da ambulância.

    Em suas redes, Paulo Roberto Gratz apoia Jair Bolsonaro e se declara um homem de fé.

    http://bit.ly/2Xy7cpj

    Bem provável que o Samu fosse desnecessário se o cidadão de bem tivesse uma arma.

  2. Vai haver muita gritaria, mas eu concordo inteiramente com a mudança. Essa história de “proteção proporcional à agressão sofrida” é uma balela que favorece enormemente o atacante, que pode atirar primeiro: enquanto você teria que esperar ele atirar para atirar também (se ele errar, porque se acertar você morre), e ele não está preocupado com nada disso. E ainda que ele não esteja com arma de fogo nas mãos, é bobagem pensar numa defesa “moderada” apenas ameaçando o agressor (porque ele pode te tomar a arma e atirar em você) ou dando um tiro para apenas ferir um membro do atacante por exemplo, porque além de ser muito mais difícil de acertar mesmo que você acerte demora a fazer um efeito que provavelmente não evitará a agressão.
    O protocolo para a defesa com arma de fogo, se for preciso atirar, é atirar para causar ao atacante o máximo de dano possível no menor espaço de tempo possível, e com a maior possibilidade de não errar, para incapacitá-lo de todo a tempo de prevenir a agressão, o que quer dizer atirar primeiro mais de uma vez no centro do tórax e depois, se possível, na cabeça. Você está tentando preservar em primeiro lugar a sua vida e a de seus familiares, não a do atacante.
    Se alguém invade a sua casa com você dentro, é claro que ele não está pensando no seu bem. E, ao fazer isso, já assumiu o risco de sua reação. Não é você quem está iniciando a briga, É o invasor.

  3. Excelente lei italiana. Bandido tem que ser fuzilado até virar peneira, para o desespero de quem lucra com essas entidades criminosas de direitos humanos de bandidos!

  4. Carlos Newton agora que nunca mais vai comprar seu Trezoitão:

    “PSB questiona decreto das armas”

    “O PSB ajuizou no STF uma ação direta de inconstitucionalidade (ADI 6119) contra regras do decreto assinado por Jair Bolsonaro que facilita a compra de armas.”

    “O partido pede que se estabeleça a interpretação de que a posse só pode ser autorizada a pessoas que demonstrem “efetiva necessidade, por motivos profissionais ou pessoais”.”

    ===> O Antagonista

    Por óbvio segundo os protetores do cidadão do PSB somente assassinos podem andar armados.

  5. -Vejam os senhores que o Jornalista não quer comprar um fuzil ou uma metralhadora, como podem fazer os americanos e os paraguaios, nem o direito de sair às ruas com ele.
    -Ele quer apenas comprar um mero 38 que, antes do tal Estatuto do desarmamento, era vendido na Mesbla e nos classificados de qualquer jornal do país.

    Em 12 de fevereiro de 2008, o “democrata” Tarso Genro, então Ministro da Justiça, “passeando” em Genebra, disse que a meta do governo brasileiro era reduzir o número de homicídios no Brasil, ao “nível chileno”, EM QUATRO ANOS. E que só isso já justificava o Estatuto do Desarmamento. Afinal, se não existe crime, não tinha necessidade do cidadão ter arma em casa, como tinha o tal ministro.
    Na época, o número de homicídios no país era de 48 mil mortes por ano, o que dava uma média 29 por cada 100 mil habitantes, anualmente, enquanto a do país vizinho… era de 12 – índice 58% menor.

    -A parcela ingênua da população se desarmou e entregou, voluntariamente, as suas armas nas delegacias sem saber que o Ministro da Justiça era apenas MAIS UM PETISTA MENTIROSO…

  6. “Bolsonaro precisa cumprir sua palavra. (C.N.) ” Kkkkkkkkkk… Kkkkkkkkkkkkk… Kkkkkkkkkkkkkkkk… O amigo da onça dos caminhoneiros ? Não sustenta na janta nem o que come no almoço.

  7. Brasileiro tem corrupção no seu DNA (não só a de desvio de valores monetários, mas de desvio de caráter e moral).
    Então falar a todo momento em “cidadão de bem” é forçar a barra!
    Brasileiro já nasce com o pecado original.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *