Ministro José Eduardo Cardozo decidiu continuar no Governo

“Atendendo a pedidos”, Cardozo diz ao povo que fica…

 José Carlos Werneck

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, esteve esta manhã com a presidente Dilma Rousseff e decidiu continuar frente ao ministério.

Na última semana, em conversa com amigos, o titular da Justiça dizia que estava decidido a deixar o cargo, descontente com a pressão do Partido dos Trabalhadores e dos empreiteiros envolvidos na Operação Lava Jato, para interferir nas investigações da Polícia Federal

Entretanto, por lealdade à chefe do Governo, ele pretendia a continuar no ministério como decidiu nesta manhã.

Como se vê, “é duro largar o osso”!

8 thoughts on “Ministro José Eduardo Cardozo decidiu continuar no Governo

  1. Será a corda no pescoço da governanta……..eh!eh!eh
    Até o fim, mesmo estando com o barco com água até o pescoço…..
    Mas ta bom para a pelegaiada, quando foi Presidente daCPI da Máfia dos Fiscais, já dava seu showzinho para oBrasilver….

  2. Prezado Dr. José Carlos Werneck, a notícia que o senhor nos traz é grave: o ministro da Justiça, autoridade máxima da Polícia Federal, pretendia deixar a pasta em razão da pressão do PT e dos empreiteiros envolvidos na Operação Lava Jato para interferir nas investigações da Polícia Federal. Pretendia, não pretende mais e vai continuar ministro.

    Isso é bastante grave, Dr. José Carlos Werneck. O ministro revela que sofre pressão do PT e dos empreiteiros para interferir na ação da Polícia Federal que Cardozo comanda. É evidente que não se trata de pressão para agir com isenção e energia, e sim com parcialidade e frouxidão, a fim de beneficiar o PT, os empreiteiros e dificultar o trabalho da Justiça, mais precisamente do Juiz Sérgio Moro. Não há outro significado, outro entendimento, outra tradução. Pela notícia, Cardozo foi até explícito. Nem precisava e nem precisou dizer mais nada.O que disse é suficiente até demais.

    Ainda assim, sem tomar as medidas legais que lhe competiam contra os que tentam corrompê-lo ( tráfico de influência, direta ou indireta e assédio para perverter autoridade são crimes ), Cardozo decide continuar ministro!!. Cardozo torna público o crime contra ele tentado, aponta os criminosos (PT e empreiteiros), ameaça deixar o cargo, volta atrás, continua ministro e prevarica por omissão, por não comunicar ao Ministério Público Federal o assédio que diz sofrer por parte do PT e dos empreiteiros.

    Constato que Cardozo não tem mais condição de continuar ministro. Essa agora foi longe demais. Tudo isso é muito cínico. Fico a imaginar que reação teria o Juiz Sérgio Moro, se Sua Excelência sofresse a mais leve pressão para afrouxar a condução das ações penais que preside. Ameaçaria deixar a presidência? É claro que não. Continuaria juiz de todos esses feitos e oficiaria à Promotoria Pública Federal para abrir inquérito ou mesmo ações penais contra os que tentaram corrompê-lo? É claro que sim. Estamos falando de um Juiz de verdade, de envergadura, independente, sábio e forte.

    O Dr. José Carlos Werneck concorda comigo?

    Forte abraço,

    Jorge Béja

    • Grato, Dr. Werneck, por ter lido o texto que escrevi e expressado sua concordância, o que me traz segurança e vontade de prosseguir, tal a notabilidade sua, Dr. Werneck.
      Jorge Béja

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *